domingo, 16 de agosto de 2015

Acorde e recorde Israel, que sua extensão mínima territorial vitalicia é das Praias de Gazah às Colinas do Golã, destas ao Grande Sinai e entre estes toda Extensão além da Cisjordânia necessária à sua Segurança. Yerushalaim é sua eterna, una e indivisa capital, assim como Telaviv, Haifa, Ashkelon e Bet-Lechem são suas Fortalezas e Territórios. Todo aquele que em qualquer grau servir a finalidades antissemitas ou anti-sionistas em Israel ou qualquer lugar do mundo, no que depender da responsabilidade israelense-israelita não pode conhecer outra expectativa senão pena capital de morte, pois também desta maneira a raça humana deve ser inspirada a amar com justiça, saber com poder, eliminando os monstros ideológicos, religiosos e políticos que, descaradamente, fanatizam, roubam, torturam e matam se desculpando através da mediocridade comum à ONU, Parte da Europa, Cristãos Antissemitas, O Fundamentalismo Islâmico, O Antissemitismo Humanista e outra Aberrações como Estas. Levante-se e Avance Israel por Iehouah e por Sião







Menu 

Israel: choques em frente ao hospital onde palestino faz greve de fome
0
ConflitosENVIE ESTE ARTIGO 16. AGOSTO 2015 - 21:12


Neste domingo, foram registrados choques em frente ao hospital israelense onde se encontra detido o palestino Mohamed Allan, que entrou em estado de coma na última sexta-feira após dois meses de greve de fome.



A polícia informou que mais de 10 judeus e árabes foram detidos, entre eles palestinos de Jerusalém Oriental, por terem jogado pedras em agentes e pelos distúrbios na cidade de Ashkelon (sul), onde Allan, de 31 anos, está internado.



Manifestantes árabes-israelenses e palestinos programaram concentrar-se em frente ao hospital Barzilai, mas acabaram entrando em confronto com militantes judeus de direita que chegaram ao local gritando pela morte de Allan.



Os choques entre os dois grupos começaram em frente ao hospital, com pedradas lançadas pelos dois lados. Os militantes judeus quebraram os vidros de um veículo da rede de TV palestina.



Os confrontos continuaram enquanto a polícia levava os manifestantes árabes à saída da cidade a fim de evitar uma escalada da violência com os judeus.



A polícia impediu entrada em Ashkelon de outros manifestantes que chegavam de ônibus, segundo constatou a AFP.



Allan, advogado apresentado como membro da Jihad Islâmica -movimento considerado "terrorista" por Israel- foi detido em novembro do ano passado, e deu início a uma greve de fome no dia 18 de junho para denunciar a renovação de sua prisão administrativa, que permite às autoridades israelenses prender palestinos durante seis meses, renováveis, sem uma acusação legal.



Cerca de 5.700 palestinos se encontram detidos em Israel.







afp_tickers








RTS | SRF | RSI | RTR | SWI