domingo, 14 de setembro de 2014

ISRAEL MEDINAT, SIM, O ESTADO DE ISRAEL DEVE PROMOVER CONDIÇÕES ECONOMICAS-MILITARES DESTE PASTOR E SUA IGREJA CONTINUAR ATUANDO NO SETOR DESEJADO, ASSIM COMO OS PALESTINOS OU ÁRABES RESIDENTES EM JERUSALEM DEVEM RESPEITAR VOLUNTÁRIA OU FORÇADAMENTE PESSOAS DE QUALQUER CRENÇAS OU PREFERÊNCIAS, SOBRE PENA DE SER AVALIADA POSSIBILIDADE DE EXÍLIO OU MESMO CÁRCERE PARA OS DISPOSTOS A PERTURBAR O EQUILÍBRIO DA SOCIEDADE ISRAELENSE, AO QUE SUPOSTOS 43 TRAIDORES DO POVO DE ISRAEL MERECEM SER OS PRIMEIROS.



http://noticias.gospelprime.com.br/muculmanos-fecham-igreja-crista-jerusalem/

4 de setembro de 2014
Muçulmanos fecham igreja cristã em Jerusalém
Jarbas Aragão





Uma igreja cristã palestina em Jerusalém Oriental foi forçada a fechar suas portas após anos de perseguição. Seus vizinhos muçulmanos já haviam ateado fogo ao local, ameaçado fisicamente ou intimidado membros da congregação.

O pastor Steven Khoury, que lidera a Igreja Batista do Calvário, afiliada ao ministério Missões Cristãs Evangélicas na Terra Santa, afirma que está decidido a continuar pregando em Jerusalém.

“Eu acredito nesta mensagem tão fortemente que eu estou disposto a arriscar a minha vida… Eu ainda acredito que essas pessoas verão que estamos comprometidos, tanto quando eles são com sua religião. Estamos dispostos a morrer por nossa fé tanto quando eles estão também”, afirmou.

A igreja estava localizada no bairro Shuafat, mas quando os muçulmanos palestinos ameaçaram matar o proprietário do edifício, a igreja foi “despejada”. Khoury disse que essa perseguição de certa forma reforça a igreja. Ele conta que a igreja cresceu muito depois das ameaças e que os cristãos se tornaram mais unidos.

Khoury conta que logo após a igreja ser inaugurada, em 2007, os moradores do bairro predominantemente muçulmano mostraram sua insatisfação. Dez dias após a abertura, um membro foi atacado com uma faca por um muçulmano. Pouco tempo depois o templo foi vítima de um incêndio criminoso e episódios de vandalismo.

Recentemente, a igreja mudou-se para um local maior no mesmo bairro, para abrigar melhor o rebanho crescente. A situação da igreja piorou muito após ele viajar aos EUA e dar entrevistas a canais de TV onde denunciou as perseguições contra os cristãos em Israel. Segundo o pastor, quando ele voltou, recebeu a notícia que estava sendo despejado.

Se conseguirem comprar um terreno, os custos para edificar um templo próprio giram em torno de US$ 3,5 milhões. “Sendo Jerusalém uma cidade sagrada para as três principais religiões do mundo e tendo pouca terra ainda disponível, Jerusalém tronou-se um dos mercados imobiliários mais caros do mundo”, disse Khoury. “Pela fé, estamos pedindo ao Senhor que nos ajude a levantar o dinheiro”. Até que isso ocorra, estão usando uma sala comercial para realizar os cultos duas vezes por semana. Com informações Ecumenical News e CBN

Categorias: Israel
Tags: igreja perseguida, Jerusalém


Voltar ao topo
MóvelÁrea De Trabalho