sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Parashat Reê - Deuteronômio 11:26-16:17



http://pt.chabad.org/library/article_cdo/aid/822836/jewish/Resumo-da-Parash.htm

Resumo da Parashá

A Parashat Reê Resumida

 Imprimir
 E-mail

Na Parashat Reê, Moshê continua a exortar o povo judeu a seguir os caminhos da Torá, e a confiar em D’us. Moshê começa a colocar as mitsvot em perspectiva, sem ambigüidade, declarando que o povo judeu será abençoado se cumprir a Torá, e amaldiçoado se não o fizer.
Ele começa então uma longa revisão de várias mitsvot, compreendendo a maior parte do livro Devarim. Primeiro discute alguns dos mandamentos que são relevantes à iminente conquista da Terra de Israel pelo povo, conclamando-os novamente a remover qualquer vestígio de idolatria. Após ensinar-lhes certos detalhes sobre a oferenda e o consumo de corbanot, sacrifícios, a Torá ordena que o povo judeu se abstenha de imitar as nações que os circundam. A eles é dito que permaneçam atentos aos falsos profetas e outras pessoas que poderiam afastá-los de D’us, e aprendem as leis de uma cidade judaica que tornou-se tão corrupta que a maioria de seus cidadãos sucumbiu à idolatria, recebendo por isso a pena de morte.
A Torá faz uma revisão sobre quais animais são casher, permitidos para consumo, e quais não o são, seguida pelas leis de ma’aser sheni – o segundo "dízimo", que é consumido por seus proprietários, mas apenas na cidade de Jerusalém.
Após ordenar que todas as dívidas sejam canceladas ao final de cada sétimo ano (Shemitah), e que devemos ser calorosos e caridosos com nossos irmãos, a Torá repete as leis relativas ao servo judeu. Ele deve ser libertado incondicionalmente no sétimo ano e coberto de presentes generosos por seu antigo amo.
A Parashat Reê conclui com uma breve descrição das três festas de peregrinação – Pêssach, Shavuot e Sucot – quando todos deveriam ir a Jerusalém e ao Templo com oferendas, para celebrar sua prosperidade.

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.

TEHILIM - SALMOS - HEBRAICO - TRANSLITERADO - TRADUZIDO - MP3

TehiliMP3 - Salmos com Áudio – Apps para Android no Google Play

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.Rollep.Tehilim&hl=pt_BR
 Avaliação: 4,4 - ‎124 votos - ‎Gratuito
TehiliMP3 - o melhor e mais completo app de Tehilim para Android, com textos em Hebraico, português transliterado e traduzido, e os 150 capítulos narrados ...

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.Rollep.Tehilim&hl=pt_BR

TehiliMP3 - Salmos com Áudio

Classificação Livre
Oferece compras no app
Este app é compatível com todos os seus dispositivos.

VERNON HOWARD, O MESTRE DA MENTE CÓSMICA, PRESENTE DO ABSOLUTO IEHOUAH ELOHIM, EM PDF - PARABÉNS SAMUEL CRUZ! QUE SEU EXCELENTE EXEMPLO SEJA SEGUIDO E MAIS OBRAS COMO ESTA PREVALEÇAM


Vernon Howard - O Poder Superior da Mente.pdf - BIBLIOTECA III ...

docs16.minhateca.com.br/676902286,BR,0,0,Vernon-Howard---O-Poder-Superior-d...

Vernon Howard - O Poder Superior da Mente.pdf. (1401 KB) .... Bem, as águias eram bastante inteligentes, mas um tanto displicentes nos seus pensamentos.

http://docs16.minhateca.com.br/676902286,BR,0,0,Vernon-Howard---O-Poder-Superior-d


Vernon Howard - O Poder Superior da Mente.pdf

Apresentação
03
Capítulo 01 - Os Maravilhosos Poderes de sua Supermente
04
Capítulo 02 - Como usar a Supermente para obter novos sucessos
11
Capítulo 03 - Como chegar ao ponto decisivo de sua vida e obter todo o sucesso.
19
Capítulo 04 - Como abolir a dor e a mágoa ocultas
27
Capítulo 05 - Como obter riquezas abundantes da mudança cósmica do eu
35
Capítulo 06 - Como pôr fim à derrota e ao fracasso
43
Capítulo 07 - As maravilhas cósmicas do seu mundo interno
51
Capítulo 08 - Como transformar em prazer as relações humanas
59
Capítulo 09 - Como solucionar prontamente problemas com o auxílio da Supermente. 67
Capítulo 10 - Fatos da vida cósmica p/ obter a verdadeira felicidade na Supermente
75
Capítulo 11- Como as novas energias da Supermente superam os obstáculos
83
Capítulo 12 - Tesouros secretos da Supermente
91
Capítulo 13 - Como libertar-se das pressões e viver serenamente
99
Capítulo 14 - Como alcançar a liberdade através da Supermente
106
Capítulo 15 - Como obter as coisas certas através da Supermente
114
Digitação, Diagramação e Arte-final: Marcelo David. Escaneamento para o WORD: Paulo Improta.
O QUE ESTE LIVRO PODE FAZER POR VOCÊ
Imaginem um artista pintando, cheio de satisfação, numa colorida campina. Num local
ensolarado. Mais tarde, porém, o sol muda de posição e deixa-o à sombra. Conquanto prefira a luz,
coisa sem esforço, na alguma faz para mudar de posição e permanece à sombra.
Finalmente, cansa-se do escuro. Fazendo um esforço, move-se em relação ao sol. Mais uma
vez sente a quente carícia da luz solar. Pinta com facilidade e prazer.
Você, leitor, pode ser o artista psíquico que procura o sol eterno. Este livro, O Poder Superior
da Mente, proporciona-lhe a orientação. Destina-se àqueles que honestamente acreditam que não
deram ainda o passo para o autêntico fulgor do entendimento e da ação, mas que gostariam de fazê-
lo.
Proporciona também sabedoria esotérica. Significa isto que você encontrará aqui numerosas
respostas que, de início, lhe parecerão estranhas. Mas, maravilha das
maravilhas, à medida que você persiste entusiasticamente, a estranheza é substituída por uma
nova intuição. Esta visão psíquica muda e sublima tudo aquilo que, anteriormente, você julgava
impossível.
Esta grande mudança representa muito mais do que uma ampliação de conhecimentos
intelectuais. É algo que você poderá sentir pessoal, definitiva e claramente. Você sente a diferença
de peso entre um livro e um lápis.
O que poderá este livro fazer por você? Você descobrirá:
1- Respostas a desnorteantes perguntas que fez durante anos, tais como a significação e a
finalidade da vida na terra e o que deve fazer para alcançar o verdadeiro sucesso.
2- Técnicas inspiradoras para uma vida consciente e despreocupada num mundo que tão pouco
as conhece.
3- A maneira como o grande saber cósmico pode ser explicado de modo claro e prático.
4- Como libertar-se da necessidade de tomar dolorosas ou insuportáveis decisões, que
habitualmente, verifica, mais tarde, serem errôneas.
5- O modo como a saúde psíquica proporciona novas e animadoras soluções para problemas
físicos tais como a insônia, o nervosismo e assim por diante.
6- Por que as coisas acontecem do modo como sabemos e o segredo de beneficiar-se do que
acontece.
7- Como despertar novas energias que o levarão, direção das verdadeiras riquezas.
Conceda aos princípios deste livro uma atenção especial e constante durante as primeiras três
semanas. Reestude os conselhos e pense neles. Dê às idéias esotéricas tempo de trabalhar por você.
Incluída ao longo destas páginas você encontrará uma série de perguntas e respostas típicas
das discutidas em minhas palestras e aulas. Elas podem nutrir a compreensão e o uso do poder de
sua Supermente de uma maneira muito especial.
Leia este livro sem esforço, no estado de espírito de prazer desfrutado, como se estivesse
conversando em sua própria casa. Em certo sentido, é isto o que estamos fazendo.
O nosso objetivo é partir para as grandes descobertas e a maneira de usá-las para conseguir-se
uma vida gloriosa, nova e satisfatória. E pode ser alcançado por você, como foi feito por outros,
através deste livro.
CAPÍTULO 01
OS MARAVILHOSOS PODERES DE SUA SUPERMENTE
Era uma vez um bando de águias que vivia numa bela cordilheira. Elas levavam uma
existência descuidada e feliz, em meio a uma abundância de alimentos naturais nos bosques e
regatos em volta. Passavam os dias em vôos altaneiros e em pacíficos prazeres.
Lá embaixo na seca planície, porém, vivia um bando de inteligentes gralhas. Comerciantes por
ocupação, as gralhas haviam investido dinheiro na plantação de milho de baixa qualidade. Olhando
em tomo à procura de fregueses potenciais, viram as águias revoluteando nas alturas. "Vamos
vender-lhes milho", passou a ser o grito de guerra das gralhas enquanto planejavam os argumentos.
"Embrulhe o milho num belo pacote", sugeriu uma delas. "Vamos tomar as águias
dependentes de nós", aconselhou outra. "Mais importante ainda", ponderou uma terceira, muito
hábil na venda de milho, "vamos convencê-las de que o nosso milho não constitui simplesmente
uma necessidade, . mas é absolutamente indispensável. Vamos convencê-las de que, sem milho, elas
se sentirão solitárias, abandonadas, perdidas. Um bom começo é fazê-las desenvolver um
sentimento de culpa. Vamos fazê-las sentirem-se culpadas por ignorarem o nosso milho... e as
teremos no papo!"
Bem, as águias eram bastante inteligentes, mas um tanto displicentes nos seus pensamentos.
Embora se mostrassem inicialmente cautelosas, o milho parecia muito bom. Além disso,
economizava-lhes o esforço de procurar comida.
Por isso mesmo, foram deixando aos poucos as alturas e descendo cada vez mais até o
milharal. Naturalmente, quanto menos voavam, menos vontade sentiam de voar. Ficando com as
asas enfraquecidas, foram obrigadas a pular desajeitadamente pelo chão. Disto resultaram colisões
frequentes entre si, seguidas de numerosas brigas.
Havia, porém, uma águia que não apenas via longe, mas tinha também visão interior. Percebeu
que havia algo de profundamente errado em toda essa história. Além disso, o milho simplesmente
não tinha bom sabor. No dia em que tentou convencer as amigas a voltarem às montanhas, as
gralhas a ridicularizaram e a chamaram de criadora de casos. Acreditando nas gralhas, as águias
passaram a evitar a antiga amiga.
E assim, quanto mais milho as gralhas vendiam, mais milho as águias engoliam. Algo, porém,
ocorrera às outroras altaneiras rainhas das aves. Queixavam-se amargamente. Andavam nervosas e
irritáveis. Sentiam-se solitárias, abandonadas, perdidas. Às vezes, lembravam-se do lar nas
montanhas, mas não podiam recordar-se do caminho de volta. Simplesmente viviam mal-
humoradas, esperando que surgisse algo de melhor, o que jamais acontecia.
Cansando-se de tudo isso, a águia perspicaz analisou-se cuidadosamente. Descobrindo as asas,
experimentou-as. Funcionaram! E afastou-se voando, de volta às montanhas. Da alvorada ao
anoitecer descrevia círculos sobre o seu mundo, descuidada e feliz.
De igual maneira, qualquer homem, cansado de tudo, pode levantar vôo em direção à
liberdade e felicidade naturais.
E é disto que trata este livro.
O Sublime Estado da Espantosa Supermente
Desde que é necessário escolher uma palavra para designar a Energia Superior estudada neste
livro, resolvi chamá-la de Supermente.
Não é complexa a sua definição; na verdade, é muito simples. Refiro-me à faculdade mental
que se situa acima e além do pensamento humano condicionado. É, ao mesmo tempo, percepção,
consciência e pensamento esotérico. É o que o místico oriental chamaria de grande alívio há tanto
procurado, pois, de certa maneira, todos suspeitamos de que nosso problema básico consiste no tipo
de mundo mental que habitamos. Costumávamos pensar que o problema era o duro mundo com que
nos confrontávamos. Mas despertamos. Percebemos que nossas próprias atitudes o criam. Com a
intuição nasce uma nova força capaz de destruí-lo. E com sua destruição construímos o novo.
Não tema levar a vida na brincadeira. Fuja dos pensamentos tristes. Aceite as coisas com
descuidada sabedoria. Sentimo-nos infelizes porque pensamos que devemos causar uma impressão,
obter algo, ser alguém. A despeito de tudo que a sociedade lhe diz, você não precisa ser
absolutamente alguém aos olhos dos homens. A sua única necessidade autêntica é a de ser um ser
humano real. Tente compreender isso, tente sentí-lo com todo o coração. E você descobrirá o que
significa transformar o mundo em um brinquedo.
Será prático o conhecimento esotérico? Percebemos que sim quando compreendemos, pela
primeira vez, as idéias totalmente impraticáveis da mente habitual.
Imagine-se chegando às fronteiras de um país que deseja ardentemente visitar. Mas, ao chegar
à divisa, você é detido. Há uma cerca atravessada na estrada, guardas lhe exigem o passaporte, e
numerosas leis lhe proíbem o ingresso.
O que, por falar nisso, lhe arruína a viagem? Os regulamentos artificiais feitos pelo homem e
as fronteiras do mundo político. Não há, porém, tais obstáculos à sua entrada na nação do eu
interior. Parece que há barreiras, mas, de fato, elas não existem. Podemos alijar as idéias e restrições
artificiais de autoria humana adotadas inconscientemente. Compreendendo isto, todos podemos
penetrar na nação maravilhosamente nova do eu interior.
Você Vive Simultaneamente em Dois Mundos
Você vive real e simultaneamente em dois mundos na mesma ocasião! Nós os chamaremos
neste livro de Mundo Interno e Mundo Externo. A compreensão desse fato contribui em muito para
dissipar as confusões e lhe instalar força psíquica e cósmica.
Você vive no Mundo Externo do corpo físico, de outras pessoas, lares, mundo financeiro,
governo, viagens, automóveis, e assim por diante. Mas vive também no Mundo Interno de
pensamentos, sentimentos, desejos, intuições, curiosidades e outros estados psicológicos. É preciso
que você coloque seu Mundo Interno em primeiro lugar na ordem de pensamento. Isto é um
ensinamento básico de todas as religiões e filosofias autênticas, incluindo as discutidas neste livro.
Mas por que deve vir em primeiro lugar o reino interior, espiritual? Porque o interno controla e
configura o externo. Tão simples assim. Não obstante, as massas da humanidade, conquanto
hipocritamente admitam tal verdade, não a realizam realmente, o que lhes explica as neuroses.
Vejamos, porém, que ligação guarda isto com o seu futuro, leitor: é correto e necessário
planejar os assuntos externo, como na compra de uma futura residência. Mas não é correto planejar
insistentemente como e onde você será feliz amanhã. Pelo menos por uma coisa, o futuro não se
dobrará aos seus desejos. O mais importante, porém, é que pensar em algo que nos fará feliz amanhã
implica adiar o desfrute hoje possível.
Quanto mais você vive no seu mundo psíquico, mais fácil se toma viver a vida real. Em vez de
tratar desajeitadamente de problemas financeiros, das pressões da sociedade e de suas próprias
confusões, você sabe exatamente o que fazer. E uma coisa que faz é deixar de preocupar-se com
eles.
Vejamos o doloroso problema de tomar decisões diárias. Procuremos descobrir como a
compreensão dos "dois mundos" elimina esse tormento.
No plano fisico é necessário tomar decisões, mas não é preciso que elas o enervem. Podemos
seguir o desejo do momento e escolher o temo azul em vez do preto, ou tomar uma xícara de chá em
vez de café.
Nenhuma decisão é necessária, porém, quando vivemos no alto nível da Supermente.
Logo que abolimos o falso eu, que consiste em desejos contraditórios, não fazemos escolha
alguma em questões a respeito de contentamento. Não existem forças opostas e, por conseguinte,
coisa alguma a escolher. Simplesmente vivemos em triunfo, de acordo com os princípios da
Supermente.
Quando estamos na corrente certa, não nos preocupamos com os movimentos do barco para a
esquerda ou para a direita, isto é, não precisamos nos preocupar com o que a vida decide por nós.
Devemos deixar que ela decida e, alegremente, desfrutar do passeio. A idéia de acompanhar a vida e