segunda-feira, 3 de novembro de 2014

EM.COM.BR - SIM MINISTRA E CABE A VOCÊS ADMINISTRAR GAZA E CISJORDÂNIA PELO VOSSO BEM-ESTAR E DELES



Israel lamenta pêsames de Abbas por "mártir" que atacou ultranacionalista judeu



AFP - Agence France-Presse
Publicação: 03/11/2014 09:16 Atualização:

O presidente palestino, Mahmud Abbas, enviou uma carta de condolências em que chama de "mártir" o palestino que supostamente atirou contra uma ultranacionalista judeu e de "gangues terroristas" os soldados israelenses que o mataram, o que provocou indignação em Israel.
Abbas enviou no domingo suas condolências à família de Muataz Hijazi, um palestino de 32 anos morto na quinta-feira pela polícia israelense, que o acusou de ser o autor de uma tentativa de assassinato contra Yehuda Glick.
Este último é um dos líderes da direita ultranacionalista israelense.
Em uma mensagem a qual a AFP teve acesso, Abbas expressou "indignação e condenação após o anúncio do assassinato criminoso por gangues terroristas do exército de ocupação israelense contra Muataz Ibrahim Jalil Hijazi, que morreu como mártir defendendo os direitos de nosso povo e de nossos lugares sagrados".
"Enquanto tentamos acalmar a situação, Abu Mazen (Mahmud Abbas) envia condolências após a morte de um homem que tentou cometer um crime hediondo", afirma o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em um comunicado divulgado domingo à noite.
Para o ministro das Relações Exteriores israelense, Avigdor Lieberman, a mensagem de condolências mostra que Abbas é um "parceiro do terrorismo, dos terroristas e assassinos."
A ministra da Justiça de Israel, Tzipi Livni, responsável pelas negociações com os palestinos, disse à rádio pública que o líder palestino "brinca com fogo".
"Ninguém pode viajar pelo mundo condenando a violência e ao mesmo tempo enviar cartas que a incentivam", considerou.