segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

O Tsahal deve sempre operar com carta branca nos assuntos que envolvem a segurança militar de Israel dentro do Oriente Médio e no Cenário Mundial. Nenhum soldado ou colaboradores podem ser julgados por pessoas incompetentes neste referido como as esquerdistas demagogas e os funcionários antissemitas da onu os velhos caçadores de judeus da Europa. As IDF são as únicas forças armadas de nossos tempos modernos criadas e mantidas para defender posições de suicidas a quase impossíveis. A sugestão mais plausível de segurança para multidões de pessoas massacradas no mundo árabe é que Israel estabeleça e mantenha bases militares por todo oriente médio.


Israel quer impedir transferência de armas da Síria ao Líbano
Ministro não confirmou se Israel bombardeou Damasco no domingo. Regime sírio acusou Israel de dois ataques na cidade.
08/12/2014 08h21 - Atualizado em 08/12/2014 08h21
France Presse
Da France Presse
O ministro israelense da Inteligência, Yuval Steinitz, afirmou nesta segunda-feira (8) que o país está determinado a impedir qualquer 'transferência de armas sofisticadas' da Síria ao Líbano, mas não confirmou ou desmentiu se Israel bombardeou no domingo a região de Damasco.
O regime sírio acusou Israel de dois ataques no domingo contra setores controlados por seus soldados perto de Damasco, incluindo o aeroporto internacional, denunciando um 'apoio direto' aos rebeldes e jihadistas neste país em guerra.
'Temos uma política de defesa intransigente que busca impedir a transferência de armas sofisticadas a organizações terroristas', declarou Steinitz, em referência ao movimento xiita libanês Hezbollah, inimigo de Israel, que apoia o regime de Bashar al-Assad.
Outras fontes do governo israelense procuradas pela AFP se recusaram a reagir às acusações sírias sobre os ataques, que segundo Damasco provocaram danos materiais.
A aviação israelense executou vários ataques contra posições militares na Síria desde o início do conflito neste país, em março de 2011. Também atacou infraestruturas do Hezbollah e carregamentos de armas destinados ao movimento libanês.
Mundo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais