segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Amo este povo. Conte sempre com os leais do Absoluto Iehouah Elohim, querido Grande Israel.


segunda-feira, Outubro 20, 2014

MAIORIA DOS JUDEUS CONTRA ESTADO PALESTINIANO QUE IMPLIQUE DIVISÃO DE JERUSALÉM

Neste tempo conturbado que se vive em Israel, há uma coisa que ainda consegue unir a vasta opinião pública dos judeus ali residentes: a questão de Jerusalém, a capital una, indivisível e eterna de Israel.
E, não obstante a oposição norte-americana às novas construções na capital israelita, uma pesquisa revelada ontem em Israel comprova que mais de três quartos da população judaica opõe-se à formação de um estado palestiniano que tenha Jerusalém como sua capital.
Esta sondagem foi promovida pelo"Centro de Jerusalém para os Assuntos Públicos" e veio revelar que 76% da população judaica opõe-se a um estado palestiniano que inclua a divisão da Cidade de Jerusalém. Essa posição maioritária fornece ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu "munições" para confrontar a arrogância de Obama, cuja administração tenta a todo o custo impedir a construção de novas construções em Jerusalém e a ocupação de algumas residência por judeus no bairro de Siloé, de maioria árabe.
Apesar das duras críticas dos norte-americanos, Netanyahu bateu-lhes o pé e clarificou que Jerusalém não é um "colonato", e que Israel iria não só continuar a construir na Cidade, mas que os judeus poderiam comprar propriedades em qualquer parte da Cidade, tal como os árabes podem também fazer.
Neste inquérito popular, respondendo à questão se apoiariam o estabelecimento de um estado palestiniano com fronteiras iguais às anteriores a 1967, 74% dos inquiridos opuseram-se a esta medida, 18% apoiaram-na e 8% alegaram não saber ou não querer responder.
Esta sondagem confirma o quanto os judeus israelitas apoiam Netanyahu quando ele afirma que o país tem de manter uma presença de segurança no vale do Jordão, ao mesmo tempo que 75% dos inquiridos responderam que se oporiam ao estabelecimento de um estado palestiniano se tal envolvesse a retirada do vale do Jordão. Apenas 11,5% apoiariam tal retirada. Os mesmos 75% declararam opor-se à substituição das tropas das Forças de Defesa de Israel por outras internacionais.

Shalom, Israel! 

Sem comentários: