quarta-feira, 30 de julho de 2014

CHILE: QUE TAL 'DAR TERRAS' DE VOLTA PRA O PERU E BOLÍVIA? E A SAÍDA AO MAR? VOCÊS ACHAM QUE ISRAEL É CIRCO OU ABATEDOURO PRA DEIXAR UM COMUNIDADE DE TERRORISTAS AGINDO À VONTADE?


HAMAPÉDIA



http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/07/onu-diz-que-mais-foguetes-sao-achados-em-escola-na-faixa-de-gaza.html

29/07/2014 21h45 - Atualizado em 29/07/2014 21h49

ONU diz que mais foguetes são achados em escola na Faixa de Gaza
Porta-voz da agência de refugiados palestinos não culpou ninguém.
Mais de 1.200 palestinos morreram em conflitos; Israel teve 56 mortes.

Da Reuters

A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) que cuida de refugiados palestinos disse nesta terça-feira (29) que encontrou um esconderijo de foguetes em uma de suas escolas na Faixa de Gaza e deplorou aqueles que colocaram o material no local.

O porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina, Chris Gunness, condenou os responsáveis ​​por colocar civis em perigo armazenando os foguetes na escola, mas não culpou especificamente ninguém em particular.

"Condenamos o grupo ou grupos que colocaram civis em perigo, escondendo essas munições em nossa escola. Esta é mais uma flagrante violação da neutralidade de nossas instalações. Apelamos a todas as partes em conflito que respeitem a inviolabilidade da propriedade da ONU", disse Gunness em um comunicado.

Israel tem alvejado algumas instalações da agência durante os combates na atual campanha de 22 dias contra militantes islâmicos na Faixa de Gaza e chegou a dizer no passado que a propriedade da ONU foi utilizada para fins hostis.

Mais de 1.200 palestinos, a maioria civis, foram mortos na ofensiva com a qual Israel tenta neutralizar a ameaça de ataques militantes e o lançamento de foguetes contra o seu território. Israel contabilizou 56 mortos, sendo 53 soldados e três civis.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou indignação na semana passada com a descoberta de 20 foguetes em uma escola vazia da agência e em outra escola uma semana antes.

Gunness disse que a organização convocou um especialista em munições para eliminar os foguetes e garantir a segurança da escola, mas acrescentou que ele não pode acessar o local devido aos combates na área.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/07/peru-chama-seu-embaixador-em-israel-para-consulta-diz-midia-local.html

29/07/2014 15h35 - Atualizado em 29/07/2014 17h51

Chile e Peru chamam embaixadores em Israel para consultas
Países sul-americanos reiteraram o apelo para o fim das hostilidades.
Brasil convocou seu embaixador e foi chamado de 'anão diplomático'.

Do G1, em São Paulo

Os governos de Chile e Peru informaram nesta terça-feira (29) que chamaram os seus respectivos embaixadores em Israel para consultas diante do recrudescimento das operações militares israelenses na Faixa de Gaza, informou a agência Reuters.

Os dois países sul-americanos reiteraram o apelo para o fim das hostilidades, apoiando o pedido do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban ki-moon.

"O Chile observa com grande preocupação e consternação que tais operações militares não respeitam as regras fundamentais do direito humanitário internacional, como evidenciado pelas mais de mil mortes de civis, incluindo mulheres e crianças, assim como o ataque a escolas e hospitais", afirmou a chancelaria chilena em um comunicado.

O Chile, que é membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU, abriga uma das maiores colônias palestinas do mundo, mas também há uma importante presença da comunidade judaica.

A chancelaria peruana disse em um comunicado que sua decisão foi tomada em coordenação com os governos de outros países da região. O Peru pediu que as partes em conflito respeitem o cessar-fogo para possibilitar o envio de ajuda humanitária e dar início a negociações que permitam o fim permanente das hostilidades.

Na semana passada, o Brasil também chamou seu embaixador em Israel, considerando "inaceitável" a escalada da violência em Gaza e condenando "energicamente o uso desproporcional da força por Israel" no conflito. Depois disso, de acordo com a publicação "The Jerusalem Post", o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Yigal Palmor afirmou que a medida "era uma demonstração lamentável de como o Brasil, um gigante econômico e cultural, continua a ser um anão diplomático".

Mortes
Desde o início dos conflitos, no dia 8 de julho, 1.156 palestinos morreram, a maioria civis. No mesmo período, Israel contabilizou 56 mortos – 53 soldados e três civis.

Nesta terça-feira, Israel destruiu a única central de energia de Gaza, bombardeou a casa do líder político do Hamas e atacou dezenas de alvos, apagando as esperanças de que a violência termine logo, após mais de três semanas de conflito.

Agentes de saúde disseram que pelo menos 84 palestinos morreram em um dos bombardeios mais intensos por ar, terra e mar desde que a ofensiva israelense começou em resposta ao lançamento de mísseis pelo Hamas.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/07/militantes-palestinos-entram-em-israel-em-meio-tregua-em-gaza.html

28/07/2014 16h56 - Atualizado em 28/07/2014 17h13

Militantes palestinos entram em Israel em meio a 'trégua' em Gaza
Segundo a televisão israelense, cinco militantes morreram em confronto.
Israel emitiu alerta para que milhares de palestinos abandonem duas casas.

Do G1, em São Paulo













Oficial do exército israelense mostra a jornalistas, no dia 25 de julho, um túnel interceptado por militares que seria usado por militantes do Hamas para entrar ilegalmente em Israel (Foto: Jack Guez/Reuters)

Combatentes palestinos vindos da Faixa de Gaza se infiltraram em um vilarejo israelense em Nahal Oz, a leste da Cidade de Gaza, e travaram uma batalha com soldados nesta segunda-feira (28), informou a Reuters.

Segundo a televisão israelense, o confronto resultou na morte de cinco militantes, mas o movimento islâmico Hamas diz ter causado a morte de 10 soldados de Israel.

De acordo com o que uma fonte de segurança israelense disse à agência France Presse, os cinco combatentes palestinos que se infiltraram foram mortos.

O conflito parece ter arruinado as esperanças internacionais de tornar uma breve trégua em um cessar-fogo duradouro.

Depois da infiltração, o Exército israelense emitiu um alerta para que milhares de palestinos abandonem suas casas no entorno da Cidade de Gaza. Esse tipo de aviso normalmente precede ataques retaliatórios.

Ao cair da noite em Gaza, fachos de luz do Exército iluminaram o céu, e o som de intenso bombardeio podia ser ouvido.

Míssil cai em Gaza
Oito crianças palestinas e dois adultos foram mortos nesta segunda em uma explosão num jardim ao norte da Faixa de Gaza. Moradores culparam os bombardeios de Israel pela explosão no parque, na qual também ficaram feridos 40 pessoas. Mas o governo israelense disse que se tratou de um foguete lançado pelo Hamas que errou o alvo e atingiu o jardim num campo de refugiados.

As forças israelenses disseram que só estavam disparando para revidar os projéteis vindos de Gaza, enquanto engenheiros vasculham a fronteira leste do território em busca de túneis por onde se infiltram militantes. Eles acusaram os palestinos de lançar pelo menos 17 foguetes através da fronteira.

Trégua arruinada
Os militantes islamitas do Hamas, a força dominante em Gaza, pediram uma pausa nas hostilidades nesta segunda-feira, no 21º dia do conflito com Israel, para a celebração do Eid, que marca o fim do mês do jejum do Ramadã.

Inicialmente Israel recusou, tendo abandonado a sua própria oferta de estender uma trégua de 12 horas iniciada no sábado, já que os militantes palestinos continuavam lançando foguetes. No entanto, a calma imperou gradualmente durante a noite, com apenas troca ocasional de fogo, até que uma série de explosões sacudiu Gaza no período da tarde.

Poças de sangue se espalhavam no jardim do campo de refugiados Praia, depois de uma das explosões.

"Nós saíamos da mesquita quando vimos as crianças brincando com seus brinquedos. Segundos depois, o foguete caiu", disse Munther Al-Derbi, morador do campo.

"Que Deus puna... Netanyahu", disse ele, referindo-se ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Israel e os militantes palestinos em Gaza estão há três semanas envolvidos em confrontos nos quais 1.054 pessoas morreram em Gaza, na maioria civis, atingidos por bombardeios israelenses. Morreram também 43 soldados e três civis israelenses atingidos por foguetes e projéteis de morteiro disparados pelo Hamas.















WIKIPÉDIA

A Guerra do Pacífico foi um conflito ocorrido entre 1879 e 1883, confrontando o Chile às forças conjuntas da Bolívia e do Peru. Ao final da guerra, o Chile anexou ricas áreas em recursos naturais de ambos os países derrotados. O Peru perdeu a província de Tarapacá e a Bolívia teve de ceder a província de Antofagasta, ficando sem saída soberana para o mar, o que se tornou uma área de fricção na América do Sul, chegando até os dias atuais, e que é para a Bolívia uma questão nacional (a recuperação do acesso ao oceano Pacífico consta como um objetivo nacional boliviano em sua atual constituição).