sexta-feira, 17 de outubro de 2014

http://palestinalivree.blogspot.com.br/2014/10/escritor-libanes-jordania-e-palestina.html?m=1


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Escritor libanês: a Jordânia é a Palestina

O escritor libanês Farid Salman (فريد سلمان) concede uma entrevista abordando vários temas relacionados ao Oriente Médio. Ele começa afirmando que já existe um estado árabe-palestino e fala também sobre o massacre de palestinos na Jordânia (nos conflitos do Setembro Negro). Depois ele acusa o rei Hussein de estar por trás da invasão palestina do Líbano e revela que os muçulmanos sunitas libaneses e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) estão tentando tomar o país através de uma guerra demográfica.



Farid Salman: A Jordânia é uma invenção. A Transjordânia, que era um emirado e que depois se tornou o reino hachemita, é parte da Palestina. Esta continua a ser a perpétua razão... sem removê-la, a questão palestina não será resovida. E impossível.

Entrevistador: Algumas pessoas em Israel falam na "opção jordaniana"... 

Farid Salman:  Eles estão certos.

Entrevistador: Nos dias de Abba Eban...

Farid Salman: Perdemos uma grande oportunidade com Abba Eban.

Entrevistador: Esse é o motivo pelo qual as batalhas do Setembro Negro ocorreram em 1969-1970, e a crise foi deslocada para cá, para o Líbano...
Mas o rei Hussein estabilizou seu poder...

Farid Salman: Não foi ele.
Os ingleses estabilizaram o trono. Glubb Pasha o fez por seu avô, e os ingleses continuam a fazê-lo até os dias de hoje. Os israelenses também [foram responsáveis por estabilizar o governo jordaniano].

Hoje eu não sei se devo rir ou chorar quando ouço um jordaniano dizer que é jordaniano, e que há palestinos em campos de refugiados na Jordânia. Ele esqueceu que é um palestino. O que queres dizer com "jordaniano"?

A margem ocidental (Israel e territórios em disputa) é o mesmo que a margem oriental (a Jordânia).

O rei da Jordânia  estava por trás da guerra no Líbano. Ele mandou os palestinos para o Líbano. Não podemos esquecer o papel que a Jordânia  teve no Líbano.

Nós transformamos o "direito de retorno" em um casus belli...
Deixe-me lhe dizer uma coisa: quando um estado palestino for estabelecido, e a Jordânia  se tornar o estado palestino junto com a Cisjordânia...

Entrevistador: Esta é a solução em sua opinião?

Farid Salman: Claro.

Quando isso acontecer, não precisaremos de aprovação israelense para reassentamentos. Quando existir um estado palestino, ele convidará todos os palestinos.
A Jordânia pode receber 30 milhões. Só em Nova Iorque háá 20 milhões de pessoas.

Entrevistador: Você acha que estamos no início de um processo de colapso dos regimes da região?

Farid Salman: Claro.

Entrevistador: Como dominós, um vai levar a derrubada do outro?

Farid Salman: Sem dúvida.
Não há outra solução para o Oriente Médio.

Quem inventou a história do reassentamento [de palestinos] no Líbano? Sejamos claros, foram os [muçulmanos] sunitas. Al-Hariri o fez e sua irmã continua pelo mesmo caminho. O embaixador palestino no Líbano é cúmplice deles.

Entrevistador: Abbas Zaki[1]

Farid Salman: Ele, junto com Fuad Siniora.

Há um plano para aumentar o número de [muçulmanos] sunitas através do reassentamento de palestinos no Líbano. São eles os que falam sobre reassentamento.

Nenhum comentário: