domingo, 16 de novembro de 2014

"Que isto seja perfeitamente claro: nós nunca vamos aceitar que a construção em bairros judeus de Jerusalém seja definida como atividade de colonização", acrescentou o chefe da diplomacia israelense. Sim. Esta é posição inegociável do Soberano Iehouah Elohim. Agora cabe legitimar a autoridade israelense em toda Jerusalém, Judeia e Samaria bem como Gaza, e afins com ofensiva militar e policial a qualquer tentativa de constrangimento ou perversão do Estado Judeu Sionista. Os Yehudah Glick não podem mais ser desprezados poia a ação responsável deles é prioridade de sobrevivência de milhões a longo prazo e pedra de toque a curto prazo.




Atentado contra a ONU no Iraque não tem vítimas
Participantes do G20 chegam a consenso sobre clima
Papa pede alívio de tensões entre imigrantes e locais
Obama fortalece cooperação militar com Japão e Austrália
Argentina põe dívida soberana como tema em texto do G20
Médico contaminado com ebola chega aos EUA para tratamento
Exército nigeriano retoma cidade das estudantes sequestradas
Israel rejeita limitar colonização em Jerusalém Oriental
Destroços de avião começam a ser recuperados na Ucrânia
Potências ocidentais cercam Rússia sobre a crise ucraniana

PreviousNext

MUNDO16/11/2014 10:30

Israel rejeita limitar colonização em Jerusalém Oriental


8 views
0

Ahmad Gharabli/AFPAssentamento judeu de Ramat Shlomo, em Jerusalém Oriental: região foi anexada por Israel após a Guerra dos Seis Dias, em 1967, movimento que não foi reconhecido pela comunidade internacional



Israel não aceitará limitar a construção de novas habitações de colonização em Jerusalém Oriental, garantiu neste domingo o ministro das Relações Exteriores israelense, Avigdor Lieberman.

"Nós não vamos aceitar quaisquer limitações à construção em áreas judaicas de Jerusalém" Oriental, afirmou o ministro ultranacionalista durante coletiva de imprensa com o seu homólogo alemão, Frank-Walter Steinmeier.

A colonização, em particular em Jerusalém Oriental, é considerada como o principal obstáculo para o processo de paz com os palestinos.

"Que isto seja perfeitamente claro: nós nunca vamos aceitar que a construção em bairros judeus de Jerusalém seja definida como atividade de colonização", acrescentou o chefe da diplomacia israelense.

Estas declarações de Lieberman ocorrem quatro dias após Israel aprovar os projetos de construção de 200 casas em Ramot, em Jerusalém Oriental, apesar de meses de tensões e confrontos com os palestinos causados pela política de expansão de assentamentos em territórios ocupados.


Jerusalém Oriental foi anexado por Israel após a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Esta anexação não foi reconhecida pela comunidade internacional.

Tópicos: Conflito árabe-israelense,Israel, Jerusalém, Oriente Médio
E-mail



Sugestões dos Editores10 marcas que mudaram os seus logos em 2014
As 15 melhores escolas de MBA fora dos Estados Unidos
12 filmes para apaixonados por tecnologia


Recomendamos para você

Para onde vai a economia brasileira em 2015, segundo o ItaúEconomia


FROM THE WEBO mundo precisa de mais cientistas, técnicos, engenheiros e matemáticos.Shell no Youtube


Os 10 países onde mais se paga imposto de renda | EXAME.comEconomia

Recomendado porComentários


Versão Desktop


Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados