sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

CIA pode ter cometido e cometer erros que devem ser estudados e evitados, mas isso não dominui os benefícios globais compartilhados do espírito americano para o mundo habitado.


Inhalt
Navigation
Weitere Inhalte
Metanavigation
Suche
Choose from 30 Languages


Albanian Shqip
Amharic አማርኛ
Arabic العربية
Bengali বাংলা
Bosnian B/H/S
Bulgarian Български
Chinese 中文
Croatian Hrvatski
Dari دری
English English
French Français
German Deutsch
Greek Ελληνικά
Hausa Hausa
Hindi हिन्दी
Indonesian Bahasa Indonesia
Kiswahili Kiswahili
Macedonian Македонски
Pashto پښتو
Persian فارسی
Polish Polski
Portuguese Português do Brasil
Portuguese Português para África
Romanian Română
Russian на русском
Serbian Српски/Srpski
Spanish Español
Turkish Türkçe
Ukrainian Українська
Urdu اردو


DW.DE IN 30 LANGUAGES
DW AKADEMIE
SOBRE A DW
Deutsche Welle



NOTÍCIAS

Política
Economia
Cultura e Estilo
Meio Ambiente
Ciência e Tecnologia
Esporte
Futebol

ESPECIAIS
9 de novembro de 1989
Alemanha+Brasil
Ao longo do Reno
Conheça a Alemanha
Copa 2014
Golpe de 64
Legado judaico-alemão no mundo

MEDIATECA

Ao vivo
Todo o conteúdo
PROGRAMAS

África
Angola
Moçambique
Guiné-Bissau
Cabo Verde
São Tomé e Príncipe
Mais África
Emissões
Contraste
Learning by Ear
Especiais
Como vencer a fome em África?
Recursos naturais em África
Moçambique
Angola
Nigéria
Guiné-Conacri
Tanzânia
40 anos 25 de Abril e de independência
Portugal
Guiné-Bissau
Moçambique
Cabo Verde
São Tomé e Príncipe
Angola
Podcasting
Frequências
Quem somos
TV
APRENDER ALEMÃO

CURSOS DE ALEMÃO
Cursos de alemão
Comece já
Deutsch Interaktiv
Mission Europe
Radio D
Deutsch - warum nicht?
Wieso nicht?
Marktplatz
Audiotrainer

DEUTSCH XXL
Deutsch XXL
Deutsch Aktuell
Deutsch im Fokus
Telenovela
Bandtagebuch
Landeskunde

COMMUNITY D
Community D
Das Porträt
Facebook & Co.
Podcasts & Newsletter
Service

DEUTSCH UNTERRICHTEN
Deutsch unterrichten
DW im Unterricht
Unterrichtsreihen
Deutschlehrer-Info
POLÍTICA
ECONOMIA
CULTURA E ESTILO
MEIO AMBIENTE
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
ESPORTE
CONHEÇA A ALEMANHA
NOTÍCIAS / POLÍTICA

MUNDO
Relatório sobre práticas da CIA causa revolta entre árabes

Imprensa e usuários das redes sociais reagem com raiva e indignação aos relatos de torturas cometidas pelo serviço secreto. Métodos mancham imagem dos EUA, afirmam.



"Isso é uma vergonha. As práticas detortura descritas no relatório da CIAtratam com desprezo os princípios da liberdade, dos direitos humanos e do respeito. Elas são contrárias a todos os princípios que os próprios Estados Unidos e seus aliados defendem. O EUA e o Ocidente perdem o direito de nos dar lições sobre democracia e direitos humanos." É com essas palavras que o portal árabe Rai al-Youm abriu o seu comentário sobre os métodos de interrogatório divulgados pela agência de inteligência americana.

Segundo o jornal, o relatório expõe fatos e isso é bem-vindo, escreveu o jornal. Mas não se deve supor que a publicação reforçará os princípios da justiça e da liberdade de informação. Afinal de contas, o documento só foi publicado 13 anos depois dos acontecimentos. Além disso, ninguém vai ser responsabilizado. Pessoas foram torturadas porque eram muçulmanas, prossegue o texto do Rai al-Youm.

Elas foram declaradas "terroristas" e, com isso, quem o fez se achou no direito de tratá-las de forma desumana, afirma o jornal. E isso foi feito em nome de um Estado que se considera o líder do mundo livre, continua. "E este Estado bombardeou com aviões países estrangeiros, os ocupou, alterou a sua ordem e matou em nome da liberdade e da democracia centenas de milhares de seus cidadãos. Assim aconteceu no Iraque, na Síria, na Líbia e no Iêmen."

O editor do Rai al-Youm, Abdel Bari Atwan, é conhecido por seus textos afiados e muitas vezes polêmicos. Mas as palavras dele expressam a raiva e a indignação que o relatório sobre as práticas de tortura cometidas pela CIA provocou no mundo árabe. Nas redes sociais, muitos árabes não estão guardando para si os seus comentários e opiniões.

Teorias conspiratórias


Prisioneiros sendo interrogados em Guantánamo

"Os Estados Unidos tentam se retratar como um bastião da liberdade de expressão, do Estado de Direito e da democracia", escreveu um leitor do jornal Al-Ilaf. Mas, na verdade, por trás dessa fachada se esconde uma ditadura autoritária, afirma. "Esta não acredita na humanidade, na moral, em princípios e valores. Esses são apenas slogans que ela joga para os americanos."

Teorias conspiratórias também se disseminam. Segundo um leitor do jornal Al-Haya, é óbvio que os EUA e Israel estão por trás do terrorismo islâmico da Al Qaeda: "Foram eles que colocaram Osama bin Laden e sua gangue em condições de causar tantos danos violentos, de matar milhões de crianças, mulheres e jovens, de expulsar outras inúmeras pessoas e provocar um enorme caos no mundo árabe."

Um telespectador do canal de televisão Al Jazeera vê a raiz de todo o mal na política interna dos Estados Unidos. Se a polícia mata afro-americanos em solo americano, então muçulmanos no exterior certamente não podem esperar Justiça. Mas o autor também aponta para as relações de poder no Oriente Médio: "O que Bashar al-Assad, Abdel Fath al-Sissi e Israel fazem com o nosso povo é a melhor prova de que é besteira acreditar em justiça quando se está sob o domínio do colonialismo e do capitalismo."


Foto que ficou mundialmente famosa mostrando um preso sendo torturado em Abu Ghraib

Um outro telespectador, porém, escreve que também é preciso olhar para as próprias ações. É verdade que os americanos agiram como bestas, afirma. "Mas, perto do que árabes ou muçulmanos fazem física e mentalmente uns com os outros, os selvagens ocidentais ou americanos são anjos."

Surpresa com o momento da divulgação

Era previsível que o relatório desencadearia consternação, raiva e indignação, escreveu o colunista Said Arikat, do portal Al-Arabi Al-Jadeed. Por isso ele se mostrou surpreso com o momento da divulgação: "Foi sábio e prudente publicar este relatório exatamente agora, num momento em que os EUA estão diretamente envolvidos num conflito no mundo árabe? Ou foi simplesmente uma escolha infeliz, que será usada para despertar sentimentos antiamericanos?"

Em todo caso, Arikat constatou que os métodos descritos no relatório mancham a imagem dos EUA. "O relatório vai lançar uma sombra sobre o engajamento americano por direitos humanos e liberdade, além de reduzir a sua influência no mundo." Na verdade, isso não se aplica apenas aos EUA, acrescentou Arikat. "Qualquer sociedade que considera a tortura uma prática legítima abre mão de uma grande parte de sua liberdade."

MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO


Diretor da CIA admite uso de métodos "repulsivos" em interrogatórios

John Brennan afirma que polêmico programa antiterrorismo iniciado após o 11 de Setembro produziu informações úteis, mas ressalva que é impossível saber se elas poderiam ser obtidas sem o emprego das "técnicas ampliadas". (11.12.2014)


"EUA devem fazer o que pregam sobre tortura", exige ex-promotor de Guantánamo

Morris Davis, ex-responsável pelos tribunais militares extraordinários em Guantánamo, crê em efeitos positivos da divulgação do relatório da CIA. Em entrevista à DW, reafirma: tortura não serve a nenhum propósito útil. (11.12.2014)


Opinião: É necessário punir responsáveis por torturas na CIA

Chocantes práticas do serviço secreto tiveram respaldo político e jurídico explícito do então governo dos EUA, afirma o articulista Michael Knigge, da redação inglesa. (11.12.2014)


Ex-presidente da Polônia admite que país abrigou prisão secreta da CIA

Aleksander Kwasniewski afirma, porém, que não sabia que prisioneiros eram torturados no local. Base funcionou de 2002 a 2003, quando foi fechada a pedido dos poloneses. (10.12.2014)


ONU pede julgamento de responsáveis por tortura na CIA

"Proibição da tortura é absoluta", afirma secretário-geral Ban Ki-moon. Mas Departamento de Justiça descarta abrir processos criminais contra responsáveis, e EUA não são membros do Tribunal Penal Internacional. (10.12.2014)


Senado dos EUA acusa CIA de mentir sobre tortura

Agência usou métodos de interrogatório brutais e muito piores do que havia admitido e enganou Casa Branca e Congresso na luta contra o terrorismo, diz relatório. ONGs de direitos humanos e relator da ONU pedem punições. (09.12.2014)


Data 11.12.2014
Autoria Kersten Knipp (pv)
Assuntos relacionados Barack Obama, Estados Unidos
Palavras-chave EUA, Estados Unidos, CIA, tortura,terrorismo
Compartilhar Enviar Facebook Twittergoogle+ Mais
Feedback : Comentário
Imprimir Imprimir a página
Link permanente http://dw.de/p/1E2xJ

CONTEÚDO RELACIONADO

"EUA devem fazer o que pregam sobre tortura", exige ex-promotor de Guantánamo 11.12.2014

Morris Davis, ex-responsável pelos tribunais militares extraordinários em Guantánamo, crê em efeitos positivos da divulgação do relatório da CIA. Em entrevista à DW, reafirma: tortura não serve a nenhum propósito útil.


Senado dos EUA acusa CIA de mentir sobre tortura 09.12.2014

Agência usou métodos de interrogatório brutais e muito piores do que havia admitido e enganou Casa Branca e Congresso na luta contra o terrorismo, diz relatório. ONGs de direitos humanos e relator da ONU pedem punições.


Opinião: É necessário punir responsáveis por torturas na CIA 11.12.2014

Chocantes práticas do serviço secreto tiveram respaldo político e jurídico explícito do então governo dos EUA, afirma o articulista Michael Knigge, da redação inglesa.


Data 11.12.2014
Autoria Kersten Knipp (pv)
Assuntos relacionados Barack Obama, Estados Unidos
Palavras-chave EUA, Estados Unidos,CIA, tortura, terrorismo
Compartilhar EnviarFacebook Twittergoogle+ Mais
Envie seu comentário!
Imprimir Imprimir a página
Link permanentehttp://dw.de/p/1E2xJ

PÁGINA INICIAL

Diretor da CIA admite uso de métodos "repulsivos" em interrogatórios


Mais três bancos devem pagar indenizações a SP por terem contas de Maluf


Combate à violência contra a mulher avança pouco nas últimas décadas


Opinião: Aliança Putin-Modi une países negligenciados pelo Ocidente


Rússia e Índia anunciam acordo para construir dez reatores nucleares


Em Lima, conferência do clima se aproxima do final em tom otimista


GALERIAS DE FOTOS

Tesouros estéticos do metrô alemão

O fotógrafo Micha Pawlitzki reúne num livro impressões de estações subterrâneas na Alemanha.


Berlim ganha shopping no coração da cidade

"Mall of Berlin" foi erguido no local onde ficava a famosa loja de departamentos Wertheim.


Dez expressões curiosas em alemão

Algumas vezes até o mais rigoroso dos idiomas se desvia de suas raízes literais.


Stonehenge ‘oculto’ é revelado

Novos mapas digitais revelam monumentos antigos importantes debaixo de Stonehenge.


Castelos e palácios da Alemanha

No final da Idade Média, a nobreza deixou de erguer burgos e passou a construir castelos e palácios.


Os burgos mais charmosos da Alemanha

Construções são bem mais antigas e fortificadas que os palácios.


MAIS GALERIAS

Stonehenge "oculto"


A moda na Oktoberfest


Praias urbanas


Alemão divertido


Espiões da Stasi


Passeio pelo Mosela




NOTÍCIAS
Política
Economia
Cultura e Estilo
Meio Ambiente
Ciência e Tecnologia
Esporte

Destaques de A a Z
MEDIATECA
Ao vivo
Todo o conteúdo
PROGRAMAS
África
Emissões
Contraste
Learning by Ear
Especiais
Podcasting
Frequências
Quem somos
TV
APRENDER ALEMÃO
Cursos de alemão
Deutsch XXL
Community D
Deutsch unterrichten
EXPLORE A DW
DW no Celular
Newsletters
Podcasts
RSS

© 2014 Deutsche Welle | Expediente | Contato