segunda-feira, 2 de março de 2015

Abençoado e bendito de Iehouah, és; Netanyahu



segunda-feira, março 02, 2015

NETANYAHU EM WASHINGTON PARA DISCURSO HISTÓRICO NO CONGRESSO NORTE-AMERICANO

São grandes as expectativas, apenas ultrapassadas pelas controvérsias: Netanyahu chegou ontem a Washington onde, numa semana repleta de significado histórico e (quem sabe?) até profético, irá discursar em vários encontros, contra a vontade e expressa ausência do presidente Hussein Obama.
O "grande discurso" que mais interesse e controvérsia tem levantado será proferido amanhã no Congresso dos EUA, sendo o "tema quente" as relações entre os EUA e o Irão, o grande inimigo de Israel.
No momento da sua partida para a capital norte-americana, Netanyahu, já em campanha eleitoral para as eleições parlamentares de 17 deste mês, afirmou: "Estou de partida para Washington numa visita fatídica, talvez até numa missão histórica. Sou o emissário de todos os israelitas, mesmo daqueles que não estão de acordo comigo."
ANTES DESTA HISTÓRICA VIAGEM, O
PRIMEIRO-MINISTRO ISRAELITA FOI
ORAR JUNTO AO MURO DAS LAMENTAÇÕES
Certamente. Quer queiram, quer não, Netanyahu é a face visível do sionismo e o melhor porta-voz dos judeus do mundo inteiro.
E enquanto Netanyahu vai a Washington expressar o seu desejo de ver paz e segurança para Israel, o presidente norte-americano, um pronto defensor dos direitos dos muçulmanos, não só estará ausente no dia do discurso de Netanyahu, como já demonstrou querer um Irão com armas nucleares.
É tempo de nos levantarmos e orarmos a favor do primeiro-ministro israelita, no seu discurso vital, amanhã, em Washington. Ele vai enfrentar uma tremenda oposição dos democratas liberais comandados pelo presidente mais anti-Israel que os Estados Unidos já conheceram até hoje.
A visita de Netanyahu é uma verdadeira provocação a Obama e ao seu apoio ao Irão. Não sendo recebido na Casa Branca, ele vai "invadir" o segundo local mais importante e significativo do governo norte-americano, tentando inverter a marcha decisória do Congresso em relação ao acordo nuclear com o Irão. Netanyahu conta com o apoio dos republicanos, cada vez contestatários das políticas do presidente democrata. 

Shalom, Israel!

Sem comentários: