sexta-feira, 30 de outubro de 2015

De que lado ficaria Harry Potter no boicote a Israel?: Ele é um dos maiores símbolos do sionismo moderno. Perfeitamente visível nas grandes mentes criativas e produtivas de Israel. Em contra partida, é na causa terrorista palestina que se vê a monstruosidade do inimigo de Harry Potter








CULTURA

HARRY POTTER
De que lado ficaria Harry Potter no boicote a Israel?
29/10/2015, 19:13


J.K. Rowling publicou uma carta a justificar porque é que um boicote cultural a Israel é mais prejudicial do que benéfico. Os fãs responderam com exemplos de Harry Potter e da guerra contra Voldemort.



Getty Images

Autor
Sara Otto Coelho
sara_coelho
Email

Tópicos
HARRY POTTER
ISRAEL
J.K.ROWLING


J.K. Rowling foi uma das escritoras que decidiu não incluir o seu nome no movimento de artistas que pede um boicote cultural a Israel. Mas, para muitos fãs, Harry Potter não estaria do seu lado. Na guerra entre feiticeiros bons e maus que se desenrola nos sete livros da saga, vários leitores enviaram cartas à criadora do personagem, confrontando-a com episódios da história. E ela não os deixou sem resposta.

Recuemos até fevereiro. Mais de 100 artistas do Reino Unido assinaram uma carta onde apelavam a um boicote cultural a Israel, como resposta à guerra em Gaza que se desenrolou durante o verão do ano passado. Desde esse conflito, “os palestinianos não têm tido tréguas dos ataques de Israel às suas terras, à sua forma de subsistência, ao seu direito político de existência”, escreveram artistas como Roger Waters, Richard Ashcroft, Brian Eno.


A 22 de outubro, outros 150 britânicos quiseram mostrar um ponto de vista diferente e publicaram uma carta intitulada “Israel precisa de pontes culturais, não boicotes“. A ideia é que o diálogo é a chave do entendimento e que um boicote é discriminatório e não faz nada pela paz. Nomes como J.K. Rowling, Hilary Mantel e Niall Ferguson admitiram ter opiniões diferentes acerca das políticas do governo israelita, mas partilham “o desejo de uma coexistência pacífica” entre dois Estados.

Ao ver a criadora de Harry Potter na lista, vários fãs da escritora começaram a enviar-lhe cartas usando o feiticeiro de olhos verdes como exemplo. Tantas que J.K. Rowling sentiu a necessidade de se explicar, desta vez numa carta só dela. Um dos grandes argumentos era o de que o diálogo não era solução para a guerra contra Voldemort, o grande vilão da história, e os Devoradores da Morte. Houve até quem fizesse analogias entre os Devoradores da Morte e os soldados israelitas. Nas milhares de páginas escritas por Rowling, a guerra foi feita de lutas entre feiticeiros, não com conversas.


Só o diálogo não teria parado a guerra entre feiticeiros, e não parou. O Voldemort acreditava que os não-feiticeiros eram sub-humanos, pelo que é válido comparar Voldemort a qualquer ser humano real que olha para outras raças, religiões e sexualidades como inferiores”, escreveu. E, sim, teria sido um “erro” tentar falar com Aquele-Cujo-Nome-Não-Pode-Ser-Pronunciado ou com Bellatrix Lestrange para que baixassem as suas varinhas e que amassem o próximo, admitiu.

Salvaguardando que cada leitor tem a sua forma de olhar para a história e para os personagens, Rowling conta que muitos leitores incluíram nas suas cartas que “Harry Potter ficaria desapontado” com a sua criadora. E que não entenderia como é que ela foi capaz de assinar aquela carta. Rowling dá-lhes razão, mas só até certo ponto.


Why Dumbledore went to the hilltop Read:https://t.co/tXj41Yj58S

— J.K. Rowling (@jk_rowling)October 27, 2015



“O Harry de seis livros e meio poderia não entender”, escreveu. É “imprudente e revoltado”, por tudo o que lhe aconteceu ao longo do percurso, desde que os seus pais foram assassinados por Voldemort. Até ao momento final e à forma como Dumbledore, um académico apologista do diálogo, se deixa morrer às mãos de Snape, personagem dúbio a quem Dumbledore sempre deu todas as oportunidades. J.K. Rowling embarca nas analogias e lembra que também a comunidade palestiniana sofreu uma “incalculável injustiça e brutalidade”.


“Quero ver o governo israelita ser responsabilizado por essa injustiça e brutalidade. Boicotar Israel em todas as frentes pode ser atrativo. Satisfaz a necessidade humana de fazer alguma coisa, qualquer coisa, face ao terrível sofrimento humano”, defendeu. Mas explicou porque é que nunca poderia assinar uma carta de boicote cultural a Israel.


Cortar o contacto com a comunidade cultural e académica significa recusar o envolvimento com alguns dos israelitas que são mais pró-palestinianos e mais críticos ao governo de Israel. Essas são as vozes que eu quero amplificar, não silenciar. Um boicote cultural levanta barreiras inamovíveis entre artistas e académicos que querem falar uns com os outros, entender-se uns aos outros etrabalhar lado a lado pela paz.”

Se os fãs da história querem usar partes do livro para mostrar a J.K. Rowling que os seus personagens estariam do lado dos signatários do boicote, a escritora pede para que tenham sempre em conta as atitudes de Dumbledore. “Ele é o coração moral do livro“, confessou.Continuar a ler
Proponha uma correção, sugira uma pista:
socoelho@observador.pt
Partilhe
Visite-nos no Facebook

Junte-se a mais de 250.000 fãs doObservador no Facebook para ficar sempre a par dos nossos melhores artigos.
Receba a 360º

Um guia completo do que se passa, logo a abrir o dia, todos os dias. Envio dias úteis às 9h.



Comentar

Tem de ter a sessão iniciada para publicar um comentário.

RECOMENDAMOSHARRY POTTER
Fãs de Harry Potter jantam em Hogwarts no Natal
30/9/2015, 16:32106 partilhasPOTTERMORE
J.K. Rowling conta-lhe tudo sobre a família Potter
23/9/2015, 13:43HARRY POTTER
Andámos a pronunciar mal o nome de Voldemort
10/9/2015, 10:52HARRY POTTER
Harry Potter regressa numa versão ilustrada
8/9/2015, 23:06128 partilhasHARRY POTTER
Harry Potter nasceu há 18 anos. A magia não morre
30/6/2015, 20:347.542 partilhasHARRY POTTER
J.K. Rowling explica o ódio dos Dursleys por Harry
24/6/2015, 21:57

POPULARESGABRIEL GARCÍA MARQUEZ
Quando Rushdie não sabia quem era García Márquez
29/10/2015, 21:23UMA MÚSICA POR DIA
Clearance - Delays Expected
29/10/2015, 21:00LAZER
Sugestões para um fim de semana em cheio
29/10/2015, 18:05ARTES
Amadora BD: o meu autógrafo é o mais rápido
29/10/2015, 12:11JUSTIÇA
Fantasporto: Arquivado inquérito sobre ilegalidade
29/10/2015, 10:27PAULA REGO
Os contos "mostram a natureza humana como ela"
29/10/2015, 10:21

ÚLTIMAS
Assunção Cristas: "Inspirei-me em Jesus"
30/10/2015, 0:15121 partilhasGUERRA
Doze hospitais atacados na Síria num mês
30/10/2015, 0:11NOSTALGIA
As coisas que te recordam que já não tens 20 anos
29/10/2015, 23:20ESTRANHA NATUREZA
Tem riscas, mas não é zebra. Então o que é?
29/10/2015, 22:59MIGRAÇÕES
Alemanha garante ajuda à Grécia
29/10/2015, 22:51AVIAÇÃO
Florida. Incêndio em avião provoca 15 feridos
29/10/2015, 22:48

ÚLTIMAS / CULTURA

Quando Rushdie não sabia quem era García Márquez21:23


Clearance - Delays Expected21:00


Sugestões para um fim de semana em cheio18:05


Amadora BD: o meu autógrafo é o mais rápido12:11


Fantasporto: Arquivado inquérito sobre ilegalidade10:27

FOTOGALERIA EM DESTAQUE





Choque por uma causa. Por muitas causas. 50 campanhas nos 50 anos da Benetton



SIGA-NOS NO SPOTIFY

OPINIÃO

O malPaulo de Almeida SandeOntem

Não é um jogoPaulo TunhasOntem

Três desabafos politicamente incorrectosJosé Manuel Fernandes28 Outubro

Banir o exame do 4º anoMaria João Marques28 Outubro

A liberdade de prosperar está ameaçadaFilipe Simões de Almeida - Convidado28 Outubro

Síria: Primeiro soldado russo morto... suicidou-seJosé Milhazes28 Outubro

Em Portugal, não se faz outra coisaLucy Pepper27 Outubro

Quem tem medo de eleições?Rui Ramos27 Outubro

Outra República?Maria João Avillez27 Outubro

As ideias que importam são as dos náufragosLaurinda Alves27 Outubro

Os gordosAfonso Reis Cabral27 Outubro




CONTAS CONNOSCO
Como poupar nas despesas de veterinário

MAIS POPULARES

Quando Rushdie não sabia quem era García Márquez29 de Outubro

Clearance – Delays Expected29 de Outubro

De que lado ficaria Harry Potter no boicote a Israel?29 de Outubro

Sugestões para um fim de semana em cheio29 de Outubro

Amadora BD: o meu autógrafo é mais rápido que o teu29 de Outubro
TÓPICOS MAIS OBSERVADOS
PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS
OPERAÇÃO MARQUÊS
VERA RODRIGUES
GOVERNO
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
PODCASTS


Eventos
Subscrever

Entrevista
Subscrever

Conversas à quinta
Subscrever

Ao Vivo
Subscrever

5 Coisas
Subscrever





Rua Luz Soriano, n.º 67, 2º Esq.
1200-246 Lisboa

© 2015 Observador On Time

Seguir
Facebook
Twitter
LinkedIn
Tumblr
Instagram
Youtube
Google+
RSS

Sobre
Política de Privacidade
Termos e Condições
Como anunciar
Ficha Técnica
Estatuto Editorial
Regras da Comunidade
Contactos
Ajuda

Descobrir
Autores
Tópicos
Meu Observador
Newsletters
Conversas
Podcasts
Portugal 2020

Instale a nossa App

Disponível gratuitamente para iPhone, iPad, Apple Watch e Android