segunda-feira, 1 de junho de 2015

James Allen - Da Pobreza Ao Poder - Mammon significa dinheiro em hebraico bíblico e não um bicho papudo dos infernos


DA POBREZA AO PODER - JAMES ALLEN - יהוה YEHOWAH TSEVA'OT - יהוה IEHOUAH DOS EXÉRCITOS - O Caminho da Prosperidade e da Paz - Benaiah Cabral Ben Avraham Leiehouah The Liger.
Título mais apropriado:
DA POBREZA PARA O PODER - 
A REALIZAÇÃO DA PROSPERIDADE E PAZ

Os dois senhores: o "eu" inferior e a verdade

No campo de  da alma humana, dois senhores estão combatendo pela coroa da supremacia, pelo império e domínio do coração, o senhor do "eu" inferior, chamado também o "Príncipe deste mundo", e o senhor da Verdade, chamado também o Pai Divino. O senhor do "eu" é rebelde, e suas armas são: paixão, orgulho, avareza, vaidade, obstinação, as forças das trevas; o senhor da Verdade é meigo e sublime, e suas armas são: brandura, paciência, pureza, sacrifício, humildade, amor, as forças da Luz.

Em toda alma tem lugar esse conbate, e um soldado não pode servir, ao mesmo tempo, aos dois exércitos opostos, e é assim que cada coração está inscrito nas forças ou de um ou de outro desses comandantes. Não é possível pertencer metade a um e metade a outro. "Aqui está o eu, e ali a Verdade ; onde está o eu não está a Verdade, e onde está a Verdade não está o eu, que é oposto." Assim diz Buda, o instrutor da Verdade; e Jesus, o Cristo manifesto, declarou: "Ninguém pode servir dois senhores; porque há de odiar a um e amar a outro; se se dedicar a um, desprezará a outro. Você não pode servir a Deus e a Mammon".

Mamon

Mamon de Collin de Plancy
Mamon é um termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade. A própria palavra é uma transliteração da palavra hebraica"Mamom" (מָמוֹן), que significa literalmente "dinheiro". Como ser, Mamon representa o terceiro pecado, a Ganância ou Avareza, também o anticristo, devorador de almas, e um dos sete príncipes do Inferno. Sua aparência é normalmente relacionada a um nobre de aparência deformada, que carrega um grande saco de moedas de ouro, e "suborna" os humanos para obter suas almas. Em outros casos é visto com uma espécie de pássaro negro (semelhante ao Abutre), porém com dentes capazes de estraçalhar as almas humanas que comprara.

História
Editar

Na era pré-cristã eram cultuados muitos deuses. Mamon, contudo, não era o nome de uma divindade e sim um termo de origem hebraica que significa dinheiro, ou bens materiais. No Evangelho, a palavra é utilizada quando afirma que não é possível servir simultaneamente a Deus e a Mamon (Lucas 16:13). O termo, no texto original, também é citada no Evangelho de Mateus:
«Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem traça nem ferrugem corroem e onde ladrões não minam nem roubam: Para onde está o teu tesouro, aí estará o seu coração também. Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.» (Mateus 6:19-24)
Desta forma Mamon acabou por tornar-se, ao longo da história, e devido as diversas traduções da Bíblia, a representação de uma entidade maligna ou demônio.

Literatura
Editar

Para Milton, em sua obra Paraíso Perdido, Mamon é um demônio que constrói para Satã um palácio com veios de ouro ardente. Goethe, na primeira parte de Fausto, utiliza a palavra em ambos os sentidos de "ouro" e de "entidade demoníaca".

Referências