segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Sionistas israelenses e israelitas compreendem os sentimentos sinceros da companheira Rússia, mas exortamos que fique em paz, pois o que Bibi está fazendo ainda é pouco diante da necessidade e isto também é bom pra vós.


Thttp://portuguese.ruvr.ru/news/2014_0
9_01/Moscou-est-preocupada-com-planos-israelenses-de-anexar-parte-de-terras-palestinas-7793/

Ontem, 15:09
Moscou está preocupada com planos israelenses de anexar parte de terras palestinas

Foto: Flickr.com/Tony Frates/cc-by-nc-sa 3.0
Preocupada com os desígnios de Israel de anexar 400 hectares de terras na área palestina, Moscou apela a reconsiderar estes planos, disse o Ministério das Relações Exteriores da Federação da Rússia.

"Uma vez dado, tal passo unilateral prejudicaria significativamente as perspectivas do processo de paz palestino-israelense baseado, como é conhecido, no respeito das fronteiras do futuro Estado palestino de acordo com as delineadas em 1967 e as trocas territoriais acordadas", lê-se num comentário emitido pela chancelaria russa.
"Estamos convencidos de que num ambiente extremamente conflituoso, prevalecente agora nas relações palestino-israelenses, seriam altamente demandados os gestos de boa vontade das duas partes que possam evitar uma nova escalada de tensão e criar condições para reatar as negociações de paz sobre todas as questões do estatuto final dos territórios palestinos em conformidade com o quadro jurídico internacional existente", salienta o Ministério das Relações Exteriores.
Palestina, Israel, Ministério das Relações Exteriores, Rússia, disputas territoriais, Internacional
Recomendar:

 

Comentários
#GRIFAO Ontem, 19:34
Na realidade, Palestina como estado nunca existiu antes de Israel ter adquirido o status de Estado em 1948, e nem muito depois. Tais áreas de terra onde hoje está circunscrito o estado de Israel e grande parte da peninsula arábica, eram de domínio turco, que perdendo o poder de facto, resultou na passagem de domínio para a Inglaterra em determinadas áreas e em algumas partes tais como Jordânia, Arábia Saudita, etc. foram ali estabelecidos governos árabes, que não tinham poder em áreas britânicas de onde emergiu o Estado de Israel. Nestas áreas, a Turquia era quem mandava, dirigia (mal e porcamente). O domínio turco foi quebrado pela força moral de um espião inglês que conseguiu criar uma espécie de "união" entre árabes, quebrando a espinha do império turco. Tal espião inglês, um gênio militar, hoje é conhecido como Lawrence da Arábia (Thomas Edward Lawrence). E a Rússia hoje dirigida também por um gênio militar, político e na área de espionagem, o senhor Vladimir Putin, deveria reconhecer isso, que palestinos nunca forma uma nação, nunca tiveram um Estado, pois são desequilibrados emocionalmente, fanáticos religiosos e sempre desunidos guerreando uns contra os outros. Não há essa coisa de união árabe, união entre árabes; o que há é um morticinio de árabes entre si.