terça-feira, 7 de outubro de 2014

Rublin, Bibi e Avigdor são um dos melhores trios que já comandaram Israel, mas não podem esquecer da vida e sobrevivência israelense e israelita alcançada e reafirmada através de heróis célebres e inigualáveis, superações vitais de um povo, nação e comunidade Iehouah chamada Israel



Manifestantes agitam bandeiras palestinas em frente a um assentamento israelense
Musa al-Shaer/AFP
MUNDO06/10/2014 10:24
Israel repreende embaixador sueco por reconhecer Palestina
EFE
 20 views 0
Jerusalém - O Ministério das Relações Exteriores de Israel repreendeu nesta segunda-feira o embaixador da Suécia em Tel Aviv, Carl Magnus, pelo anúncio feito na sexta-feira pelo primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, que reconhecerá o Estado da Palestina, informou a imprensa local.

"A reprimenda para a qual foi convocado o embaixador sueco já terminou. Magnus se reuniu com o subdiretor-geral para Assuntos da Europa ocidental, Aviv Shiron, e o chefe da seção do Norte da Europa, Amir Maimon", explicou o jornal "Yedioth Ahronoth" em seu site.

"O embaixador foi repreendido após o discurso do primeiro-ministro, Stefan Löfven, sobre a intenção de seu governo de apoiar o estabelecimento do Estado palestino", acrescentou.


Magnus foi convocado ontem pelo ministro, o ultranacionalista Avigdor Lieberman, que acusou Löfven de "não ter assumido que foram os palestinos que colocaram obstáculos para a paz nos últimos 20 anos".

"O primeiro-ministro sueco precisa entender que qualquer declaração ou qualquer passo de um elemento externo não servirá de alternativa para as negociações diretas entre as duas partes", afirmou Lieberman.

"A solução só deve ser parte de um acordo inclusivo entre Israel e o mundo árabe" acrescentou o ministro em comunicado enviado à imprensa.

Lieberman insinuou que a decisão do primeiro-ministro sueco carece de visão internacional e é, sobretudo, um assunto de prestígio interno.

"Se o que preocupava o primeiro-ministro sueco em seu discurso inaugural era a situação no Oriente Médio, deveria ter focado nos assuntos atuais da região, como o massacre na Síria, no Iraque e em outras partes", afirmou.

Löfven contou no domingo, no entanto, com o apoio da presidente do partido de esquerda "Meretz", Zahava Gal-On, que louvou sua iniciativa e criticou com firmeza a decisão de Lieberman de convocar o embaixador.

A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) comemorou no sábado a decisão da Suécia e pediu que outros países seguissem o exemplo de Estocolmo.

"O anúncio da Suécia é um sinal de um compromisso genuíno com a justiça e os requisitos para a paz, entre eles a solução dos dois Estados nas fronteiras de 1967", afirmou Hanan Asrawi, membro do comitê executivo da OLP.

Após saber da decisão sueca, os Estados Unidos afirmaram que consideram "prematuro" o reconhecimento da Palestina como Estado e que esse passo só deve ser tomado quando for concluído o processo de paz com Israel.

Tags: Israel, Palestina, Suécia

Recomendamos para você

Vídeo da decapitação de jornalista americano é autêntico
Mundo

Igreja deve acolher gays e divorciados, diz documento base
Mundo
FROM THE WEB
Os administradores de TI devem ter uma visibilidade nítida de sua infraestrutura
Dell
Recomendado por
Sugestão dos editores

Quer pagar quanto?
Sites compram smartphones usados por bom preço

2º turno
No fim das contas, o que Aécio ganha com o apoio de Marina?

Segurança
Já pensou em dirigir um carro imune a acidentes fatais?
Comentários

 Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados
Interface clássica »