sábado, 9 de janeiro de 2016

ISRAEL, DANI DAYAN É O MAIS CORRETO PARA SER EMBAIXADOR NO BRASIL PELA BENDITA NAÇÃO SIONISTA DO ORIENTE MÉDIO. ESTA É A VONTADE E ACLAMAÇÃO DO LEGÍTIMO POVO BRASILEIRO. POR FAVOR, NOS AJUDEM A DERRUBAR POR TODOS OS MEIOS OS DITADORES PRÓ FUNDAMENTALISTAS QUE ESTÃO DESTRUINDO NOSSO POVO, POIS FOMOS TAMBÉM VÍTIMAS DE GOLPES SILENCIOSOS E RÁPIDOS


UOL - O melhor conteúdo
  • mundo

    Israel desistiu de indicar Dani Dayan para embaixada, dizem funcionários

    DANIELA KRESCH
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA,
    EM TEL AVIV

    09/01/2016 02h00

    Diante da posição do governo brasileiro de segurar as credenciais de Dani Dayan, indicado para ser embaixador de Israel em Brasília, funcionários do governo israelense ouvidos pela Folha afirmam que a Chancelaria desistiu de convencer o Brasil a aprovar o nome de Dayan.
    Ex-líder dos colonos israelenses, Dayan deve ocupar um cargo diplomático em outro país.
    Segundo as pessoas ouvidas pela reportagem, não haverá mais tentativas de autoridades israelenses –nem mesmo do premiê Binyamin Netanyahu– de ligar para a presidente Dilma Rousseff.
    O Brasil rejeita o nome de Dayan porque o país, como a maior parte da comunidade internacional, considera ilegais os assentamentos israelenses na Cisjordânia.
    Netanyahu, agora, pondera os próximos passos. Provavelmente esperará alguns meses –talvez até mais de seis meses– para indicar um novo nome para o cargo.
    Rina Castelnuovo - 24.mai.2012/ "The New York Times"
    Dani Dayan, the head of Israel's settler movement, visits the Eli Jewish settlement in the West Bank, May 24, 2012. Dayan has devoted the past five years to expanding the Jewish presence in those and other disputed historic places across the West Bank as chairman of the Yesha Council. (Rina Castelnuovo/The New York Times) ORG XMIT: XNYT94 ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
    Dani Dayan, que foi indicado para o cargo de embaixador de Israel no Brasil
    Segundo o jornal "Times of Israel", a chancelaria brasileira prometeu "regalias" aos israelenses no momento em que um novo candidato for anunciado. Uma dessas recompensas seria uma aprovação rápida do nome.
    Folha apurou ainda que o Itamaraty também se comprometeria a condenar boicotes a Israel, como o do movimento BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções).
    Dayan deve ser enviado para um dos dois consulados gerais de Israel nos EUA, em Nova York ou Los Angeles. Haveria duas outras opções. Oficialmente, porém, ele não abriu mão do cargo no Brasil.
    "Não há mudança, sou candidato ao cargo de embaixador de Israel no Brasil. Essa é a posição clara de Netanyahu", disse Dayan àFolha.
    As tentativas de Israel de contatar a cúpula do governo brasileiro não deram certo.
    O presidente do país, Reuven Rivlin, telefonou para Dilma e não foi atendido.
    O ministro da Defesa, Moshe Ya'alon, ligou para Jaques Wagner, que antes de assumir a Casa Civil, em outubro, era ministro da Defesa, e obteve uma promessa de apoio à candidatura. Mas, depois, passou a não ser atendido.
    O próprio Netanyahu disse a parlamentares brasileiros que visitaram Israel, em dezembro, que tentara falar com Dilma durante a Conferência do Clima naquele mês, em Paris, mas que ela "fugiu".
    Enquanto a decisão não é anunciada oficialmente, iniciativas de parlamentares e ex-diplomatas apoiam ou condenam a nomeação.
    A Frente Parlamentar Evangélica do Congresso Nacional, com quatro senadores e 199 deputados, divulgou nota criticando o governo Dilma por barrar Dayan, "escolhido e nomeado por um governo legítimo de um país democrático e amigo", segundo o comunicado.
    Por outro lado, um abaixo-assinado divulgado por um grupo de 40 embaixadores brasileiros aposentados, entre eles Luiz Felipe Lampreia, Roberto Abdenur e Samuel Pinheiro Guimarães, apoia Dilma.
    A principal reclamação é a maneira como a nomeação foi feita, por meio da conta de Netanyahu no Twitter, antes de consultar o Itamaraty.

    comentários

    Ver todos os comentários (1)Comentar esta reportagem
    Fale com a Redação -leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? -novasplataformas@grupofolha.com.br
    PUBLICIDADE
    Folha de S.Paulo 2016