segunda-feira, 27 de abril de 2015

"Paz Agora" precisa mudar para "Caos israelense já", sem falar no redator, pois ficou bem claro que Bibi descartou o estado palestino terrorista que então se apresenta, ainda assim recordamos: Jerusalém é indivisível e israelense assim como Israel é intocável e judaica.



Israel abre licitação para casas de colonos em Jerusalém Oriental
É o primeiro anúncio do tipo desde as eleições legislativas de março. A comunidade internacional considera ilegal a colonização.
27/04/2015 06h46 - Atualizado em 27/04/2015 06h46
France Presse
Da France Presse
Israel iniciou nesta segunda-feira (27) um novo processo de licitação para a construção de 77 casas de colonos em Jerusalém Oriental, a parte palestina da cidade anexada e ocupada pelo Estado hebreu, anunciou a organização israelense Paz Agora.
Este é o primeiro anúncio do tipo desde as eleições legislativas de 17 de março, que terminaram com a vitória do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, recordou a ONG.
O processo de licitação definirá a construção de 36 casas em Neve Yaakov e 41 em Pisgat Zeev, dois bairros de colonização ao norte de Jerusalém Oriental
Durante a campanha, Netanyahu descartou a ideia de um Estado palestino e afirmou que pretendia seguir com a colonização, também em Jerusalém Oriental, onde os palestinos desejam instalar a capital de seu almejado futuro Estado.
As declarações de Netanyahu foram consideradas um desafio à comunidade internacional e aos Estados Unidos, seu principal aliado.
Segundo a organização Paz Agora, o anúncio desta segunda-feira "é talvez o indicador do que acontecerá" com o novo governo que Netanyahu está formando.
"Ao invés de mudar de rumo e mostrar que Israel está preparado para a paz, Netanyahu mantém a ideia que seguiu durante a campanha e tenta evitar a paz", afirma a organização.
A comunidade internacional considera ilegal a colonização, ou seja, a construção de casas para civis nos territórios ocupados ou anexados por Israel desde 1967.

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mundo
versão clássica
Globo © 2001-2014
princípios editoriais