quarta-feira, 23 de setembro de 2015

YOM KIPUR: DIA DO PERDÃO EM HEH DE SHIN GUIMEL MULTIVERSO IEHOUAH


Quarta-feira, 23 Setembro, 2015
10 Tishrei, 577

Nesta Data:
Nasceu Rivka (1677 AEC)
Nascimento de Rivka (1677-1556 AEC), mulher de Yitschac, mãe de Yaacov e Essav, e uma das Quatro Matriarcas de Israel.

As Segundas Tábuas (1313 AEC)
A 10 de Tishrei do ano 2449 da Criação, 82 dias depois de o povo de Israel trair seu recente pacto com D'us ao adorarem o bezerro de ouro, e após Moshê passar 40 dias sobre o Monte Sinai implorando por eles, "D'us restaurou sincera e alegremente Sua boa vontade com o povo judeu, dizendo a Moshê: 'Eu perdoei, como tu pediste', e deu a ele as Segundas Tábuas" – estabelecendo assim o dia como um tempo de expiação, perdão e teshuvá para todas as gerações.

Leis e Costumes:
Observâncias de Yom Kipur
Yom Kipur é o dia mais sagrado do ano – no qual estamos mais próximos de D'us e do âmago quintessencial de nossa alma. É o "Dia da Expiação" – "Pois neste dia Ele te perdoará, te purificará, e serás purificado de todos os teus pecados perante D'us (Vayicrá 16:30). Durante 26 horas, a partir de vários minutos antes do pôr-do-sol em 9 de Tishrei até o cair da noite em 10 de Tishrei, nós "afligimos nossa alma": abstemo-nos de comida ou bebida, não lavamos nem untamos nosso corpo, não calçamos sapatos de couro, e abstemo-nos de relações conjugais. Hoje, passamos o dia na sinagoga usando uma veste branca chamada kittel (para assemelhar-se aos anjos sem pecado e para despertar pensamentos de arrependimento ao nos lembrar do dia de nossa morte). No decorrer do dia, fazemos cinco longos serviços de prece (Maariv, com seu serviço solene, Kol Nidrê, na véspera de Yom Kipur; Shacharit; Mussaf, que inclui uma narrativa detalhada do serviço do Templo; Minchá, que inclui a leitura do livro de Yonah; e Ne'ilah, o "fechamento dos portões" – o serviço ao pôr-do-sol), fazemos a confissão Al Chet dos pecados dez vezes, e recitamos Tehilim a cada momento possível. O dia é o mais solene do ano, porém um toque de júbilo o permeia; um júbilo que se revela na espiritualidade do dia e expressa a confiança de que D'us aceitará nosso arrependimento, perdoará nossos pecados, e selará nosso veredicto para um ano de vida, saúde e felicidade.

Dez Dias de Arrependimento
O período de dez dias começando em Rosh Hashaná e terminando em Yom Kipur é conhecido como "Os Dez Dias de Arrependimento"; este é o período, dizem os sábios do Talmud, sobre o qual o profeta fala quando proclama (Yeshayáhu 55:6): "Busca a D'us quando Ele deve ser encontrado; chama-O quando Ele está próximo." O Salmo 130, Avinu Malkeinu e outras inserções e adições especiais são incluídas em nossas preces diárias durante estes dias

FONTE: BEITH CHABAD