segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Além de não ser atendido em suas demandas pró terroristas, o Hamas se expôs o suficiente para não suportar continuidade de combates

http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_08_28/Primeiro-ministro-israelense-diz-que-Hamas-nao-foi-atendido-em-tregua-9491/

Primeiro-ministro israelense diz que Hamas não foi atendido em trégua

Foto: AP/Dan Balilty, Pool
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta quarta-feira que o grupo radical palestino Hamas não teve suas exigências atendidas para assinar um cessar-fogo na Faixa de Gaza.

Em entrevista, o chefe de governo considerou que o Hamas "não sofria uma derrota desta magnitude desde sua criação". "Nós destruímos túneis de ataque, matamos cerca de mil soldados inimigos, destruímos milhares de foguetes e centros de comando".
Netanyahu disse ter concordado com permitir a entrada de ajuda humanitária e material de construção para reconstruir Gaza por razões humanitárias, mas sob o controle do Estado judaico.
"Para assinar o cessar-fogo, o Hamas exigia um porto e um aeroporto em Gaza, a libertação de prisioneiros palestinos, a mediação do Catar e da Turquia, o pagamento de salários, além de outros pedidos, mas, mais uma vez, não obteve nada".
Para o primeiro-ministro, ainda é muito cedo para saber se a calma vai durar no longo prazo. "Nós não vamos tolerar qualquer disparo contra Israel e nossa resposta será ainda mais forte", insistiu.
-- Folha Online
Palestina, Israel, Hamas, Faixa de Gaza, trégua, Internacional
Recomendar:

   

Comentários
#jduarte 28 Agosto, 17:51
Ver um cessar fogo por ambos lados é muito bom. Por que o estava a Gaza era um genocídio provocado pelo Hamas - um grupo terroristas. Espero que o agentes do Hamas possa entender que Gaza esta no território de Israel, e isto eles tem que se dobrar e agradecer por ter lugar onde ficar. Estão que haja PAZ E MUITA PAZ e que o Hamas não jogue mais com a vida do civis e nem crianças, mas sim com os seus soldados que tem uma visão. Deus, há de julgar, no dia da sua ira.