terça-feira, 31 de março de 2015

EXCELENTE REFLEXÃO



(SER MULHER)


Observatório



Seções



OI na TV



Vídeos OI



OI no Rádio



Blogs OI



Serviços



Contato













 Terça-feira, 31 de Março de 2015 | ISSN 1519-7670 - Ano 18 - nº 844












FEITOS & DESFEITAS
JORNALISMO DE CELEBRIDADES
Angelina Jolie errou de página


Por Norma Couri em 31/03/2015 na edição 844


















Angelina Jolie tirou ovários e trompas mas foi parar nas páginas de “Ciência/Saúde”. Devia estar na rubrica “Celebridades”. Angelina rebatizaria as tolas e fúteis sessões de “Celebridades” da nossa imprensa. Revelou as entranhas que nenhuma atriz expõe, com coragem rara de encontrar no meio de verniz barato e banalidades. Mas virou cobaia para ginecologistas e especialistas analisarem em página inteira, programas de rádio, jornais de TV e matéria do Fantástico os riscos que as mulheres correm ou não, a importância dos testes genéticos, o perigo do câncer no útero e a doença que tomou conta de três mulheres de sua família – mãe, avó, tia. Erraram feio, trocaram Angelina de página.





Numa área onde as declarações do beautiful people beiram as raias do surreal, a realidade crua de Angelina cairia como uma luva. NaVeja da semana passada (edição 2418, de 25/3) lemos o “consultor de imagem” de mulheres endinheiradas Alexandre Taleb aconselhar suas clientes a gastar R$ 100 mil por mês para comprar uma bolsa Hermès, outra Bottega Veneta, usar roupas Versace e calçar sapatos Jimmy Choo e Louboutin (“machucam os pés, mas chamam atenção”).


Uma semana antes a modelo Isabeli Fontana, com seios estourando o vestido de apenas um palmo abaixo dos quadris, lastima “gostaria de ser Rihanna [namorada de Leonardo di Caprio]. Ela é selvagem, engraçada e sexy”. E logo depois do Oscar a sessão “Gente” da revista dedicou duas páginas para comentar as roupas deslumbrantes e as centenas de milhares de dólares ganhos em comerciais de produtos de beleza pelas atrizes que sobem no seu Louboutin para responder, no tapete vermelho: “De onde é o seu vestido?”


Veja gozou em grande estilo atrizes como Patrícia Arquette, que ganhou o Oscar de atriz coadjuvante por Boyhood, acumula fortuna de 24 milhões de dólares, mas ensaiou um discurso “engajado” sobre paridade salarial entre homens e mulheres em Hollywood. Foi aplaudida por Merryl Streep (45 milhões de dólares). Ridicularizou a valorização do colar Van Cleef de Margot Robbie (O Lobo deWall Street) no valor de 1,5 milhão de dólares, feito em homenagem à Wallis Simpson – a cópia do colar valeria mais do que a mulher que fez um rei abdicar do seu trono? Eram só celebridades como Jennifer Lopez (fortuna de 315 milhões de dólares), que usou dois vestidos de estilistas libaneses mas não disse nada sobre a conturbada situação no Oriente Médio. Conclusão: Veja limpa mesmo as sujeiras mais profundas? “Vamos perguntar a elas”, era o título da matéria.


Revisar conceitos


Celebridades dizem bobagens o ano inteiro e quando resolvem enviar a Angela Merkel uma carta com o slogan “a pobreza é sexista”, pedindo proteção a mulheres e meninas em situação de risco, a chanceler alemã na presidência do G-7 não dá um pio sobre Boko Haram, Estado Islâmico, Irã. Assinaram a carta Lady Gaga, Meryl Streep, Beyoncé em nome da entidade americana ONE criada por Bono, doadora de 1% do dinheiro que arrecada .


Maitê Proença fala que gosta do próprio corpo. Não, Gisele Bünchen não vai se aposentar, por que parar de vender sabonetes, shampoos, cremes e afins quando o que vende é a própria beleza a peso de ouro, para mulheres que embarcam na onda?


Maquiagem minimal com tonalidade terrosa e cores pontuais. Sombras metálicas, corretivos marfim e olhos de gato, rainhas da selva prontas para o safári na savana africana – é o belo visual do caderno “Ela” de O Globo de sábado (28/3). Nenhuma palavra das modelos imitando atrizes famosas como Jane Birkin, no auge da paixão por Serge Gainsborough, ou Meryl Streep, em África Minha. Nenhuma palavra sobre os horrores da África. Nenhuma pressão contra a negação de Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados de julgar a lei de liberação do aborto: “Não vou pautar nem que a vaca tussa, vai ter de passar por cima do meu cadáver”.


Celebridades são mulheres-maravilha, não têm útero nem ovários, não têm avesso, só seios siliconados. Metamorfoses da primeira que surgiu em quadrinhos em plena Segunda Guerra, em dezembro de 1941, de short, bustier vermelho, tiara, carnes explodindo e mais tarde tendo o arquétipo feminino clonado por Jane Fonda em Barbarela (Roger Vadim, 1968). As histórias da Mulher Maravilha (Wonder Woman) só foram superadas em vendas e sucesso peloSuper Homem e pelo Batman, também surgidos na década de 1940.


Celebridades não se expõem, não tem opinião sobre nada, não promovem campanhas, nas entrevistas mostram o apartamento novo e expressam desejo de comprar outro maior junto com o carro do ano e o namorado da moda. Celebridades enjoam, passam folheadas na revista Caras de enorme poder sobre mulheres no cabelereiro, salvação daquelas que estão na sala de espera do médico ou do dentista. Caras é o carro-chefe em vendas da Editora Abril.


Em edição recente do suplemento “Babelia” do jornal El País (23 de outubro), a enquete “O que as atrizes pensam sobre envelhecer?” inclui Cher dando um fora quando perguntam se ela não está muito velha para cantar rock. “Por que você não pergunta isso a Mick Jagger?” Susan Sarandon avisa às moças de 25 anos preocupadas com seus músculos caídos: “Cuidado, sua vida vai ser dura”. Francis MacDormand, mulher do diretor Joel Cohen, assusta-se com os valores da nossa cultura: “Não podermos envelhecer, depois dos 45 temos de nos vestir e parecer adolescentes”. Lauren Hutton afirma que faz sexo melhor depois dos 60, Cate Blanchet alerta a quem quer se submeter a cirurgias plásticas que não o faça por medo, “ou o medo permanecerá em seus olhos”, e Geraldine Chaplin diz que usa sapatos coloridos e extravagantes, “assim as pessoas se esquecem das minhas rugas”. Jane Fonda, como as outras, exibe suas rugas profundas e estimula as leitoras a revisar nosso conceito de envelhecer – não é decrepitude e, sim, uma escala ascendente de sabedoria e intenção de vida. Marion Cotillard lançou o livro As francesas não fazem cirurgias plásticas: Envelhecendo com estilo e atitude.


Além do bibelô


Nossas atrizes e atores, com mínimas exceções, vendem coisas. São garotas propaganda de cerveja, empreendimentos imobiliários, dietéticos. Marília Gabriela, Carolina Ferraz, Tony Ramos, Maitê Proença... O crítico de teatro Sábato Magaldi defende: “Ganham pouco, complementam o salário assim”. Seu colega francês Claude Chabrol pensava diferente quando declinou a participação de Jean-Claude Brialy em um de seus filmes por ter visto sua exposição indevida: “Um ator precisa de mistério”.


Capa de edição de 24 anos da revista Marie Claire, a atriz alemã Diane Kruger aderiu à campanha #askhermore provocando jornalistas que se limitam a perguntar às estrelas no tapete vermelho do Oscar sobre as grifes que trazem no corpo. Pergunta: o que as atrizes responderiam se a pergunta fosse outra?


No Brasil falta quilometragem para as atrizes e atores fabricados do dia para a noite especialmente para povoar a nossa Hollywood tropical, as telenovelas. “O que vai acontecer com elas quando surgir a primeira ruga?”, pergunta Fernanda Montenegro, uma das poucas que não passou pela faca no Brasil, país onde a cirurgia plástica ganha até das mulheres nos Estados Unidos.


Paulo Vanzolini em “Vida é a tua”, ridiculariza: “Hoje se insinua na coluna social,/ Cara no jornal, como se fosse alguém...”. Conteúdo das falas, nenhum. Mas foi Haroldo Barbosa, com centenário recém-comemorado, que acertou em “Notícia de Jornal”, celebrizada por Chico Buarque e Maria Bethânia: “A dor da gente não sai no jornal”.


Angelina Jolie, corajosa atriz, seguiu as lições de outra mulher modelo, Simone de Beauvoir: “Que nada nos limite. Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância”. Angelina não vestiu Prada, não sugeriu Louboutin. Alertou, influiu, existiu além do bibelô e da boneca inflável. Que bem faria sido brindada nas páginas de “Celebridades”, quanto vazio preencheria.


***


Norma Couri é jornalista
















Comente aqui
Comentários(0)
Outros textos deste autor





ATENÇÃO: Será necessário validar a publicação do seu comentário clicando no link enviado em seguida ao endereço de e-mail que você informou. Só as mensagens autorizadas serão publicadas. Este procedimento será feito apenas uma vez para cada endereço de e-mail utilizado.



Nome



Sobrenome
















E-mail



Profissão
















Cidade



Estado
















Comentário








1400









Preencha o campo abaixo com os caracteres da imagem para confirmar seu comentário, depois clique em enviar.






Recarregar imagem























Este é um espaço de diálogo e troca de conhecimentos que estimula a diversidade e a pluralidade de ideias e de pontos de vista. Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime. Os comentários devem ser pertinentes ao tema da matéria e aos debates que naturalmente surgirem. Mensagens que não atendam a essas normas serão deletadas - e os comentaristas que habitualmente as transgredirem poderão ter interrompido seu acesso a este fórum.










7 DE ABRIL


Dia (do diploma) do jornalista


Gibran Luis Lachowski


PROPAGANDA POLÍTICA


Nos tempos do panfleto


Sylvia Colombo


LÍNGUA DE SINAIS


Um discurso que precisa mudar


Roberto César Reis da Costa


‘DOSSIÊ GLOBO NEWS’


Sobre suicidas e suicídios


Ivan Berger


MÍDIA & FUTEBOL


A eterna paixão nacional


Raul Ramalho


MÍDIA & CRISE POLÍTICA


O que está por trás do impeachment?


Francisco Julio Xavier


MÍDIA & TRAGÉDIAS


Drama e informação


Gabriel Bocorny Guidotti
































POR QUE O CASTELINHO?

24-03-2015






ENTREVISTA: BERNARDO KUCINSKI

31-03-2015






PROGRAMA 2574
>>Aos 51 anos do golpe, uma má ideia
>>Marcas e marcas
31/03/2015






PROGRAMA 2573
>>Crônica de mais uma morte anunciada
>>Uma paz precária
30/03/2015






PROGRAMA 2572
>>O planalto dos ventos uivantes
>>Mais um escândalo
27/03/2015






PROGRAMA 2571
>>Uma nova agenda política
>>Rabos de palha
26/03/2015






TODOS PROGRAMAS







Reportagens, vídeos e outros

conteúdos do site indicados por seus amigos na rede social.