quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Vigiar terroristas enquanto se apoia terroristas... França se tornou a Terra dos Homens Escravos?


França deve vigiar 3 mil pessoas relacionadas ao jihadismo
Cerca de 1,3 mil são suspeitas de envolvimento em redes terroristas. Governo francês vai gastar 425 milhões para prevenir ataques.
21/01/2015 08h29 - Atualizado em 21/01/2015 09h51
France Presse
Da France Presse
A França deve vigiar cerca de 3.000 pessoas no âmbito da luta contra o jihadismo, indicou nesta quarta-feira o primeiro-ministro, Manuel Valls, em uma coletiva de imprensa para apresentar novas medidas de segurança após os atentados de Paris.
"É preciso vigiar 1.300 pessoas, francesas ou estrangeiras, por seu envolvimento em redes terroristas na Síria e no Iraque (...). A estas se somam 400 ou 500 pessoas em redes mais antigas ou que afetam outros países, assim como os principais atores ativos no ciberjihadismo francófono. No total são cerca de 3.000 pessoas que precisam ser vigiadas", afirmou.
O país vai gastar 425 milhões de euros (US$ 463 milhões) em medidas de segurança para prevenir ataques em seu território e contratar mais pessoal para o trabalho contra jihadistas.
"A ameaça permanece muito alta", disse Valls no Palácio do Eliseu, ao apresentar medidas detalhadas que incluem a contratação de 2.680 pessoas para o trabalho antijihadistas ao longo dos próximos três anos e a criaçãos de novos empregos para combater a radicalização em prisões.
O primeiro-ministro também anunciou a contratação de 60 capelães muçulmanos nas prisões francesas para lutar contra a radicalização dos detidos durante seu período na prisão.
Além disso, pediu uma reflexão a todos os partidos políticos sobre a possibilidade de retirar a nacionalidade francesa das pessoas condenadas por terrorismo.
No total, este plano precisará de um investimento de 425 milhões de euros nos próximos três anos. O primeiro-ministro reiterou que se trata de tomar "medidas excepcionais, mas não de exceção".
Mundo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais