segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Laser! A invenção é poderosa, mas não surpreendente. Mãos erradas? Que mãos tem sido adequadas? Ainda assim, iniciativas nucleares não podiam ter sido tomadas há muito tempo por determinadas nações? Não são governos de santinhos. Fome: existe no mundo porque o ser humano quer. Atual produção mundial de alimentos alimentaria atual humanidade várias vezes por décadas desde a década de 70! Isso falando só do que já existe. Não tenho certeza quanto aos japoneses, mas vejo que quem está de perto do assunto conclui que tais invenções ainda estão atrasadas e que sejam fundamentais. Ainda assim, recordemos que ciência e fé não competem. A ciência e tecnologia são apenas aspectos do Iehouah Elohim crido mediante fé. Não avança sem ele - O Absoluto Creador e Infinita Energia Creadora - . Ateísmo na prática é uma opção política medíocre e desesperada ou ignorância aplicada. Agnosticismo é mente acovardada ou assustada que tenta ser indiferente ao que é latente em si. Ainda assim, os japoneses fazem muito melhor, se além de como entendem a vida, buscarem Iehouah Elohim e conhecerem a liderança hebraista de Ieshu''a Netser bem como a importância do moderno grande Israel sionista. Cada pessoa têm tido oportunidade de viver suas experiências pessoais com o Cristo e eles também podem contar com isso. Felicidade e realização sem Iehouah, jamais



Pesquisadores da Universidade de Osaka, no Japão, criaram o laser mais poderoso do mundo. Ainda em fase de experimentação, conseguiram disparar um feixe de 2 petawatts, equivalente a dois quadrilhões de watts.
A máquina responsável por isso tem quase 100 metros de comprimento e chama-se LFEX (abreviação em inglês para Laser de Rápida Ignição).
Essa não é a primeira tentativa de gerar um laser com alto poder de destruição. Recentemente, a Universidade do Texas, nos Estados Unidos, conseguiu emitir um laser de um petawatt.
Para termos de comparação, o LFEX gerou uma energia concentrada cerca de mil vezes maior do que todo o consumo de eletricidade no planeta.  Para as próximas etapas do projeto, a ideia é produzir um laser de 10 petawatts, afirmou Junji Kawanaka, professor de engenharia elétrica da Universidade de Osaka.
O disparo dos japoneses não teve maiores consequências por que durou 1 um trilhonésimo de segundo. Durante a experiência, o feixe de energia foi disparado em um vidro especial que amplificava repetidamente o poder do feixe.
Embora o progresso tecnológico seja considerado extraordinário, vários cientistas expressaram preocupação que esse laser venha a ser utilizado para desenvolver armas destrutivas. O pesquisador da Universidade de Illinois, EUA, Júlio Soares disse que tal poder poderia, literalmente, servir “para explodir o planeta.” Com informações de Seu History e RT
Voltar ao topo