terça-feira, 9 de setembro de 2014

Que Israel dê um basta na inutil histeria islamonazista palestina


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/09/preso-palestino-morre-em-prisao-no-sul-de-israel.html

Preso palestino morre em prisão no sul
de Israel
Penitenciária israelense diz que preso se suicidou. Palestinos rejeitam versão e pedem investigação internacional.
09/09/2014 11h41 - Atualizado em 09/09/2014 11h41
Da AFP
Um preso palestino detido por Israel em julho morreu nesta terça-feira (9) ao se suicidar, segundo a administração penitenciária israelense, uma versão que os palestinos rejeitam.
Fontes palestinas identificaram o preso como Raed Abdel Salam al-Jaabari, de 35 anos, e disseram que as circunstâncias de sua morte são misteriosas.
Um porta-voz da administração penitenciária israelense, Sivan Weizman, disse à agência France Presse que o preso se enforcou no banheiro da prisão de Eshel, na cidade de Beersheva (sul).
Segundo ela, a equipe médica e de vigilantes conseguiu reanimá-lo, mas a caminho do hospital ele sofreu uma parada cardíaca e faleceu.
O Clube de Prisioneiros Palestinos rejeitou a versão dos fatos, afirmando que Raed Abdel Salam al-Jaabari morreu "em circunstâncias misteriosas", razão pela qual pediu uma investigação internacional.
Issa Qaraqaa, que dirige o comitê palestino encarregado dos prisioneiros, acusou Israel de ser responsável pela morte de Al-Jaabari, originário de Hebron, no sul da Cisjordânia.
"Os israelenses dizem que ele se enforcou, mas é uma mentira", declarou à AFP. "Israel é responsável por sua morte. Isso é um crime de guerra", acrescentou o funcionário.
Em meados de junho, Israel lançou uma campanha de detenções em resposta ao sequestro e assassinato de três adolescentes israelenses na Cisjordânia ocupada. Mais de 2 mil palestinos foram detidos, segundo o Clube de Prisioneiros, que tem contabilizados atualmente mais de 7 mil palestinos nas prisões israelenses.

O caso deflagrou um conflito entre Israel e a Faixa de Gaza que durou 50 dias e terminou com a morte de 2.100 palestinos, em sua maioria civis, e 66 soldados e seis civis do lado de Israel.