segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Ieh! Vede Yehowah... יהוה Iehouah Elohim Adonai Tseva'ot; יהוה Iehouah Elohim Soberano Dos Exércitos, fortetaleça e enriqueça Sionistas e Hebraístas em toda Terra para construírem e constituirem sociedades sadias e produtivas libertas, livres e libertadoras de elementos fóbico-depressivos como o desinformativo 247. Note-se a ênfase dada à. palavra massacre em uma situação na qual os mesmos há muito empreenderiam massacres, pois O Estado Judeu De Israel beneficia os palestinos muito mais do que corjas de antissemitas descarados ou disfarçados poderiam tentar fazer por séculos que fosse.





http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/153204/Após-massacre-Israel-busca-reaproximação-com-Brasil.htm

CONTATO
Brasil 24/7

Facebook
Twitter
YouTUBE
RSS
MUNDO
REGIONAIS:
APÓS MASSACRE, ISRAEL BUSCA REAPROXIMAÇÃO COM BRASIL

Enviado pelo Ministério de Relações Exteriores de Israel especialmente para uma missão de reaproximação com a América Latina, o embaixador Pinhas Avivi se reuniu com o chanceler Luiz Alberto Figueiredo; governo brasileiro foi chamado de “anão diplomático” pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, após condenar o genocídio patrocinado por Benjamin Natanyahu na Faixa de Gaza

12 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 07:46

Danilo Macedo - Repórter da Agência Brasil - Após cessar-fogo na Faixa de Gaza, Israel busca agora curar as feridas que o conflito na região gerou em suas relações com os países da América Latina. Enviado pelo Ministério de Relações Exteriores de Israel especialmente para uma missão de reaproximação com a região, o embaixador Pinhas Avivi passou pelo Brasil, onde se reuniu com o chanceler Luiz Alberto Figueiredo, e terá encontros ainda na Argentina, no Chile e Peru. Segundo ele, as relações com a América Latina se desgastaram na última década.

“Nos últimos dez anos, alguma coisa mudou. Não sei por que, não quero culpar ninguém, talvez tenhamos de culpar a nós mesmos também. Mas, com certeza, agora vamos fazer um esforço para reconstruir essas relações especiais entre Israel e esta parte do mundo”, disse Avivi a jornalistas, nessa quinta-feira (11) em Brasília.

Em janeiro de 2009, a Venezuela e a Bolívia romperam relações com o Estado de Israel, como sinal de protesto contra a ofensiva militar israelense na Faixa de Gaza. O então presidente venezuelano Hugo Chávez ordenou a expulsão do embaixador israelense no país e de parte dos funcionários. Este ano, durante um dos conflitos mais sangrentos entre Israel e o grupo Hamas, as relações também ficaram estremecidas com o Brasil, que convocou seu embaixador em Tel Aviv como sinal de insatisfação com o conflito.

Em relação ao Brasil - que após posicionamento do Itamaraty condenando as mortes de civis no último conflito foi chamado de “anão diplomático” pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yagal Palmor -, o enviado disse que o desentendimento foi superado. Segundo ele, o Brasil é um dos principais atores na “arena internacional” atualmente.

“O fato de o Ministério [de Relações Exteriores] ter decidido me enviar é a melhor resposta de que consideramos o Brasil um ator muito importante”, disse. Ele lembrou as relações históricas entre os dois lados, desde o reconhecimento do Estado de Israel. “Nós nunca esqueceremos que a independência de Israel é resultado do trabalho do embaixador [brasileiro] Osvaldo Aranha”.

Avivi disse ainda que as conversas com os chanceleres dos países sul-americanos visitados nesta missão especial têm o papel principal de explicar a situação enfrentada no Oriente Médio, principalmente os conflitos na Faixa de Gaza e o perigo representado pelo grupo Hamas. Além disso, o embaixador tenta levantar possibilidades futuras de cooperação em áreas ligadas à sustentabilidade, que, segundo ele, é a principal questão para os problemas mundiais, envolvendo, por exemplo, manejo de água e produção de alimentos.

COMENTÁRIOS

13 comentários em "Após massacre, Israel busca reaproximação com Brasil"

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Luiz Arlindo da Silva Correia 12.09.2014 às 21:06
Israel maculou a memória dos que sofreram sob Hitler. Se tornaram, por culpa de seu governo, moralmente um país hipócrita. Se não tivéssemos relações comerciais e diplomáticas não faria falta ao Brasil.
valdir freire 12.09.2014 às 12:08
Brasil deveria cortar relações com Israel. Não é país, é um exército assassino!!!! Queria ver o que faria o sr. Edson se Entrassem em sua casa e expulsassem a ele e sua família de lá, deixando-o abandonado na rua sem nada...garanto que seria tão terrorista como o Hamas...se informem melhor sobre os assassinos sionistas! http://www.youtube.com/watch?v=pt7VXoFI1Cs
AMIGO DO POVO E DA PAZ 12.09.2014 às 11:45
O MUNDO PRECISA DE PAZ E AMOR!
olho vivo 12.09.2014 às 11:05
"o fato do min. me enviarem mostra que o Brasil é muito importante", mandaram o sub do sub que se considera importante, esse sujeito não conhece nada de Brasil
olho vivo 12.09.2014 às 10:58
Daniel, judeu é uma coisa, sionista é outra coisa. Já que vc sabe tudo sobre Israel e sua sociedade democratica e plural, cite algum paragrafo da sua constituição, apenas um, antecipo, vc nao vai encontrar, porque lá não tem constituição, Israel se resume a um exercito, nada mais que isso.
Juntem astrouxas e se mandem para PQP 12.09.2014 às 10:57
Daniel 09:59 Faça o seguinte Daniel: junte as trouxas você e estes vagabundos e vão a PQP. Desapareçam do mapa. Limpem o trilho. Gente como vocês não nos farão falta. As ofensas foram grandes demais dirigidas a um País que sempre lhes tratou bem. Dilma Presidenta, isole estes vagabundos Sionistas!!!
Pode até ser mas vamos demorar e muito para voltarmos ao norma,sel 12.09.2014 às 10:52
Presidenta Dilma: A ofensa foi grande demais e estas coisas ficam entaladas na garganta. O Presidente de Israel já pediu desculpas ao Governo brasileiro,mas só isto não basta. O Vagabundo ofende uma Nação (e não é qualquer naçãozinha como o Haiti) é o Brasil!!! e depois vem e diz que foi um erro e quer consertar etc e etc. Pode até consertar, mas vai demorar muito. Presidenta Dilma, trate este povo com desprezo, pois eles não prestam.
edivaldo 12.09.2014 às 10:37
Nazistas do século XXI. É preciso levar Bibi para a corte de Haia.
Daniel 12.09.2014 às 09:59
O Sr. Roberto Ferreira da Costa não sabe realmente nada sobre a sociedade israelense. Sr. Roberto: Israel é uma sociedade democrática e plural em todos os aspectos e o embaixador israelense no Brasil nem é judeu, Dr. Reda Mansour. Estude e leia antes de falar.
Roberto Ferreira da Costa 12.09.2014 às 09:42
O Brasil perdeu uma excepcional de retaliar Israel por seu comentário sobre sermos um anão diplomático. Se eu fosse o Chanceler brasileiro não receberia este embaixador judeu, mas expediria Portaria autorizando o garçon que serve cafezinhos no ministério, provavelmente de uma empresa terceirizada, a representar o Brasil nos contatos com o tal Pinhas Avivi, que deveria ser recebido na copa, anexa à cozinha do prédio. Se o tal garçon não souber falar inglês, que o tal embaixadorzinho que se vire...
1

2

anterior

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Deixe seu comentário:

NOME*
E-MAIL*
COMENTÁRIO
CÓDIGO:

SIGA-NOS NO GOOGLE+

CURTA NO FACEBOOK

FERRAMENTAS

Enviar por E-mail
Imprimir
13 Comentários




MATÉRIAS RELACIONADAS
Cameron faz reunião de emergência após decapitação
Papa: mundo atravessa Terceira Guerra Mundial
Israelenses se recusam a participar de novos "abusos" do Exército
Cuba enviará 165 profissionais da saúde para combate ao Ebola