terça-feira, 2 de dezembro de 2014

יהוה Iehouah Tseva'ot desaprova sua decisão Onu e se Israel quiser Viver e Sobreviver deve ser nEle e não com suas decisões desequilibradas, ambíguas e pró islamitas. Israel não está e não estará autorizado a expor sua segurança interna e externa nem sequer para seus mais valiosos aliados. Pode e deve defende-los e ajuda-los a qualquer custo, porém sem se expor, até mesmo para o bem-estar deles e de humanidade inconsciente mundo afora. Quanto a você Onu, O Potentissimo de Israel é contra cada líder e liderado vosso que se coloca em oposição a Israel ou amigoa de Israel por estes viverem e ou promoverem judaísmo ou sionismo




ONU determina que Israel renuncie a armas nucleares


  



 postado em 02/12/2014 18:31
Nações Unidas, 02 - A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou uma resolução para que Israel renuncie à posse de armas nucleares e coloque suas instalações nucleares sob supervisão internacional. O comitê destacou que Israel é o único país do Oriente que não é parte do tratado de não-proliferação de armas nucleares.

De acordo com o documento, Israel deve "aderir ao tratado sem demora para não desenvolver, produzir, testar ou adquirir armas nucleares, além de renunciar à posse de armas atômicas". O país também deve colocar suas instalações nucleares sob a salvaguarda da Agência de Energia Atômica da ONU (AIEA). A resolução foi aprovada por 161 votos contra cinco. Israel, EUA e Canadá se opuseram e 18 países se abstiveram.

A medida, apresentada pelo Egito, reitera um esforço árabe semelhante que não conseguiu ser aprovado em setembro na AIEA. No momento, Israel criticou países árabes por minar o diálogo ao destacar várias vezes o estado judeu nas arenas internacionais. A missão de Israel na ONU não comentou a decisão desta terça-feira.

A resolução da ONU, intitulada "O risco de proliferação nuclear no Oriente Médio" pressiona o estabelecimento de uma zona livre de armas nucleares no Oriente Médio. O comitê lamentou que os esforços para convocar negociações foram abandonados pelos EUA em 2012.

Israel sempre argumentou que um plano completo de paz entre palestinos e israelenses deve preceder qualquer criação de uma zona livre de armas de destruição em massa. O país também alega que o programa nuclear iraniano é a real ameaça regional, o que o Irã nega.

As resoluções da Assembleia Geral da ONU não são juridicamente vinculativas, mas têm um peso moral porque é o único órgão em que todos os 193 Estados membros da ONU estão representados. Fonte: Associated Press.

  

 Comentários

Faça seu login para comentar