domingo, 3 de agosto de 2014

Iehouah Tseva'ot vê todo antissionista repetindo e aumentando a perversidade antissemita claramente orientado pelo nazismo e terror instrumental do fundamentalismo islâmico.

http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2014/08/israel-nao-acredita-em-mais-acordos-de.html


sábado, Agosto 02, 2014

ISRAEL NÃO ACREDITA EM MAIS ACORDOS DE CESSAR FOGO

Israel conhece bem com quem está metido. E, nessa matéria, dá lições ao mundo. Ninguém pode acusar o governo judaico de falta de boa fé. Várias acordos para o cessar fogo foram propostos pelo Egipto, pela ONU, EUA e até Israel. Todos foram desrespeitados pelos terroristas do Hamas.
Israel respeitou-os todos. Se atacou, foi obviamente em resposta aos ataques dos terroristas do Hamas e seus congéneres, os quais nunca respeitaram qualquer acordo, uma vez que para eles não é a defesa das vidas dos civis palestinianos em Gaza que conta, mas sim a destruição da vida de qualquer judeus que se depare no seu caminho.
Tão simples como isso.
Após uma ténue esperança que tantos de nós tivemos na passada noite de Quinta-Feira, de que haveria finalmente uma trégua humanitária de 72 horas proposta pelos Estados Unidos e pela ONU, a bem dos palestinianos, e que alegadamente teria sido aceite pelos próprios movimentos terroristas, ao fim de uma hora e meia desde o seu início, os rockets continuaram a ser disparados contra as populações civis do sul de Israel e um grupo de terroristas lançou morteiros contra um grupo de soldados israelitas, matando dois e raptando um elemento do exército de Israel.
E a paciência de Israel chegou agora ao fim. Apesar de ser um esforço do supostamente credível governo do Egipto para um acordo de cessar fogo, Israel decidiu não perder mais tempo e energia com essas tentativas que acabam por ser sempre frustradas por culpa dos terroristas na Faixa de Gaza.
Israel deu por isso um redundante "NÃO" a todas as propostas, uma vez que não aceita de forma alguma que o Hamas estabeleça as condições para as tréguas.
Israel não vai "descer" ao Egipto.
"Ai dos que descem ao Egito em busca de ajuda, que depositam sua confiança em cavalos. Eles acreditam na força da multidão dos seus carros e no poder dos seus cavaleiros, mas não contemplam o Santo de Israel, nem buscam o socorro que vem deYahweh, o SENHOR." Isaías 31:1
Israel vai por isso continuar a sua intervenção em Gaza, identificando e destruindo os sofisticados túneis que os terroristas construíram ao longos destes últimos anos, custando centenas de milhões de dólares subsidiados pelos "amigos" do Irão e mais recentemente do Qatar, onde a elite do Hamas se encontra refastelada.
O rapto do soldado israelita - cuja autoria o Hamas continua ridiculamente a negar - só veio agravar a situação, levando Israel a endurecer a sua posição face aos terroristas, não aceitando sequer negociar qualquer trégua até que o soldado seja devolvido a Israel.
As Forças de Defesa de Israel começaram já a retirar de algumas partes do Norte de Gaza, informando as respectivas populações de que já podem regressar a suas casas.
Há informações de que as forças israelitas se estarão agora concentrando na parte sul da Faixa de Gaza, junto à fronteira com o Egipto (Sinai).
Mas, quanto à retirada das tropas de Gaza, é Israel quem vai decidir, quando "toda a operação de destruição dos túneis estiver completada."
Segundo notícias acabadas de transmitir pelo "canal 10" da TV israelita, só faltarão 3 túneis para destruir.
Segundo declarações prestadas por um ministro ligado à Defesa,"Quando isto (a operação) acabar...o Hamas não se vai atrever a atacar-nos por vários anos."

O HAMAS ESTÁ CLARAMENTE A PERDER A FORÇA
Durante o dia de hoje "só" foram disparados 39 rockets contra Israel, tendo vários deles sido interceptados. Este é um número muito inferior ao da semana passada, provando que os terroristas estão nitidamente a perder as suas capacidades e a esgotar os seus recursos ofensivos.
Desde o início da operação "Margem de Protecção", foram disparados 3.055 rockets contra Israel, tendo 552 sido interceptados pelo sistema de defesa "Cúpula de Ferro."
Israel atacou mais 200 sítios terroristas nas últimas 24 horas.

Shalom, Israel!

Poderá também gostar de:

GOVERNO ISRAELITA REJEITA CONDIÇÕES DE KERRY PARA CESSAR ...

ISRAEL ACEITA CESSAR FOGO PROPOSTO PELO EGIPTO. ENQUANTO ...

DEPOIS DE ROMPER O CESSAR FOGO ACORDADO COM A ONU E OS EUA, ...

Linkwithin
Publicada por Shalom à(s) 8/02/2014

http://palestinalivree.blogspot.com.br/2014/07/hamas-executa-sem-julgamento-acusados.html


quarta-feira, 30 de julho de 2014

Hamas executa sem julgamento acusados de "colaborar" com Israel enquanto a imprensa internacional trabalha como porta-voz do grupo terrorista

De acordo com o jornal palestino al-Quds, o Hamas tem executado de forma sumária pessoas acusadas de "colaborar" com Israel.
Fontes confirmaram que o grupo executou pelo menos 13 palestinos sob suspeita de "colaboração", sendo que nenhum dos suspeitos foi levado a julgamento. As execuções teriam sido realizadas de maneira brutal, incluindo espancamentos e fraturas de braços e pernas.

قالت مصادر خاصة في المقاومة الفلسطينية، أن العديد من العملاء الذين لم يتم اكتشافهم سابقا من قبل جهاز الأمن الداخلي في غزة، يستخدمون منذ بداية العملية العسكرية الإسرائيلية على غزة "إشارات خاصة" تمكن الطائرات من استهداف منازل المواطنين وكذلك استهداف مجموعات قريبة.

وفي ذات السياق، كشفت المقاومة عن إعدام مجموعة أخرى من العملاء خلال الأيام الماضية في أعقاب إعدام 4 آخرين مع بداية العملية العسكرية على غزة.

وحسب المصادر، فقد تم إعدام 9 عملاء ثبت تورطهم في قتل مجموعة من المقاومين في حي الشجاعية شرق مدينة غزة، فيما تم إطلاق النار على مجموعة أخرى في أقدامهم كرسالة تحذير لهم بمنعهم من التعاون مع الاحتلال وفرض إقامة جبرية عليهم داخل منازلهم بعد تجريدها من أجهزة الاتصال.

وكانت مصادر أخرى من المقاومة قد كشفت منذ أيام لـ القدس دوت كوم، أن المقاومة أعدمت 4 عملاء تورطوا بقتل مجموعة من المقاومين بعد اغتيالهم من قبل الاحتلال.
Ainda segundo as fontes, o Hamas também também tem atirado nas pernas de suspeitos de "colaboração" para impedi-los de se locomover. Muitos outros, incluindo ativistas do Fatah, foram colocados em prisão domiciliar.

Esta não é uma história que o Hamas gostaria de ver publicada pela imprensa internacional e, por isso mesmo, nenhum dos jornalistas estrangeiros na Faixa de Gaza mencionou os assassinatos brutais em suas matérias. Eles temem perder o acesso a Gaza caso publiquem notícias que não interessem ao grupo.

Prova disso é o caso deste jornalista italiano, que só revelou que o Hamas foi o responsável pelas mortes no campo de refugiados de al-Shati depois de sair de Gaza:


"Fora de Gaza, longe da retaliação do Hamas: foguete defeituoso matou crianças ontem em Shati.
Testemunha: militantes se apressaram e removeram o entulho"
Israel já tinha afirmado que as mortes foram causadas por um foguete defeituoso do Hamas, mas toda a imprensa, incluíndo a NBC americana, culpou Israel pelo ataque. Apenas este jornalista italiano -- e só depois de deixar Gaza -- noticiou a verdade. Ele deixa claro que se omitiu e não publicou a verdade por medo de retaliação por parte do Hamas. Ou seja: se o repórter está trabalhando em Gaza, ele está seguindo a... linha editorial... do Hamas.

A NBC só mudou o texto, deixando a questão em aberto, depois que o jornalista italiano tuitou seu relato. Até então a emissora tinha achado a versão do Hamas mais confiável que a do exército israelense...

Postado por Palestina Livre às 20:51
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no OrkutCompartilhar com o Pinterest