sexta-feira, 28 de novembro de 2014

SHABAT SHALOM. IEHOUAH ALECHEM



Três morrem em ataque e protesto de islâmicos no Egito
Estado Islâmico não tem fundos para manter territórios
Parlamento francês debate reconhecimento da Palestina
Cameron desafia UE com plano para conter imigração europeia
Comitê da ONU denuncia maus-tratos na Venezuela
Papa e o presidente turco falam de diálogo e islamofobia
Esperma pode transmitir ebola até 82 dias depois da cura
Líder indígena é apresentada candidata a governo de La Paz
Comitê da ONU pede que EUA combatam brutalidade policial
Regime sírio realizou 2.000 ataques em 40 dias

PreviousNext

MUNDO25/11/2014 13:12

Netanyahu diz que palestinos deverão reconhecer Estado judeu


76 views
0

Jack Guez/AFPO primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu: "Israel é a nação Estado do povo judeu"



Jerusalém - O reconhecimento deIsrael como "Estado Judeu" é a base de qualquer futuro acordo de paz entre israelenses e palestinos, afirmou nesta terça-feira o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

"Israel é a nação Estado do povo judeu", disse em reunião com o presidente da República Tcheca, Bohuslav Sobotka, na qual acrescentou que o reconhecimento deste fato por parte dos palestinos "é a base para qualquer acordo de paz".

Os governos israelense e tcheco realizaram hoje em Jerusalém sua cúpula anual, que Netanyahu aproveitou para responder às críticas internas e da comunidade internacional sobre sua intenção de aprovar a lei proposta por quatro deputados ultranacionalistas e que no domingo foi apoiada pelo Executivo israelense em meio a uma famosa polêmica, tem supostamente o objetivo de reforçar o caráter judeu do país frente ao que Netanayhu denominou "desafios" que provêm do exterior.

Os opositores, entre os quais está a ministra da Justiça, Tzipi Livni, consideram que não só danifica a democracia israelense, mas pode ter um efeito bumerangue e prejudicar as relações entre a maioria judaica e as distintas minorias, além da imensa maioria de origem árabe.

"Israel é uma democracia exemplar, assim foi sempre e assim será. Um país que perpetua os direitos individuais de cada um de seus cidadãos", explicou Netanyahu perante as queixas de que a nova lei poderia acabar com os direitos das minorias.


A reinvidicação deste reconhecimento por parte dos palestinos para alcançar um acordo de paz foi colocada pelo primeiro-ministro israelense há vários anos, apesar da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), signatário dos Acordos de Oslo, ter reconhecido o Estado de Israel em 1993.

Junto com a expansão de assentamentos judaicos, a nova reivindicação se transformou em um dos principais empecilhos para o reatamento das negociações, que foram interrompidas no começo do ano.



Tópicos: Conflito árabe-israelense,Israel, Palestina
E-mail



Comentários
Sugestões dos Editores10 marcas que mudaram os seus logos em 2014
As 15 melhores escolas de MBA fora dos Estados Unidos
12 filmes para apaixonados por tecnologia


Recomendamos para você

Fenômeno China pode estar com dias contados, diz estudo | EXAME.comEconomia


Dilma assina MP que eleva mistura de biodiesel no diesel | EXAME.comEconomia


FROM THE WEBPMEs podem ficar na memória dos consumidores após 2016Banco Bradesco

Recomendado por

Versão Desktop


Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados