Polícia de Israel prende internautas palestinos em Jerusalém Oriental

A polícia israelense anunciou nesta segunda-feira a prisão de oito palestinos acusados de fazerem "apologia do terrorismo", em um momento de tensão nas áreas ocupadas da Cisjordânia e de Jerusalém Oriental.
Os suspeitos foram detidos na semana passada, acusados de "incitação do ódio, violência e terrorismo" contra os judeus e as forças de segurança israelenses, em mensagens e vídeos divulgados no Facebook, informou à AFP um porta-voz da polícia.
As detenções aconteceram em um período de tensão entre palestinos e israelenses na área ocupada da Cisjordânia e de Jerusalém Oriental.
A parte palestina de Jerusalém, ocupada e anexada por Israel, registrou vários ataques contra israelenses nos últimos meses, incluindo um atentado contra uma sinagoga que deixou cinco mortos em 18 de novembro.
Essa operação foi a "mais importante já organizada para reprimir este tipo de incitação à violência nas redes sociais e na internet", afirmou o porta-voz da polícia.
Um dos suspeitos tinha sido fotografado com um fuzil M-16, segundo a mesma fonte.
"Essas mensagens e vídeos geraram várias reações de apoio no Facebook", completou.
As autoridades vão pedir nesta segunda-feira a um tribunal de Jerusalém o prolongamento da detenção dos suspeitos, segundo o porta-voz.