domingo, 22 de fevereiro de 2015

Estamos no mesmo planeta? Quem faz a segurança de quem? Respondam os esfaqueadores de qualquer pessoa e atiradores de rabinos!

Palestinos ameaçam terminar cooperação de segurança com Israel

Estadão Conteúdo
Redação Folha Vitória
Ramallah - O presidente palestino Mahmoud Abbas ameaçou interromper a coordenação de segurança com Israel se o país continuar a reter milhões de dólares em receitas provenientes de impostos palestinos, disse a autoridade palestina Nabil Shaath, neste domingo.
Shaath afirmou que Abbas alertou líderes europeus durante uma viagem na semana passada que autoridades palestinas discutiriam o assunto em uma reunião do conselho central palestino na próxima semana. "Nós temos dito que à comunidade internacional que não prosseguiremos com a coordenação da segurança, e a própria Autoridade Palestina por si só pode não conseguir funcionar mais se Israel continuar roubando nosso dinheiro", ressaltou Shaath.
Israel reteve receitas de impostos dos palestinos, quando se juntou ao Tribunal Penal Internacional no mês passado. Shaath disse que os montantes retidos totalizaram a US$ 140 milhões por mês durante os últimos dois meses. A receita representa cerca de 70% do orçamento dos palestinos. A receita retida levou o governo palestino a fazer empréstimos bancários. Nos últimos dois meses, o governo pagou salários apenas parciais a funcionários públicos.
Autoridades palestinas disseram aos Estados Unidos, União Europeia e países árabes que pediram aos palestinos para adiar qualquer decisão de cancelar a coordenação de segurança com Israel até depois das eleições israelenses, em 17 de março, dizendo que o governo israelense pode liberar a receita dos impostos depois das eleições.
Mas as autoridades palestinas disseram que temiam que Israel continue a reter as receitas como uma medida punitiva até abril, quando os palestinos se tornarão membros oficiais do Tribunal Penal Internacional.
O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse ontem que o governo americano teme que, sem uma injeção de dinheiro, pode ocorrer um colapso da Autoridade Palestina - o que poderia resultar em graves problemas de segurança tanto para os palestinos quanto para os israelenses. Fonte: Associated Press.