quarta-feira, 20 de agosto de 2014

* יהוה Iehouah Tseva'ot cuide de responder aos assassinos que tentam destruir Israel. O próprio Barhum declara que ele e os seus são responsáveis por disparar 3 mísseis contra Israel, acertar Rua de Telavive, causar morte de mulher e filha de líder assassino covarde do Hamas e os jornalistas pra comparar poder bélico escolhe lança foguetes em paralelo a tanque. Imprensa de marginais enrustidos! O que matou 7 dos 13 Golani foi míssil anti-tanque! Estes jornalistas queriam estar em Telavive e ser alvo de armas destinadas até contra israelenses míopes que defendem os terroristas?



http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/08/israel-mata-mulher-e-filha-de-lider-militar-do-hamas-4579228.html
Faixa de Gaza

Israel mata mulher e filha de líder militar do Hamas
Foram as primeiras vítimas de bombardeios israelenses desde o dia 10 de agosto, quando entrou em vigor a trégua concluída nesta terça-feira

19/08/2014 | 23h42
A mulher e uma filha do líder militar do Hamas Mohammed Deif foram mortas em um ataque aéreo de Israel na noite de terça-feira em Gaza, anunciou o movimento radical islâmico. Segundo socorristas palestinos, outras 45 pessoas ficaram feridas no bombardeio.

Em uma mensagem no Facebook, Mussa Abu Marzuk, número dois do bureau político do Hamas no exílio, não deu qualquer informação sobre o destino de Mohammed Deif, chefe das Brigadas Ezzedin al Qasam. Marzuk escreveu ainda que Israel buscava "um pretexto para atacar um alto dirigente do Hamas".

Forças de Israel e do Hamas voltam a se enfrentar com foguetes e bombardeios

Estas foram as primeiras vítimas de bombardeios israelenses desde o dia 10 de agosto, quando entrou em vigor a trégua concluída nesta terça-feira.

Mohammed Deif assumiu a chefia das Brigadas Ezzedin al Qasam com a morte de Salah Chehade, vítima de um bombardeio israelense em 2002. Deif, nascido em 1965 em Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, participou dos golpes mais duros contra contra Israel nos últimos 20 anos: sequestro de soldados, atentados suicidas, disparos de foguetes e túneis ofensivos...

*AFP


http://m.terra.com.br/noticia?n=3f90f6e836ee7410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD

O premiê israelense disse que o estado está preparado para qualquer cenário
Foto: Emil Salman / AP
O exército israelense lançou um ataque aéreo contra a Faixa de Gaza pela primeira vez depois de dias, em resposta aos disparos de foguetes contra Israel, informaram testemunhas e as forças de segurança palestinas.

Em comunicado no qual não revelou os lugares atacados, o porta-voz militar Peter Lerner se limitou a dizer que, em resposta à agressão, "o exército continuará atacando infraestruturas terroristas e eliminando sua capacidade em Gaza para restabelecer a segurança no Estado de Israel".

O ataque israelense visou aos arredores de Beit Lahiya, no norte do território palestinos, e ainda não há informações sobre vítimas.

O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, ordenou que o exército respondesse aos disparos lançados de Gaza na manhã desta terça-feira. Não houve vítimas fatais dos foguetes palestinos.

Até o momento, nenhuma das milícias palestinas reivindicou essa ação, que, por sua vez, coloca em risco as negociações que há dias são realizadas na capital egípcia.

Fim de conversa no Cairo por disparos
Israel ordenou nesta terça-feira o retorno de seus emissários enviados ao Cairo para negociar com os palestinos uma extensão do cessar-fogo na Faixa de Gaza, indicou uma autoridade israelense.

Esta decisão acontece após a retomada dos disparos de foguetes palestinos em meio à trégua.

As conversas pareciam progredir de maneira favorável até esta manhã, tendo em vista que a imprensa israelense chegou a assegurar que o governo de Israel já tinha aceitado o levantamento paulatino do bloqueio econômico e do assédio militar a Gaza.

Posteriormente, uma autoridade palestina acrescentou que os negociadores israelenses também pareciam predispostos a ceder em suas exigências o desarmamento das milícias, item que poderia ser substituído por garantias de que as milícias não voltariam a se armar.

No entanto, em paralelo à violação do cessar-fogo, Fawzi Barhum, porta-voz do movimento islamita Hamas, voltou a advertir o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, sobre as duras consequências relacionadas ao fracasso das negociações.

"Se Netanyahu não entende bem a mensagem e as reivindicações de Gaza através do diálogo político, sabemos muito bem qual é a via para fazer com que entenda", ameaçou Barhum em uma declaração divulgada à imprensa via e-mail.



Com informações da EFE, Reuters e AFP.