domingo, 19 de outubro de 2014

SHALOM ISRAEL - IEHOUAH É CONTIGO




sábado, Outubro 18, 2014

PALESTINIANOS PRESSIONAM A ONU CONTRA ISRAEL



O representante palestiniano na ONU afirmou ontem que o seu grupo político quer que o Conselho de Segurança da ONU vote uma resolução até ao final do ano exigindo que Israel se retire dos territórios "ocupados" depois da Guerra dos Seis Dias, em Junho de 1967.

Novembro de 2016 é o prazo limite que os palestinianos querem impôr para que as tropas israelitas saiam dessas zonas que fazem parte do Israel bíblico oferecido por Deus ao povo judeu.

O embaixador palestiniano Riyad Mansour adiantou ainda que se a resolução for derrotada - o que é mais do que provável devido à oposição dos Estados Unidos e de outros países - os palestinianos"terão outras opções."

Representantes palestinianos alegam ter já o "sim" de 7 países para a votação dentre os 15 membros do Conselho de Segurança, e que estão procurando mais apoios.

São necessários nove votos no mínimo para a aprovação, mas a proposta pode mesmo assim ser vetada por um dos 5 membros permanentes, dos quais os EUA fazem parte.

A frustração palestiniana com o impasse nas conversações para a paz é muito grande, mas toda a responsabilidade pertence a eles, uma vez que, violando todos os acordos anteriormente feitos com Israel, decidiram fazer uma aliança com o grupo terrorista Hamas, que por sua vez decidiu atacar Israel com centenas de mísseis lançados contra as suas populações civis.

A embaixadora norte-americana na ONU afirmou que os Estados Unidos preferem ver o restabelecimento das conversações entre ambas as partes, julgando ser essa a única forma de se resolver este conflito.

Segundo o embaixador israelita, esta é mais uma vez a prática palestiniana de contornar a responsabilidade de estar à mesa das negociações, preferindo antes tomar acções unilaterais, que Israel obviamente não pode aceitar.

Shalom, Israel!

Publicada por Shalom à(s) 10/18/2014 Sem comentários:

Enviar a mensagem por e-mailDê a sua opinião!Partilhar no TwitterPartilhar no FacebookPartilhar no Pinterest

sexta-feira, Outubro 17, 2014

APÓS PROFERIR DECLARAÇÕES DIGNAS DE UM IDIOTA, JOHN KERRY É FORTEMENTE CRITICADO PELOS MINISTROS ISRAELITAS



Após ter proferido lamentáveis declaraçõesjustificando o crescimento do grupo terrorista islâmico com o impasse nas conversações de paz entre israelitas e palestinianos, John Kerry tem sido literalmente bombardeado com veementes críticas e condenações por parte dos líderes israelitas.

Segundo as afirmações do secretário de estado norte-americano, as conversações de paz entre israelitas e palestinianos - actualmente estagnadas - são vitais na luta contra o extremismo islâmico.

Talvez o líder americano viesse inspirado do Egipto, de onde tinha acabado de chegar quando proferiu estas idiotices, tendo participado numa conferência internacional onde biliões de dólares foram prometidos para a "reconstrução" de Gaza.

"Não houve um líder que eu tivesse encontrado na região e que não abordasse comigo a necessidade de se conseguir a paz entre israelitas e palestinianos, uma vez que o seu fracasso era uma causa para o recrutamento, da fúria e da agitação nas ruas" - afirmou Kerry.

O líder americano acabou por incriminar o estado judaico, alegando que, ao negar-lhes um estado, Israel era responsável pela humilhação dos palestinianos.

ISRAEL NÃO POUPA ESTA IMBECILIDADE

Logo que Kerry proferiu esta verdadeira imbecilidade, vários líderes israelitas não perderam tempo a pronunciar-se sobre tão lamentável comparação.



O ministro da Economia, Naftali Bennett, não poupou palavras de crítica ao americano: "Acontece que até quando um muçulmano britânico decapita um cristão britânico, haverá sempre alguém disposto a acusar o judeu."

Segundo Bennett, estes infelizes comentários de Kerry acabam por ajudar o grupo terrorista islâmico: "O terrorismo não pode ser justificado, tem de ser é combatido."

"A alegação de que o conflito israelo-palestiniano fortalece oDaesh (acrónimo em árabe para o grupo do estado islâmico) é um encorajamento para o terrorismo global" - acrescentou Bennett.

"Sugiro que escutemos o Daesh e os levemos a sério. São terroristas que querem tomar o controle do Médio Oriente. Ou se luta contra isso, ou então acabamos por justificá-lo. A escolha está nas mãos do mundo e ele irá pagar o preço pela escolha que fizer"- afirmou o ministro israelita.

Claramente um Kerry desajeitado, mal informado, talvez manipulado, enfim, um verdadeiro desastre americano...o grande problema não é tanto a preocupante condição mental do secretário de estado norte-americano, mas as consequências funestas que as mesmas geram na mente dos terroristas islâmicos...

Aplicam-se perfeitamente a este homem as palavras sábias do rei Salomão, escritas há 3 mil anos: "A boca do insensato é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma"- Provérbios 18:7.

Shalom, Israel!

Publicada por Shalom à(s) 10/17/2014 2 comentários:

Enviar a mensagem por e-mailDê a sua opinião!Partilhar no TwitterPartilhar no FacebookPartilhar no Pinterest