quarta-feira, 20 de agosto de 2014

יהוה Iehouah Tseva'ot seja luz e energia para americanos, franceses, ingleses e alemães apoiarem e se responsabilizarem por desintegrar o Estado Islâmico até sua última influência ao custo que for, na recordação obrigatória que a indiferença deu poder genocida de massacres - como o armênio - ao Império Turco-otomano, massacres contra judeus em séculos e décadas, os ocorridos na África sem esquecer do Holocausto, ataques do Hamas e Hezbolah. Há muito o planeta se tornou pequeno, ou age ou reage e a segunda opção sempre é com muito mais prejuízo que a primeira.





https://br.noticias.yahoo.com/v%C3%ADdeo-decapita%C3%A7%C3%A3o-jornalista-%C3%A9-aut%C3%AAntico-diz-casa-branca-161429991.html

A Casa Branca confirmou nesta quarta-feira a autenticidade do vídeo divulgado na terça-feira mostrando a execução do jornalista James Foley por militantes do Estado Islâmico (EI).
"Os serviços de inteligência analisaram o vídeo difundido recentemente que mostra os cidadãos americanos James Foley e Steven Sotloff. Chegamos à conclusão de que este vídeo é autêntico", informou Caitlin Hayden, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, em um comunicado.
O FBI também declarou aos pais do jornalista americano sequestrado acreditar que o vídeo de sua execução é autêntico, informou o GlobalPost, para onde a vítima trabalha.

Vídeo gera comoção internacional
Até então de férias, o primeiro-ministro inglês, David Cameron, interrompeu sua folga para voltar a Londres e retomar as discussões sobre os conflitos no Iraque na Síria, conforme informou o governo britânico. Segundo o comunicado, Cameron vai se encontrar com o ministro de Relações Estrangeiras, Philip Hammond, e autoridades de segurança do Reino Unido para discutir as últimas ações dos extremistas. "A morte brutal de James Foley é chocante e perversa", disse o governo.

Cameron havia dito na segunda-feira que os britânicos não vão combater no Iraque, mas vão contribuir com ajudas humanitárias e usar suas habilidades política, diplomática e militar para garantir que os extremistas não causem estragos maiores nas zonas de conflito ou no Reino Unido.

Redes sociais fazem remoção do vídeo
O Twitter removeu nesta quarta-feira as fotos e o vídeo da decapitação do jornalista americano postaos pelos jihadistas.
O horripilante vídeo de cinco minutos intitulado "Uma mensagem aos Estados Unidos" foi postado na terça-feira no Twitter e outras plataformas sociais.
O vídeo mostra a execução do jornalista James Foley por um militante jihadistas mascarado, que informa a intenção do grupo Estado Islâmico de matar um segundo profissional das comunicações americanos caso os Estados Unidos prossigam com sua ofensiva aérea no Iraque.
"Suspendemos e estamos ativamente suspendendo as contas à medida que descobrimos que estão relacionadas com essas imagens tão fortes. Obrigado", escreve o CEO Dick Costolo.
O YouTube acabou removendo o vídeo de seu site de acordo com sua política contra conteúdos violentos e desrespeitosos.


https://br.noticias.yahoo.com/chanceler-iraque-pede-apoio-global-para-enfrentar-estado-104354069.html

Chanceler do Iraque pede apoio global para enfrentar Estado Islâmico

Reuters – 15 horas atrás
BAGDÁ (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores do Iraque, Hoshiyar Zebari, fez um apelo à comunidade internacional nesta quarta-feira pedindo apoio ao país contra militantes do Estado Islâmico, depois que o grupo radical divulgou um vídeo supostamente mostrando a decapitação de um jornalista norte-americano sequestrado na Síria.
Zebari disse à Reuters que o Estado Islâmico é uma ameaça ao mundo, não apenas às minorias étnicas do Iraque cujos membros foram mortos nos últimos avanços do grupo pelo norte do país.
(Reportagem de Michael Georgy)