quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Absoluto יהוה Iehouah Tseva'ot ... Seja Luz para despertar e levantar genuínos sionistas hebraistas pelo mundo. A vitória inegável de Israel em 1967 foi ineficaz em largar escala por Israel obedecer a fraqueza de caráter do mundo daquele tempo. Pois enquanto nações vizinhas a um Estado Democrático e Teocrático forem perigosas para o mesmo, fica claro que não podem se autogerir. A Síria não tem condições de ser equilibrada? Então dê o controle de Damasco para Israel, já no caso de perturbações avançarem por fronteiras sirias, cabe a Israel tomar Damasco por tempo indeterminado.






http://www.noticiasaominuto.com/mundo/271170/israel-ataca-posicao-militar-siria-apos-lancamento-de-projetil

Golã Israel ataca posição militar síria após lançamento de projétil
O exército de Israel informou hoje ter atacado uma posição militar síria nos montes Golã, após o lançamento de um projétil, aparentemente "errante", que atingiu o lado israelita daquele planalto.
MUNDO Lusa
16:03 - 04 de Setembro de 2014 | Por Lusa

Share on printShare on email
Num comunicado, o exército israelita afirmou que "pelo menos um projétil [proveniente do lado sírio] atingiu o norte dos montes Golã".

PUB

A mesma nota informativa referiu que os primeiros elementos recolhidos sugerem que se tratou de um projétil perdido proveniente dos combates entre rebeldes e exército leal ao regime de Damasco.

"Em resposta, as Forças de Defesa israelitas atingiram uma posição do exército sírio", acrescentou o comunicado

Israel continua oficialmente em guerra com a Síria e ocupa, desde 1967, cerca de 1.200 quilómetros quadrados do planalto dos Golã, que anexou em 1981, numa decisão que nunca foi reconhecida pela comunidade internacional. Perto de 510 quilómetros quadrados estão sob controlo sírio.

A situação entre os dois países, que acordaram um cessar-fogo, estava relativamente calma desde 1974, mas a guerra civil na Síria, que começou em 2011, gerou um novo clima de tensão na zona.

Os combates têm vindo a aproximar-se daquela zona e, na semana passada, 43 elementos da Força das Nações Unidas de Observação da Separação (UNDOF), responsável pela monitorização do cessar-fogo entre Israel e a Síria, foram atacados, no lado síria, por um grupo armado rebelde.