quinta-feira, 2 de abril de 2015

Iehouah Tseva'ot abençoe e favoreça os de bom coração. Em Alagoinhas da Bahia, ocorreu um assalto à mão armada em joalheria que recebi pelo Watsap cometido por crianças que aparentam entre 10 e 13 anos. Renderam e imobilizaram um segurança, depois detidos por outros na rua. O povo desta cidade não merece uma cena destas e fiquei perplexo pelas crianças envolvidas, uma clara e outra escura, ambas de mochila e bem apresentadas. Em IIsrael, crianças nascem e são ensinadas a apedrejar e até dinamitar israelenses para gangs islâmicas dominarem o poder. Bomba, projétil, pedra e soco mata um ser humano. Bebês são mortos a pedradas por crianças palestinas usadas e em rota ideológica total aflorada. E aí Vermelho? Por que ao invés de sacanear os desinformados e revoltados sem causa equilibrada, não se põe como alvo de pedrada?



2 de Abril de 2015 - 15h27

Israel tem encarceradas cerca de 200 crianças palestinas

As autoridades israelenses mantêm encarcerados 182 menores palestinos, alguns deles em prisões fora dos territórios ocupados para os manter afastados de seus familiares, afirma nota de uma ONG.

Mohammed Abed / Maan / AFP

A cifra abarca uma lista de crianças presas pelas tropas de ocupação até fins de fevereiro passado, especifica o informe da Vigilância de Tribunais Militares (VTM), uma organização não governamental que observa a conduta das autoridades ocupantes aos menores.

Nesta semana, o Estado palestino ingressou na Corte Penal Internacional (CPI) na qual apresentará os expedientes por crimes de guerra cometidos por Tel Aviv durante sua ocupação militar na Palestina desde 1967.

O anúncio da adesão palestina provocou o júbilo na população palestina, vítima da arrogância das forças militares de ocupação e dos residentes no assentamento paramilitares sionistas na Cisjordânia.

Os pleitos incluem a expropriação e anexação de terras, a construção de comunidades e o assentamento de emigrantes judeus, qualificados de crime de guerra pela IV Convenção de Genebra, assinada em 1949 cujas provisões são obrigatórias inclusive para os países que não a assinaram.

Uma das acusações mais relevantes baseia-se nos crimes de lesa humanidade cometidos por Israel no ano passado durante a agressão a Gaza em que morreram 2.200 civis, em sua maioria mulheres e meninos e 11 mil ficaram feridos, segundo estatísticas da ONU.

Do conjunto de crianças de ambos sexos internadas em prisões israelenses, 25 têm entre 14 e 15 anos de idade e 157 não ultrapassam os 17, destaca o informe de VTM, segundo o qual 2 são do sexo feminino.


Fonte: Prensa Latina


Versão Clássica

Portal Vermelho: Rua Rego Freitas, 192 - 4º andar. Centro - São Paulo - SP - CEP 01220-010 - Tel.: (11) 3054-1837