sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Sou a favor do bem para israelenses e palestinos. Israel um só estado nação de Gaza à toda Cisjordânia bem como do Golan até o Sinai. Palestinos, no caso de se tornarem cidadãos equilibrados como obrigatório no caso de potências não fundamentalistas, como hóspedes em Israel sobre concessão do Governo ou de volta para as potências árabes com as quais alguns se juntaram e de onde muitos vieram tanto no confronto iniciado em 1948 por eles com certeza da aniquilação judaica, como no causado em 1967 em que tinham desde 1963 o Egito, Síria, Líbano e Jordânia prontos para dizimar um Israel ainda não protegido ou ajudado por nenhuma nação, com armamentos débeis e um patrimonio judeu mundial ainda em desvantagem com o petróleo árabe mundial. Resoluções primeiro petroliferas e depois pró terroristas da Onu, Europa e Idealistas alimentados por antissemitismo não mudam o ritmo da vida. Dinheiro? Cada um trabalhe pra ter, pois quem não tem sempre age pior em proporção do que quem tem, salvo exceção rara. Os ditos palestinos pedem paz pra fabricar armas, usá-las em nome da crença, ideal e coitadismo e depois gritar choro de opressão e vitoria por enganar ouvintes. Fazem exatamente o que está no Estatuto do Hamas confirmado, celebrado e imposto por eles, o qual reflete em boa medida desejos imperialistas universalistas do Coran. Que seus apoiantes gritem e se expressem ou lutem e se exasperem não escapa do fato de que todos vivem e sobrevivem às custas do que e de quem tentam repudiar, pois assim é que vieram da natureza, do universo e da Fonte de toda existência. Portanto: está ótimo! Tudo exatamente como havia de ser.



Shalom ou bem estar aos internautas, o artigo desta matéria até então consta no link abaixo. Recomendado pra leitura e análise objetivos quanto às ideologias que alimentam tanto o antissemitismo como as máscaras de movimentos ditos populares:

Brainstorm: Assentamentos judaicos na Cisjordânia, você apoia?

claudiamagalhaesbarreto.blogspot.com/...
Para mobile - 21 de ago de 2012 -Prepotência, intolerância, discriminação e crime condenado pela Corte Internacional .