quarta-feira, 8 de abril de 2015

Netanyahu disse que não está defendendo uma solução militar, um ataque às instalações nucleares do Irã e, sim, uma solução diplomática que realmente impeça o Irã de adquirir armas nucleares.



Israel entra em campanha aberta contra o acordo dos EUA com Irã
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense, deu entrevistas a três redes de TV para tentar convencer americanos a derrubar acordo com Irã.
07/04/2015 01h44 - Atualizado em 07/04/2015 01h45
Por Jorge Pontual
Nova York, EUA
O principal aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio, Israel entrou em campanha aberta para impedir ou pelo menos modificar bastante o acordo que os americanos, e mais cinco potências, fecharam com o Irã sobre o programa nuclear dos aiatolás.
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu deu entrevistas a três redes de TV para tentar convencer os americanos a derrubar o acordo com o Irã.
“Não estou tentando matar um acordo", ele disse. "Estou tentando matar um mau acordo".
Netanyahu disse que não está defendendo uma solução militar, um ataque às instalações nucleares do Irã e, sim, uma solução diplomática que realmente impeça o Irã de adquirir armas nucleares.
O governo israelense apresentou pela primeira vez uma lista de sugestões de mudanças no plano que foi acertado com o Irã. O objetivo é que os congressistas americanos introduzam essas alterações em uma resolução que deverá ser votada ainda neste mês.
O presidente Barack Obama também está fazendo uma ofensiva pela TV para tentar convencer o Congresso a não mexer no plano.
Obama rebateu uma das sugestões israelenses: a exigência de que o Irã reconheça o direito de Israel existir. "É como se fossemos exigir também uma transformação completa do regime iraniano", disse Obama.


Jornal da Globo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais