segunda-feira, 27 de abril de 2015

SOCORRO AO NEPAL



Público















1




Como ajudar o Nepal?


PÚBLICO 

27/04/2015 - 12:22


Mais de uma dezena de países e organizações ofereceram ajuda na sequência do terramoto que deixou milhares de pessoas mortas. O Nepal, um dos países mais pobres da região, não tem meios para responder à catástrofe.Uma criança ferida pelo terramoto que atingiu o Nepal no sábado e deixou milhares mortos ADNAN ABIDI / REUTERS




1








Os países vizinhos do Nepal lideram a lista dos que mais têm ajudado o país na sequência do forte terramoto de sábado. Índia, China e Paquistão destacam-se, mas houve auxílio que partiu também dos pequenos Sri Lanka e Butão. Fora da região, já vários países e organizações enviaram ou anunciaram pacotes de ajuda, entre eles a União Europeia, Estados Unidos, Canadá e Japão. Só nesta segunda-feira, três dias depois do abalo principal, é que o Nepal começou a receber equipas de salvamento em grande escala.

Em todo o caso, prosseguem as dificuldades no terreno. O Nepal é um dos países mais pobres da região, não tem equipas especializadas de salvamento nem equipamento pesado para utilizar nas operações de resgate. O material médico escasseia e parte dele está esgotado. O mesmo acontece com comida e água potável – há camiões cisterna nos arredores da capital Katmandu com água para os desalojados e as filas têm dezenas de metros.

Da Índia, o país que mais fronteira partilha com o Nepal, mais do que a região chinesa do Tibete, já partiram mais de 200 elementos de equipas de salvamento, mais de uma dezena de aeronaves e helicópteros e toneladas de água potável, comida e material médico.

A China enviou 62 elementos de equipas de busca e prometeu cerca de três milhões de euros, assim como abrigos e geradores. O Paquistão, que também sofreu com o abalo, tal como Índia e China, enviou para o Nepal quatro aviões da sua força aérea, um hospital de emergência com 30 camas e mantimentos.

As principais forças do eixo ocidental já anunciaram a sua participação. A União Europeia disponibilizou três milhões de euros de ajuda imediata, os Estados Unidos um milhão de dólares (cerca de 920 mil euros) e o Canadá cinco milhões de dólares (perto de 4,6 milhões de euros). A par da ajuda financeira, estes países disponibilizaram também equipas de salvamento – da União Europeia esta oferta partiu da Grécia, Alemanha, Holanda, Suécia, Finlândia e Bélgica. Em todo o caso, até ao final da manhã desta segunda-feira não havia ainda registo da chegada de nenhuma equipa vinda destes países.

O Nepal recebeu da Europa dois importantes apoios financeiros, vindos do Reino Unido, que deu cerca de 4,1 milhões de euros ao país e mais 2,7 milhões de euros para a Cruz Vermelha, e também da Noruega, que ofereceu perto de 3,5 milhões de euros.

Uma parte essencial da ajuda concedida ao Nepal está a ser canalizada através de organizações humanitárias. Pode contribuir para estas organizações de várias maneiras. Consulte os espaços na Internet de cada uma, clicando nos nomes a azul na lista que se segue:


A Unicef tem como principal missão auxiliar as crianças deixadas vulneráveis pelo terramoto. Este braço das Nações Unidas quer oferecer ao Nepal barras de purificação de água, kits de higiene ou suplementos nutritivos para as crianças e famílias .



As equipas da Cruz Vermelha no Nepal participam desde o primeiro dia em operações de resgate e ajuda médica. 


Existe uma grave falta de água potável no Nepal, mas também falta alimentação para as populações afectadas. O Programa Mundial de Alimentação é a maior organização mundial de combate à fome. É financiada a 100% por doações. 


Uma organização que se foca no apoio a pessoas com deficiência. Está no Nepal desde o ano 2000 e tem mais de quatro dezenas de voluntários que distribuem, por exemplo, kits para pessoas com deficiência, equipamentos de mobilidade e organizam programas de reabilitação. 


Trata-se de uma coligação de organizações de apoio humanitário. Lançou uma missão de resgate de vítimas no Nepal e está em coordenação com a Unicef para distribuir água potável e cuidar dos feridos. 


Tal como a Unicef, o seu principal objectivo no Nepal é prestar auxílio às crianças do país, mas também quer alcançar as famílias mais vulneráveis. Dez por cento da doação destina-se a operações futuras da organização. 


A Care está no terreno no Nepal e pede doações. O seu plano é o de alcançar mais de 75 mil pessoas e oferecer abrigo temporário, alimentação e kits de purificação de água. 


Trata-se de uma rede nepalesa de apoio humanitário no Nepal. A sua acção, como explica a organização no seu espaço na Internet, concentra-se sobretudo no apoio educativo e médico. 






































COMENTÁRIOS









































© 2015 PÚBLICO

Comunicação Social SA
Mapa do site

SECÇÕES

SITES PÚBLICO
2

SERVIÇOS

QUIOSQUE PÚBLICO

INFORMAÇÕES