domingo, 18 de janeiro de 2015

Por favor Israel, lembre-se que o planeta é pequeno e apertado. Seus serviços de inteligência precisam de anos de vantagem, israelenses que lutarem sem autorização de Israel precisam perder nacionalidade e direitos, ameaças externas requerem eliminação total.



Página inicial
R7 TV
Notícias
Entretenimento
Esportes
Vídeos
Rede Record
Serviços
Visite o R7 no Facebook
Siga o R7 no Twitter
Siga o R7 no Pinterest
Siga o R7 no Instagram
Inscreva-se no canal do RInternacional

Estado Islâmico
Ebola


18/1/2015 às 10h26
Israel diz ter quebrado primeira célula local do Estado Islâmico



R7 Página Inicial




Receba Notícias No Seu Celular
Texto: -A +A







JERUSALÉM (Reuters) - Israel disse neste domingo que rachou a primeira célula do Estado Islâmico em seu território, composta por sete cidadãos árabes que serão processados sob a acusação de planejar ataques no estado judaico e de se comunicarem com o grupo insurgente na Síria.

Os réus, incluindo um advogado que estava representando a si mesmo no tribunal, negaram as acusações de pertencer a um grupo ilegal, auxiliando o terrorismo e entrando em contato com agentes estrangeiros, disse um porta-voz do Ministério da Justiça depois de uma ordem de silêncio sobre o caso ter sido abrandada.

Embora membros da minoria árabe de Israel raramente recorram à violência armada, muitos se irritam com a autoridade estatal e as autoridades de segurança se preocupam com doutrinas islâmicas que têm criado raízes.

Dezenas de árabes israelenses e palestinos têm viajado à Síria e ao Iraque para se juntar a grupos insurgentes. A agência de inteligência doméstica de Israel, a Shin Bet, disse que rachou em 4 de janeiro uma célula na Cisjordânia ocupada ligada ao Estado Islâmico.

Os sete árabes israelenses suspeitos, com idades entre 22 a 40 anos e todos da região norte da Galiléia, foram presos em novembro e dezembro e disseram aos investigadores que realizaram estudos islâmicos radicais e preparado armas e financiamento de ataques, disse a Shin Bet em comunicado.

A agência disse que um dos réus tinha tentado deixar Israel em julho, a fim de partir para a Síria, mas havia sido detido pelas autoridades no aeroporto de Tel Aviv, Ben Gurion.

Militantes do Estado Islâmico apreenderam grandes faixas de território sírio e iraquiano e recursos econômicos no ano passado, proclamando um califado e impondo a sua própria interpretação radical do Islã.

(Por Dan Williams)

Copyright Thomson Reuters 2012