quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

MONSTROS DA MESMA NATUREZA, MOTIVAÇÃO IDEOLÓGICA E RELIGIOSA, ABERRAÇÕES INSPIRADAS NO ASSASSINO ESTUPRADOR MAOMÉ E SEU ALTER EGO ALÁ. POR QUANTO TEMPO MILHARES DE VIDAS INOCENTES DA NIGÉRIA, CAMARÕES, NÍGER E CHAD SERÃO SACRIFICADOS ENQUANTO HIPÓCRITAS ABERRANTES DEFENDEM INTERESSES DE TERRORISTAS PALESTINOS E OUTROS? O QUANTO O PLANETA DEVE SOFRER POR UM ISLÃ SANGUINÁRIO METIDO A PACÍFICO PRA CEGOS OU POR UMA EUROPA SURDA E MUDA? E VOCÊ ISRAEL, QUEM DISSE QUE TOLERAR O HAMAS E ESQUECER OS PRIMOS DELE VAI TE GARANTIR 'PAZ E SEGURANÇA'?



Boko Haram assume ataque que matou cerca de duas mil pessoas Nigéria BOKO HARAM/AFP
"Matamos o povo de Baga. Matamos tal como nosso Deus pediu para fazermos em seu Livro", disse o líder do grupoFoto: BOKO HARAM / AFP




Boko Haram assume ataque que matou cerca de duas mil pessoas Nigéria

Em vídeo, grupo ameaça atacar Níger, Chad e Camarões

21/01/2015 | 10h01
O líder do grupo extremista nigeriano Boko Haram, Abubakar Shekau, reivindicou o ataque à cidade de Baga, que deixou cerca de dois mil mortos no início de janeiro. O anúncio foi feito em um vídeo divulgado na terça-feira, no qual Shekau também ameaçou atacar Níger, Chad e Camarões.
– Matamos o povo de Baga. Matamos tal como nosso Deus pediu para fazermos em seu Livro – declarou Shekau na gravação de 35 minutos.
No vídeo, o líder aparece diante de quatro caminhonetes e ao lado de oito homens fortemente armados e com os rostos cobertos.
– Não vamos parar. Isto não foi nada, vocês vão ver – disse o líder do Boko Haram sobre o massacre de Baga, qualificado pela Anistia Internacional como "o maior e mais destruidor" ataque nos seis anos de revolta do grupo islâmico.
Dirigindo-se ao Níger, Chad e Camarões, que enviaram tropas para combater o Boko Haram, Shekau exibiu armas pesadas e disse:
– Reis da África, já vão tarde. Desafio vocês a me atacarem agora. Estou preparado.
Nesta terça-feira, diversos países iniciaram uma reunião em Niamey para discutir a luta contra o Boko Haram. Entre os participantes figuram os chanceleres ou ministros da defesa de seis países africanos – Benin, Camarões, Guiné Equatorial, Níger, Nigéria e Chade – e representantes de Alemanha, Canadá, China, Espanha, Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia.
Desde 2009, a insurreição islâmica e sua repressão pelas forças nigerianas deixaram mais de 13 mil mortos e 1,5 milhão de refugiados.
Colunista de ZH comenta: 17 vidas na França valem mais do que 2 mil na Nigéria?
*AFP