quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A Rússia não precisa virar americana ou judia para se beneficiar de parcerias mundiais adequadas. A falta de compreensão disso já se denunciou em outras fases de sua história. Nunca é tarde para acertar.

http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=3243854&seccao=M%E9dio%20Oriente

MINISTRO DA DEFESA DIZ

Israel saberá o que fazer se Rússia fornecer mísseis à Síria

por Lusa28 maio 20132 comentários
O ministro israelita da Defesa, Moshe Yaalon, advertiu hoje que o seu país "saberá o que fazer" caso a Rússia concretize o envio de complexos de mísseis antiaéreos S-300 para a Síria.
"Os mísseis são uma ameaça (para Israel) e posso ter fé em que não se acelere a venda. Esperemos que ela não se concretize, mas se acontecer, saberemos o que fazer", afirmou durante uma visita a uma base militar, segundo a edição digital do diário Yediot Aharonot.
Yaalon não pormenorizou o tipo de ações a que se referia, mas o governo sírio e fontes ocidentais responsabilizaram Israel pelos bombardeamentos no início de maio, e outro em janeiro, contra alvos em território sírio.
Segundo os media internacionais, os alvos atacados transportavam armas que iriam ser fornecidas por Damasco à milícia do movimento libanês pró-iraniano Hezbollah, aliado do Presidente Bashar Assad na guerra civil síria.
Os mísseis S-300 são um importante escudo antiaéreo com que Assad tenciona evitar incursões aéreas, quer de Israel, quer no caso do Ocidente decidir intervir militarmente.
Yaalón explicou que a Rússia, apesar das suas declarações em defesa do acordo com a Síria, de que traria "estabilidade" à região ao impedir uma internacionalização do conflito, ainda não enviou os mísseis para o Exército sírio.

Ler Artigo Completo(Pág.1/2)Página seguinte
PATROCÍNIO
 
4498Visualizações
0Impressões
2Comentários
0Envios