sábado, 11 de outubro de 2014

O MAR DEVE SER UM SANTUÁRIO PARA TODOS E PRESERVADO POR TODOS. POR IEHOUAH ISTO É ISRAEL. VEJAM CAROS AMIGOS SUA ÉPOCA


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/10/seis-israelenses-chegam-nadando-israel-procedentes-do-chipre.html

Seis israelenses chegam nadando a Israel procedentes do Chipre
Ação foi patrocinada por ONG que luta contra poluição marítima. Nadadores se revezaram durante cinco dias, nadando uma hora cada um.
11/10/2014 13h37 - Atualizado em 11/10/2014 13h37
Da France Presse
Nadadores israelenses Ben Enosh, Luc Chetboun, Ud Erel, Ori Sela, Doron Amosi e Oded Rahav saem da água depois de nadarem 400 km do Chipre até Israel (Foto: AFP Photo/Jack Guez)Nadadores israelenses Ben Enosh, Luc Chetboun, Ud Erel, Ori Sela, Doron Amosi e Oded Rahav saem da água depois de nadarem quase 400 km do Chipre até Israel (Foto: AFP Photo/Jack Guez)
Seis israelenses que saíram da ilha do Chipre no dia 5 de outubro para tentar bater o recorde mundial de natação em águas abertas afirmaram neste sábado (11) ter vencido a aposta ao chegar ao porto israelense de Herzliya depois de percorrer 380 km por turnos.
A aposta era patrocinada por uma organização não governamental que luta contra a poluição marítima. Os seis saíram de Pafos, no sul do Chipre, e foram se revezando durante 24 horas por cinco dias, uma hora cada um.
  Israelenses nadam para cumprir desafio  (Foto: AFP Photo/Jack Guez)Israelenses nadam para cumprir desafio
(Foto: AFP Photo/Jack Guez)
"Batemos o recorde mundial de natação por turnos e em águas abertas: 380 km entre Chipre e Israel", indicaram em um comunicado.
"Existia um recorde mundial de natação em águas abertas de 366 km nas mãos de americanos e decidimos desafiá-lo", afirmou um dos nadadores, Oded Rahav.
Os nadadores, de 41 a 66 anos, treinaram durante um ano e levaram equipamentos para registrar a sua proeza para que ela seja registrada pelo livro Guiness dos Recordes.
Os nadadores já tentaram completar o percurso no ano passado, mas precisaram desistir no meio do caminho devido a uma tempestade.
Desta vez foram as águas-vivas, a temperatura da água e a onipresença de sacos plásticos na água o que dificultou a travessia.
"Nadar em meio a sacos plásticos é insuportável, o mar deve ser um santuário para todos e deve ser preservado por todos", declararam em sua chegada.
 Nadadores posam para foto com bandeira depois de percorrerem 380 km nadando (Foto: AFP Photo/Jack Guez)Nadadores posam para foto com bandeira depois de percorrerem 380 km nadando (Foto: AFP Photo/Jack Guez)
Mundo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais