segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Meu compromisso nesta vida é total e estritamente Iehouah Elohim - O Absoluto Creador Criador. Judaísmo e judeus em toda sua variedade são as referências mais comuns com as quais possa me identificar e sentir vida real concreta. Por isso mesmo, assim que soube dos Judeus Por Jesus, a reação inicial foi despreza-los naturalmente e sempre nos locais de convivência ensinar que é abominável querer converter judeus e inaceitável deixar de aceita-los como autoridade - em áreas do sagrado hebraico - do jeito que são atualmente. Porém, por uns dez anos tive asco total do Novo Testamento e por 23 não me senti bem com cristãos em suas igrejas, muito menos Judeus Messiânicos. De família aparente católica não praticante, desde o 13 anos percebi um "clima" com o Antigo Testamento e uma aceitação incondicional da vida focada naquele responsável pelos atos descritos na abertura do Gênesis; Iehouah Elohim. Assim, como observador nesta condição, entendo que Judeus não são convertidos. Esta linguagem e visão não pode ser aplicada a eles, assim como também entendo que seja o Talmude culminando na Halacha seja o Novo Testamento culminando na Teologia Cristã do século 19, não podem ser usadas pelo ser humano para invalidar, desprezar ou sabotar o Antigo Testamento; este na Torah; esta em Iehouah. Não nasci ou cresci judeu, tive experiências ditas sobrenaturais favoráveis à Igreja, conheci eximiamente o Novo Testamento e tudo relacionado, li e ouvi argumentações notáveis, vi bons exemplos cristãos e tive boas amizades (mesmo com nojo da religião deles) e ainda assim vivi a total distância do Nazareno. Então, como um Judeu pode ser convertido? Pelo Espírito Santo? E os que como eu somente conseguem enxergar Iehouah com ou sem crenças? (Na visão deles não sou judeu e existe muita gente como eu.) - Judeus fazem opções, entre as quais tudo é possível, e porque não a escolha de Yeshu''a como Mashiach ou na visão clássica cristã como Cristo Deus? São situações diferentes? Vai depender de cada pessoa. Uma mente judaica - espiritual ou ideologicamente - não vai ser forçada pelo Espírito Santo a adorar alguém além daquele professado na Shema até pelo próprio Yeshu''a/Jesus. Nunca, jamais. Netser não passou a vida defendendo messianidade ou falando em termos tão diferentes da alta espiritualidade hebraica. Declarações isoladas dele não promovem posições contra judeus ou israelitas; foram e são usadas pra isso. De seus relatados apóstolos - nos escritos convencionais - só há diferença no Apóstolo Paulo, o qual respeita a estrutura existente e torna-se uma abertura de porta para os das nações. A linguagem de conversão usada no Novo Testamento para judeus não os coloca de forma alguma nos parâmetros de hoje em dia. Não se convertem de Iehouah para Yeshu''a. Ainda que aceitem o Netser como liderança, adoram somente Iehouah e se convertem de maus atos para bons atos, algo sempre solicitado pelos profetas de todos os tempos. As colocações constantes de Shaul sobre a Torah não invalidam a vivência dela da parte de judeus e lógico; isso se estende a pessoas de consciência judaica. Ainda assim, erro comum do Vaticano: palavras posteriores (e isoladas de contexto global) não podem prevalecer sobre aquelas atribuídas à sua origem. Assim como entendo que judeus fazem escolhas também compreendo que cristãos ou judeus messiânicos não são perseguidos no atual Israel. A animosidade e mesmo extrema atitude ortodoxa judaica quando ocorre atinge tudo além de si compreendido como afronta ao monoteísmo, no poder de sua ação, por séculos mesmo o que lhe é comum ou familiar. As dificuldades impostas pelos mesmos estão cada vez mais longe daquelas impostas por pretensos judeus helenistas a serviço de Roma e bem longe do comportamento do credo dominante de vários países apoiados pela Europa e Onu. Se o judeu messianico pensar de acordo mentalidade do cristianismo anti-judeu de 200 anos atrás, apenas vai atrasar seu próprio avanço sagrado na história. Claro, que a atitude dos ortodoxos não é recomendável assim como vejo desnecessária e questionável a proibição de smartphones, uso de óculos pra não enxergar as mulheres na rua, e a destruição de milhares de televisores como protesto contra programações impróprias. Sem falar do grande contigente que se atreve a querer não servir o Tsahal (prisão e revogação de direitos pra qualquer um nisso ou formas de resistência ao Estado ou teorias do Sionismo), deslegitimizar o Estado de Israel ou advogar que "só quando o Mashiach chegar" para múltiplos assuntos, a ponto de vilipendiar a Torah - pela e na qual - somente há espaço para Iehouah Elohim. No show das atitudes, o costume é judeus limitarem o Criador enquanto cristãos delimitam o Criador. Criaturas, mesmo se compreendendo como Filhos, jamais deveriam fazer isso. Mas se podem e fazem é pelo mesmo permitir e ter um objetivo também nisso. O Judaísmo Ortodoxo pode e deve ser tão bravo quanto desejar sem esquecer a Fonte e Sustentabilidade desta existência. Querem se impor ou impor monoteísmo? Seja como cada Navi o fez e como cada Grande Shofet inspirou. Jamais como os libertários ou mandatários deste mundo, pelos quais já foram chacinados múltiplas vezes, cremados em fornos e ainda enojados na maioria da Onu e Europa. Atualmente estou de boa com os mundos judeu e cristão, de boa com Yeshu''a Netser e de boa com qualquer documento hebraico ou hebreu que veio a existir após o Tanach dentro do compromisso estrito e inalienável com Iehouah Elohim. Judeus-messiânicos não são ameça pra nenhum judeu ou ao judaísmo, muito menos ao Cristianismo e desde que eles, Judeus Cristãos ou Cristãos Judeus mantenham e prosperem persperctivas sionistas, hebraicas e bíblicas, são sucesso e êxito em Israel e no mundo. Não há perdão ou misericórdia alguma para nenhuma alma antissemita, anti-judaica ou anti-sionista em nenhum aspecto e circunstância. Aqueles a serviço estrito de Iehouah Tseva'ot estarão sempre acompanhando estes eventos, pelo menos enquanto haja vida desta nossa raça humana. Não conheci os originais Judeus por Jesus, mas com certeza não podem ameaçar almas judias ou judaicas, basta ver que no Brasil tem brasileiros de sobra praticando Torah, Talmude, alguns Kabalah e sem menção de Yeshu''a, não nascidos em comunidades judaicas e quase sem ligação com judeus asquenazim ou sefaradim. Também há aqueles sobre messianidade de Netser e na esmagadora maioria se identificam e o público julgador os identificam como judeus, com ou sem status, dinheiro e características devocionais. Portanto em minha síntese, judeus fazem opções e judeus messiânicos não ameaçam ortodoxos e cristãos não são perseguidos em Israel, porém sofrem adversidades comuns ao desenvolvimento de grupos e atiudes sociais preocupantes para as lideranças submetidas à Interpretação da Halacha.



Voltar ao topo