quarta-feira, 6 de maio de 2015

Talvez essa prensa ensine Bibi a respeitar o que faz depois do que diz


















Netanyahu se aproxima do fim do prazo para formar governo em Israel

06/05/2015 11:29


Compartilhe:



Imprimir:
print


A formação de um novo governo em Israel permanece incerta a poucas horas do término do prazo dado ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que só poderá compor uma maioria limitada dependente de partidos religiosos.

Se Netanyahu não conseguir formar um novo governo, sofrerá uma importante derrota, uma vez que o presidente israelense, Reuven Rivlin, terá de nomear outro deputado - provavelmente o líder do Partido Trabalhista Isaac Herzog - para formar o futuro gabinete.

O sucesso ou fracasso de Netanyahu depende do partido ultranacionalista Lar Judeu. O primeiro-ministro precisa convencer o líder da formação religiosa, Naftali Bennett, a entrar na coalizão com seus oito deputados para garantir a maioria mínima de 61 cadeira.

Netanyahu tem apenas até esta quarta-feira para formar o seu quarto governo e atender às demandas de seus potenciais parceiros de direita.

As últimas horas foram tensas entre Netanyahu e Bennett, dois homens que tem péssimo relacionamento.

A imprensa israelense informou que Bennett colocou seu telefone celular no modo avião para que não fosse localizado durante várias horas na terça-feira.

No entanto, analistas acreditam que os dois líderes vão acabar chegando a um acordo. Em Israel, as negociações para formar um novo gabinete geralmente prosseguem até o último momento.

O primeiro-ministro afirmou que havia dissolvido o governo anterior para acabar com a indisciplina de seu gabinete e formar uma forte coligação depois das eleições, convocadas com antecedência.

A sua inesperada vitória nas eleições de 17 de março pareceu dar-lhe razão e rapidamente iniciou negociações com vários partidos nacionalistas e religiosos para formar uma coalizão em torno de seu partido, o Likud (conservador).

Seu objetivo era obter uma maioria de 67 deputados em um Parlamento de 120.

Mas seu plano desabou na segunda-feira quando Avigdor Lieberman, atual ministro das Relações Exteriores e líder do partido nacionalista Israel Beitenu, disse que seus seis deputados não iriam participar de um governo fundado no "oportunismo e no conformismo".

Até o momento, Netanyahu chegou a acordos com dois partidos ultra-ortodoxos, o Judaísmo Unificado da Torá e o Shass, e com o partido de centro-direita Kulanu.

Netanyahu fez ao Lar Judeu "uma oferta sem precedentes", ao prometer as pastas da Educação, Agricultura, um cargo de vice-ministro da Defesa e um assento no Gabinete de Segurança.

Mas o partido quer mais. Bennett também exige o ministério da Justiça para seu partido.


AVALIE ESTA NOTÍCIA:


Compartilhe:



Imprimir:
print

DEIXE UM COMENTÁRIO

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)
Nome:Email:(não será publicado)Página web/blog(opcional)Escreva os números da imagem


SEM COMENTÁRIOS












LEIA TAMBÉM









© Copyright 1996-2011 Editora Três

É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.