terça-feira, 23 de setembro de 2014

יהוה Iehouah Sim יהוה Yehowah versus tradições e aparências

יהוה Iehouah Sim יהוה Yehowah versus tradições e aparências.

Experiências relatadas r relacionadas com precisão tomando este tempo como no princípio - Bereshit. Após um momento de padaria noturna naquela cidade, o viajante avista um grande templo e como parte da família humana estará concentrada em seu Creador, ele é impulsionado a prestar sua gratidão pessoal pela pretendida presença quase invisível. Mas logo a presença ancestral do Creador enfocado na Bíblia judaico-cristã prevalece e assim são passadas orientações e confirmadas situações que somente aquele elemento seriam tão objetivas, logicas e possíveis. Então o líder convoca - sem restrições - presentes ao ato do agradecimento. Uma mulher e ninguém mais. O peregrino diz em si "não é comigo Iehouah, pois não sou deste lugar". A Inteligência Soberana Iehouah não aceita sua resposta, ele resiste. Por fim, o líder, estranhamente, volta a insistir. "Está bem Iehouah, se ele voltar a insistir saberei que será sua demasiada insistência e então solicitarei autorização." - E ele insiste...

Com aceno pede autorização ou rejeição, solicita-se que vá à frente, chamado à parte se lhe pergunta de seu batismo, quer falar de sua crença particular? Não. Batizado em Igreja Evangélica Judaista e membro praticante de uma outra Evangélica que se tornou uma plena Sinagoga Hebraista, homem de mente totalmente focada no Creador Criador Iehouah, apenas pode nutrir o bom desejo de compartilhar sem olhar a quem:
Iehouah é Bom e faz o Bem. Mas por não ser uma pessoa carimbada ou batizada pelo grupo (tipo a marca da Besta?) não lhe cabe sequer dizer publicamente um Muito Obrigado Eterno Santíssimo. Iehouah falou tanto quanto permitiram e mais teria falado se permitissem. Desejou ser agradecido, falado, cantado e louvado bem mais.

Os presentes não podiam permitir, pois a tradição que limita o Ilimitado (isso faz sentido?) é ainda o primeiro ponto de adoração e portanto idolatria extremamente visível e consciente, ou ao menos latente.  O Espírito Iehouah causa que o líder chame por Ele, mas este rejeita por si. O que adianta vencer supostos daimons e ser derrotado por seu próprio daimon tão comum e constante? Cena observada não apenas em Alagoinhas, mas também na Estrada do Coco, em grupo similar a anjos de Dante e ao mesmo tempo resistidores (Satã: Resistidor em hebraico) ao conteúdo portado constantemente em mãos. Unicos ou isolados? De modo algum! Há forte indício que afrontas da Ortodoxia Judaica pós Babilónia contra O Absoluto Iehouah, descartadas por Yeshu'a Netser, seguidores e grupos essênios bem como movimentos de Escribas, avançaram na corrente do tempo influenciando o desenvolvimento de linhagens judaicas e cristãs durante mais de dois mil anos, delineando os aspectos mais detestáveis e condenaveis do islamismo e ainda das correntes laicas, universalistas e pseudo-humanistas que competem como opções globais para a pessoa não ser classificada como religiosa. Os defeitos viscerais de Testemunhas de Jeová, Congregacionalistas, Antigos Adventistas, Mórmons, Humanistas, Kardecistas, Islamitas e Materialistas são precedidos na endo-estrutura do Judaísmo Ortodoxo, formado a partir do retorno do Cativeiro Babilonico e culminando na Notoria Diáspora causada pelo Império Romano. Este é o maior oponente global de Iehouah e mesmo assim a ordem indiscutível dele é da hegemonia de Israel e do Judaísmo Internacional no que lhe compete sem obstruções, oposições e com todo apoio necessário ou possível. Claro, lógico, seja judeu ou não, ninguém vence Iehouah e Ele Prevalece em todos os aspectos sempre.