terça-feira, 23 de setembro de 2014

O ESPAÇO AÉREO DE ISRAEL TEM QUE SER DEFENDIDO DE TODO ELEMENTO EXTERNO E SEUS ATAQUES PREVENTIVOS QUANDO NECESSÁRIO DEVEM TER ALCANCE E RESULTADO TANTO GLOBAL COMO ESPACIAL


http://www.publico.pt/mundo/noticia/israel-abate-caca-sirio-sobre-os-montes-gola-1670562#/0


Israel abate caça sírio sobre os montes Golã
PÚBLICO 23/09/2014 - 10:00
Aparelho participaria no combate aos guerrilheiros da Frente al-Nusra que tomaram posto fronteiriço na zona.


Imagem do caça sírio em chamas captada por um fotógrafo da AFPJALAA MAREY/AFP

Israel abateu nesta terça-feira um avião militar sírio que acusa de ter entrado no seu espaço aéreo, sobre a zona que ocupa nos montes Golã. Trata-se do primeiro incidente do género em 30 anos entre os dois países ainda formalmente em guerra.

Um porta-voz do Exército anunciou, através da rede social Twitter, que o aparelho “invadiu o espaço aéreo sobre os montes Golã e foi abatido por [mísseis] Patriot do sistema de defesa antiaéreo” israelita. Ao que tudo indica, o avião participaria nos ataques aéreos contra os combatentes da Frente al-Nusra, movimento islamista ligado à Al-Qaeda, que nas últimas semanas ocupou um posto na fronteira com Israel.

Uma fonte militar ouvida pela Reuters adianta que se tratava de um caça Sukhoi, mas a rádio militar israelita fala num Mig-21 — ambos os aparelhos são de fabrico russo e integram a força aérea do regime de Bashar al-Assad —, cujos destroços terão caído sobre a parte síria dos montes Golã. Não há informações sobre a sorte do piloto.

O regime sírio já confirmou a perda de um avião de combate, no que descreveu como um acto de agressão por parte de Israel, com quem continua oficialmente em guerra. O abate surge “no quadro de um apoio [de Israel] aos terroristas [do Estado Islâmico] e à Frente al-Nusra”, acusou a televisão estatal, associando o incidente aos ataques lançados durante a madrugada pela aviação norte-americana contra alvos dos jihadistas no Norte e Leste do país.

Trata-se do pior incidente transfronteiriço desde o início da guerra na Síria, em 2011, e acontece depois do reacender dos combates entre o regime e a oposição na parte síria dos montes Golã. Já antes, vários obuses disparados entre os beligerantes tinham caído no sector que Israel ocupa desde 1967 naquele planalto estratégico, provocando retaliações limitadas.

A 31 de Agosto, Israel tinha reivindicado o abate de um drone que teria sobrevoado o sector israelita dos Golã, mas é preciso recuar até 1985 para encontrar um incidente idêntico ao desta terça-feira. Na altura, recorda a Reuters, caças israelitas que efectuavam uma missão de vigilância sobre a parte ocupada do Líbano destruíram dois Mig-23 sírios que se aproximaram deles.