segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Educação correta também envolve repetição adequada: Não há autoridades palestinas, pois não há personagens para obedecer seja en em Gaza ou Cisjordânia. Não há povo palestino senão os próprios judeus e árabes que estão em Israel como israelenses, há uma comunidade de pessoas árabes vindas de várias nações vizinhas que tentaram assassinar covardemente judeus e árabes que viviam em paz com oa judeus em 1948. Tiveram ajuda de um continente e derramaram sangue demais. Porque não conseguiram? Porque o judeu pobre prospera (quando quer) enquanto muita gente morre tentando? Ainda assim, mais uma vez parabéns aos norte-americanos por colocarem o terrorismo em seu devido lugar e darem exemplo correto.


Autoridade Palestina e OLP são condenadas por atentados em Israel
Seis atentados cometidos entre 2001 e 2004 deixaram 33 mortos. Condenação exige pagamento de US$ 218 milhões às vítimas americanas.
23/02/2015 16h06 - Atualizado em 23/02/2015 18h28
France Presse
Da AFP
Um júri popular de Nova York ordenou nesta segunda-feira (23) a Autoridade Nacinal Palestina (ANP) e a Organização de Libertação da Palestina (OLP) a pagar US$ 218 milhões em indenização às vítimas americanas de atentados cometidos em Israel entre 2001 e 2004.
Após um dia de deliberações, os jurados consideraram que a ANP e a OLP são culpadas de 25 acusações ligadas a seis atentados cometidos naquele período em Israel. Os atentados, que foram atribuídos aos grupos fundamentalistas islâmicos Brigadas dos Mártires de al-Aqsa e Hamas, deixaram 33 mortos e 390 feridos.
"Esta decisão constitui, antes de tudo, uma vitória moral para o Estado de Israel e para as vítimas do terrorismo", afirmou o ministro israelense das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, após a sentença do júri.
A Autoridade Palestina anunciou que apelará da decisão e afirmou que as acusações "não têm nenhum fundamento. Além disso, o tribunal de Nova York ignora sentenças anteriores de outras cortes americanas". "Apelaremos e sabemos que ganharemos", afirmou, em um comunicado.
Onze famílias entraram com processo no tribunal federal contra a ANP e a OLP, em razão de atentados que levaram à morte de 33 pessoas e feriram mais de 390 cidadãos norte-americanos.
Os denunciantes tinham pressionado para que a ANP e a OLP fossem acusadas de apoiar os atentados realizados por integrantes dos dois movimentos. Algumas das pessoas acusadas pelos familiares das vítimas foram incluídas na lista de devedores individuais.
Mas os advogados de defesa da Autoridade Palestina sustentaram que a entidade não poderia ser responsabilizada por ataques "lunáticos e terríveis" cometidos em Israel, insistindo que as pessoas agiram por conta própria.
Mundo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais