sexta-feira, 17 de abril de 2015

Israel mantém 20 jornalistas palestinos detidos ou presos em cadeias do país?


17/4/2015 às 07h17 (Atualizado em 17/4/2015 às 07h37)

Israel mantém 20 jornalistas palestinos detidos ou presos em cadeias do país

Mais antigo preso cumpre pena desde 1994; palestinos lembram hoje o Dia do Prisioneiro 
EFE
Israel mantém 20 jornalistas palestinos detidos ou presos, informou nesta sexta-feira (17) a agência "Maan", por causa do Dia do Prisioneiro na Autoridade Nacional Palestina (ANP).
Seis deles foram detidos este ano, sendo que o mais recente foi preso há apenas dois dias em uma operação do Exército israelense na cidade cisjordaniana de Nablus. Trata-se de Amin Abdul Aziz Abu Wardeh, de 48 anos e diretor-geral do site ASDA, um centro palestino para o desenvolvimento e a liberdade de imprensa.
Abu Wardeh, a quem, segundo sua mulher, pediram telefones celulares e computadores, já tinha estado sob prisão administrativa israelense durante quase um ano.
Segundo dados da União de Rádios e Televisões palestinas, o palestino que há mais tempo preso é Mahmoud Moussa Issa, que cumpre pena desde 1994, quando um tribunal israelense lhe impôs três prisões perpétuas por delitos de sangue e contra a segurança do estado.
Os palestinos lembram hoje o Dia do Prisioneiro, um dos mais simbólicos do calendário local pela sensibilidade que afeta ambos os povos. Considerados lutadores pela liberdade por uns e terroristas pelos outros, cerca de 6.000 presos palestinos estão presos em cadeias israelenses. Dentre eles estão 200 menores de idade e 23 mulheres, segundo os números divulgados pelo Ministério de Informação da Autoridade Nacional Palestina.
Cerca de 450 deles estão sob detenção administrativa, um recurso legal altamente questionado por ONGs de direitos humanos em Israel por permitir a detenção de uma pessoa sem ser levada a julgamento por períodos prorrogáveis de seis meses, e em muitos casos sem conhecer qual é a acusação.