segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Bem queridos europeus... O que ocorre entre a Suécia é comum quando o antissemitismo se cristaliza no governo e exala sua ação para o mundo. Notoriamente sobre comandos da esquerda. Quantos de vocês permitirão que tal doença contamine seus países?


Estado Islâmico poderá receber adesão de 300 suecos, diz Inteligência
País criará lei para impedir que cidadãos participem de conflitos no exterior. Pelo menos três mil europeus combatem nas fileiras do EI.
22/11/2014 19h30 - Atualizado em 22/11/2014 19h36
Da France Presse
Até 300 cidadãos suecos poderão combater nas fileiras do grupo Estado Islâmico (EI), alertou o chefe do Serviço de Inteligência sueco em entrevista à rádio pública local, SR, neste sábado (22).
"Confirmamos 100 casos de pessoas que teriam se unido aos combatentes. Além disso, há vários casos suspeitos e casos não registrados, o que nos leva a um total de 250, ou 300 pessoas", declarou Anders Thonberg. Segundo ele, o número de candidatos para fazer a "jihad" na Síria cresce rapidamente.
"Um determinado número de jovens suecos vai para lá, é formado em campos de treinamento e aprende a se tornar terrorista, a usar explosivos e armas", disse Thonberg, explicando que, de volta à Suécia, alguns desses indivíduos estão dispostos a cometer atos terroristas.
No final de outubro, a Suécia anunciou que criaria uma lei para impedir que seus cidadãos participem de conflitos armados no exterior.
Em setembro, o coordenador europeu de luta contra o terrorismo, Gilles de Kerchove, afirmou que pelo menos três mil europeus combatem nas fileiras do EI, provenientes principalmente de França, Reino Unido, Alemanha, Bélgica, Holanda, Suécia e Dinamarca.

Mundo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais