quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Rihanna pode tentar falar, gritar ou cantar, mas o fato é que ninguém pode ser detonado por criticar quem quer que seja. Se ela e outros defende isso e o berço disso que tirem as máscaras e vão vegetar nos meios que elogias. Detalhe: Como, sem Nossa Liberdade; Nossa Democracia; Nosso pluralismo judeu cristão; Nossos Laicos, Ateus e Agnóstico? Ainda bem que há músicas de sobra pra deixar a dela em mãos que lhe queiram, inclusive em seu gênero.


http://revistamarieclaire.globo.com/Celebridades/noticia/2015/01/se-querem-paz-parem-de-fazer-piadas-sobre-topicos-sensiveis-diz-rihanna-sobre-ataques-em-paris.html

08/01/2015 08h37 - ATUALIZADA EM: 08/01/2015 09h04 -  por Redação Marie Claire

"SE QUEREM PAZ, PAREM DE FAZER PIADAS SOBRE TÓPICOS SENSÍVEIS", DIZ RIHANNA SOBRE ATAQUES EM PARIS

Cantora usou redes sociais para criticar sátiras sobre religiões e defendeu que islamismo não está ligado a atos terroristas

RIHANNA CRITICA SÁTIRAS SOBRE RELIGIÕES APÓS ATAQUES EM PARIS  (Foto: GETTY IMAGES)
A cantora Rihanna usou sua conta no Instagram para se pronunciar a respeito dos ataques de três extremistas em Paris na quarta-feira (7), que deixou 12 mortos na redação de uma revista satírica.
"Sou contra qualquer tipo de abuso. Físico ou verbal. Se querem paz, então devem parar de fazer piadas sobre tópicos sensíveis", afirmou em referência às charges do semanário de humor "Charlie Hebdo". A revista, que sofreu o ataque provavelmente por ironizar o Profeta Maomé, retratava de forma cômica outras religiões e figuras políticas.
"Você tem sua religião, eu tenho a minha. Claro que as pessoas têm liberdade, mas você não se ofenderia e se magoaria se fosse um cristão e fizessem piada sobre seu Deus? Ou judeu e zombassem da maneira em que acredita em Deus?", criticou.
A cantora ainda fez questão de esclarecer que a religião islâmica não deve ser responsabilizada pelos atos dos três extremistas.
"Estou absolutamente horrorizada e devastada com o que aconteceu.Mas vocês devem parar de culpar o islã por isto. O islamismo é uma religião de paz, amor e fé. Não tem a ver com violência. O Profeta Maomé viveu para compartilhar amor e compaixão e não para assassinar pessoas. Mesmo no Alcorão está escrito: 'Você pode ter sua religião e eu, a minha'. Todos são livres para acreditar no que quiserem. Então, parem de julgar, comecem a ajudar. E descansem em paz aqueles que faleceram", escreveu.