domingo, 17 de agosto de 2014

יהוה Iehouah Elohim Seja Luz Para Toda Pessoa Que Aceitar Enxergar E Se Esforçar Para Observar - Pela dor da perda, quase tudo é compreensível, enquanto que no esplendor de uma vida positiva, falta cabimento. Primeiro, porque você não pode praticar paz com alguém metendo pedrada, foguetada ou missel-saraivada na cabeça sua, de seus filhos, esposa e mãe. Nem os testemunhas de Jeová esperaram pra apanhar, ser estuprado e assassinado, quando da invasão de aldeias africanas; tacos de basebol ou ferramentas úteis em mãos e muita paz no coração! Segundo, porque nenhuma ação militar do mundo real pode garantir que não venha haver efeitos colaterais, quanto mais em território prevaricado por forças inimigas e letais. Terceiro, equivalente aos Nazistas que a família de Zanoli enfrentou são os gestores palestinos - Hamas, Fatah, Outros - e Todos QUE OS APOIAM E CONTRIBUEM PARA SUAS ATIVIDADES. Quarto, nem todos os judeus são favoráveis as ações militares de Israel - se bem que, vivem dele - e há judeus ainda contrários ao Estado de Israel - se bem que vegetam de alcance global de sua existência. Quer condenar o menino judeu que salvou, o Nazareno, Einstein, árabes israelenses e toda pessoa a favor de Israel? Que Israel desperte. Para viver em Israel tem que assumir Israel e para ser judeu veraz no mundo tem que assumir o judaísmo bíblico. יהוה Iehouah Elohim Tseva'ot existe, está na Terra também e jamais abrirá mão do Isra'el legítimo bem como do perfil de sociedades próprias dos defensores do seu nome, próximas de judaísmo e outras manifestações sagradas conscientes e competentes diante do Resplendor da Torah Bíblica; sim: Bereshit - Genesis - No Princípio, Shemot - Êxodo - Nomes, Vaikrá - Levíticos - E Chamou, Bemidbar - Números - No Deserto, e Devarim - Deuteronomio - Palavras




http://brasil.elpais.com/brasil/2014/08/16/internacional/1408185293_190049.html

Um veterano do Holocausto devolve uma medalha a Israel pela ofensiva em Gaza

Zanoli foi declarado "Justo entre as Nações" por salvar um menino judeu em 1943

EL PAÍS Jerusalém 16 AGO 2014 - 15:34 BRT

Arquivado em: Faixa de Gaza Operação Limite Protetor Territórios palestinos Países Baixos Holocausto judío Palestina Geopolítica Conflito árabe-israelense Ataques militares Nazismo Oriente próximo Ação militar Ultradireita Segunda Guerra Mundial Ásia Europa Ocidental História contemporânea Guerra Ideologias Conflitos Europa História Política

Protesto contra a ofensiva israelense em Gaza, hoje em Londres. / IAN KINGTON (AFP)
Recomendar no Facebook420

Um holandês de 91 anos devolveu a Israel o título honorífico que recebeu depois de salvar um menino judeu durante a ocupação nazista em sinal de protesto pela ofensiva em Gaza, depois da morte de seis membros de sua família durante um bombardeio israelense sobre a Faixa, no mês passado.

O homem, Henk Zanoli, foi declarado "Justo entre as Nações" depois salvar, em 1943, o menino judeu Elhanan Pinto, cujos pais haviam morrido em um campo de concentração. Zanoli escondeu o menino em sua casa até libertação da Holanda.

A família de Zanoli correu um risco importante ao esconder o menino. Os Zanoli haviam expressado em várias ocasiões sua oposição à ocupação. O pai de Henk foi enviado ao campo de extermínio de Dachau e morreu no campo de Mathausen.

O bombardeio israelense do dia 20 de julho acabou com as vidas da família do marido da sobrinha-neta de Zanoli, a diplomata holandesa Angelique Eijpe, casada com o economista Ismail Ziadah. Os projéteis mataram a matriarca da família Ziadah, Miftiya, de 70 anos, três de seus filhos, Jamil, Omar e Youssef, e a esposa e o filho de Jamil, Bayan e Shaaban, de 12 anos.

MAIS INFORMAÇÕES
Mais de 10.000 feridos mantêm os hospitais de Gaza no limite
“Queria gritar: Quero viver em paz”
Uma ministra de Estado britânica renuncia em resposta ao conflito em Gaza
Depois receber a notícia do bombardeio, Zanoli devolveu o título que recebeu, assim como sua mãe – esta a título póstumo –, com uma carta ao embaixador de Israel na Holanda, Haim Davon, na qual descreve os esforços realizados por sua família para salvar o menino. "Tendo em conta este passado, é particularmente trágico que hoje, quatro gerações depois, nossa família enfrente a morte de seus entes queridos em Gaza", escreveu.

"Para mim, conservar esse título seria um insulto à memória de minha valente mãe, que arriscou sua vida e a de seus filhos lutando contra a opressão e pela preservação da vida humana", afirmou Zanoli.

O Exército israelense não se pronunciou, segundo explica o jornal Haaretz, sobre se o bombardeio foi acidental ou intencional e se limitou a responder que as Forças de Defesa tentam evitar as baixas civis a todo custo. O Exército acrescentou que todos os incidentes irregulares estão sob investigação.

http://pt.euronews.com/2014/08/17/manifestacao-pela-paz-em-israel/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+euronews%2Fpt%2Fnews+(euronews+-+news+-+pt)

Manifestação pela paz em Israel
17/08 09:08 CET

Ucrânia: Exército recupera esquadra de polícia de Luhansk mas perde MIG-29
17/08 16:31

Israel e Hamas procuram acordo na véspera do fim do cessar-fogo
17/08 15:39

Ucrânia: camiões com ajuda humanitária russa começam a ser inspecionados
17/08 14:11

Papa: “cristãos não devem ser vistos como conquistadores”
17/08 12:57

Morreu Peter Scholl-Latour
17/08 10:28

Ferguson: dezenas de habitantes ignoram recolher obrigatório
17/08 10:14

Vítimas do conflito colombiano ouvidas em negociações de paz
17/08 09:08

Jassem: o sobrevivente
17/08 08:25

Papa criticou religiosos que “vivem como ricos”
17/08 05:53

Curdos à conquista da barragem de Mossul pedem armas à EUropa e EUA
17/08 01:36

Manifestações em França e Alemanha pedem apoio da comunidade internacional às minorias no Iraque e Síria
16/08 23:38

Centro de Islamabad bloqueado para exigir demissão de Sharif
16/08 22:50

Ucrânia: Cruz Vermelha ainda espera garantias de segurança para coluna humanitária
16/08 22:09

Kerry, Clinton e Turquia terão sido espiados pela Alemanha
16/08 19:20

Canal do Panamá já tem 100 anos
16/08 17:52

Reino Unido: 35 pessoas descobertas em contentor de navio proveniente da Bélgica
16/08 16:56

Curdos iraquianos pedem armas à Alemanha
16/08 16:29

Alemanha joga à defesa no envio de armas para o Iraque
16/08 12:31

Papa: fosso entre ricos e pobres está a aumentar
16/08 10:56

Brown: vídeo divulgado pela polícia divide norte-americanos
16/08 08:53
PreviousNext
smaller_textlarger_text
Share on printShare on email| Partilhe este artigo

Share on redditShare on orkutMore Sharing Services
Milhares de israelitas manifestaram no sábado em Tel-Aviv exigindo ao governo que retome as negociações de paz com A Autoridade Palestiniana de Mahmoud Abbas.

Segundo as Nações Unidas, a ofensiva militar de Israel em Gaza fez cerca de dois mil mortos e 425 mil refugiados palestinianos, com três civis e 64 soldados mortos do lado israelita.

Copyright © 2014 euronew
http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN0GG0GT20140816

Hamas diz que Israel precisa aceitar demandas palestinas ou enfrentar guerra longa
sábado, 16 de agosto de 2014 14:31 BRT

CAIRO (Reuters) - A oferta feita à delegação palestina no Cairo não atende às aspirações da população, disse o líder do Hamas para assuntos internacionais, Osama Hamdan, aumentando as dúvidas sobre as chances de um acordo de trégua com Israel nas negociações intermediadas pelo Egito.

Hamdan disse em sua página no Facebook neste sábado que "Israel precisa aceitar as demandas do povo palestino ou encarar uma longa guerra".

Israel lançou sua campanha militar em 8 de julho para reprimir o lançamento de foguetes do Hamas partindo de Gaza. As Nações Unidas disseram que 425 mil pessoas, dos 1,8 milhão de habitantes de Gaza, foram deslocadas pela guerra, que já matou mais de 1.900 palestinos e 67 israelenses.

A maioria dos mortos palestinos são civis, disseram funcionários de hospitais no pequeno território, densamente povoado.

Israel e os palestinos concordaram na quarta-feira em estender um acordo de cessar-fogo em Gaza por cinco dias para continuar as negociações indiretas sobre uma trégua duradoura. O cessar-fogo expira na segunda-feira.

Os dois lados não estão se encontrando frente a frente no Cairo, uma vez que Israel considera o Hamas, que defende sua destruição, um grupo terrorista.

Exigências do Hamas incluem levantar o bloqueio a Gaza e reduzir restrições à circulação dos moradores do território, disse à televisão Al-Aqsa Hamas o líder do Hamas, Ismail Haniyeh, na semana passada.

(Por Ali Abdelatty)